Museu de Moscou oferece viagem pela história dos tanques russos

Vitali V. Kuzmín
Máquinas russo-soviéticas e exemplares raros de tecnologia estrangeira são destaques.

O acervo principal do Museu de Veículos e Equipamentos Blindados, inaugurado em agosto de 1938, é composto de armas das guerras mundiais, mas também realiza mostras de tecnologia e equipamentos do pós-guerra fabricados por diferentes países.

Era, originalmente, uma instituição fechada que só admitia oficiais e soldados do Exército Vermelho, porque abrigava um grande número de máquinas experimentais, entre as quais algumas permaneceram segredo de Estado até o final dos anos 1980.

Após a dissolução da União Soviética, o museu tornou-se acessível ao público geral, tanto russos como estrangeiros. A coleção do museu inclui mais de 300 exemplares de 14 países, e 60 deles são os únicos ainda existentes de seu tipo. 

Visitando o museu

No lado direito da entrada principal, sob o céu aberto, existem vários tanques da Segunda Guerra Mundial. São o blindado inglês de infantaria MARK III Valentina e o tanque leve americano M5AI Stuart, que foram fornecidos à URSS por um empréstimo. Há também várias modificações do T-34 com o canhão autopropulsado SU-152, que já foram testadas contra os tanques pesados ​​alemães Tiger e Panther.

Em seguida, chega-se ao Pavilhão de Veículos Blindados. Entre os muitos objetos expostos, pode-se ver um BTR-90, usado atualmente pelo Exército russo, e um BA-27M de 1931, baseado no Ford Timken, além de uma variante experimental do BA-21 de 1939, baseada no GAZ-21 soviético (1936), que nunca entrou em produção.

O pavilhão seguinte é o de Tanques Leves do Exército Soviético e das Tropas Aerotransportadas. Nessa área, vale a pena conferir o primeiro tanque leve soviético, o MS-1, de 1927. Em 1931, foram construídos mais de 900 desses blindados, e tiveram um papel digno em batalhas no Extremo Oriente no final dos anos 1930.

Em seguida estão exibidos os tanques médios e pesados ​​dos exércitos russo e soviético, como o lendário T-34 da Segunda Guerra Mundial e o T-80, que integra o arsenal de Exército russo moderno. Neste pavilhão também pode-se ver protótipos secretos de equipamento militar da União Soviética. Existe, por exemplo, um tanque experimental Obiekt 288 com motores de turbina a gás.

Já entre os tanques pesados ​​do pavilhão do Exército soviético, as principais atrações são dois canhões autopropulsados SU-14 e SU-100-Y. Eram protótipos no início da 2ª Guerra Mundial, mas participaram de combates durante a defesa de Moscou. Mas, devido ao seu tamanho e à dificuldade de transporte, essas máquinas acabaram saindo de serviço. Dois canhões armas SU-14, no entanto, foram liberados para exibição pública. Um sobrevive até hoje, enquanto o outro foi desmanchado na década de 60. Apenas um SU-100-Y foi fabricado, e pode ser visto no museu.

Seção internacional

Depois de comer um quitute no café, é hora de seguir ao pavilhão das Equipes da Europa e do Japão. Perto do pavilhão há um veículo blindado da Segunda Guerra que participou da defesa de Leningrado (atual São Petersburgo). Dentro do pavilhão, estão expostas coleções de veículos blindados japoneses da Segunda Guerra Mundial.

Outros países também estão representados, principalmente por exemplares produzidos após 1945. Existe até uma amostra de veículos da China. Uma exposição particularmente interessante apresenta tanques blindados franceses. Na entrada encontra-se o primeiro tanque leve, FT-17, criado por Renault em 1917, cujas rodas de são sua característica mais marcante. Foi também o blindado mais fabricado no início do século 20. Em 1917 e 1918, a Renault produziu 3.177 tanques. Após o final da Primeira Guerra Mundial, o tanque foi fabricado sob licença nos EUA, Itália, União Soviética e Finlândia. O FT-17 esteve em serviço em exércitos de diferentes países até o início dos anos 1940.

Um pavilhão separado mostra os veículos blindados alemães da Segunda Guerra Mundial. É a maior coleção de equipamentos e tecnologia militar alemã da época. Não é à toa que ostenta o único exemplar do tanque superpesado Maus (Porsche-205), cujo desenvolvimento foi comandado pelo próprio Ferdinand Porsche. Dois protótipos foram criados, ambos sendo usados na luta contra o Exército soviético em 1945. O exército soviético conseguiu obter um tanque danificado, e que foi considerado um troféu para suas tropas. Foi restaurado e hoje é destaque do museu.

Serviço

Horário de funcionamento

O museu fica aberto de terça a sexta-feira, das 9h às 18h (bilheteria fecha às 17h). Aos sábados e domingos, o museu abre das 10h às 19h (bilheteria fecha às 18h).

Preço

O ingresso custa cerca de 18 dólares. A taxa tirar fotografia e produzir vídeo também é de aproximadamente 18 dólares. A bilheteria do museu aceita Visa e MasterCard.

Site do museu (em russo)

mbtvt.ru

Como chegar

O museu está localizado na aldeia de Kúbinka-1, na região de Moscou. Para viajar de carro até o museu, siga pela rodovia de Minsk até entrar em Kúbinka (km 64). Também é possível viajar de trem da estação Belorusski à estação de Kúbinka e depois pegar o micro-ônibus nº 59 (a viagem de ida custa em torno de 7 dólares).

Quer receber as principais notícias sobre a Rússia em seu e-mail? 
Clique 
aqui para assinar nossa newsletter.

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies