Nova versão de ‘Terminator’ terá sistemas controlados remotamente

Mikhail Voskresenskiy/Sputnik
Robotização de veículo de apoio a tanques aumentará seu potencial destrutivo.

Os engenheiros russos começaram a trabalhar na nova versão do veículo de apoio a tanques Terminator (Exterminador), cujas atualizações estão entre as mais esperadas para reforçar a artilharia da Rússia em um futuro próximo.

O Terminator-2, criado como uma unidade de apoio a tanques para combates urbanos, já foi batizado com sucesso na Síria contra militantes do Estado Islâmico (EI).

No entanto, a nova atualização do veículo, conhecida como Terminator-3, promete características ainda mais robustas e poderá transportar até quatro lançadores de míssil guiado antitanque 9M120 Ataka, dois canhões automáticos 2A42 de 30 mm, dois lança-granadas AG-17D e uma metralhadora PKTM coaxial de calibre 7,62 mm.

Robotização do Terminator

Os engenheiros da Uralvagonzavod, responsáveis pelo desenvolvimento da máquina, estão experimentando integrar tecnologias automatizadas às unidades de suporte.

“No momento, o Ministério da Defesa russo ordenou um lote de Terminators com uma tripulação de cinco pessoas, nos quais os soldados controlam todas as armas, navegação e qualquer outro sistema da máquina. Mas os construtores também têm uma versão da máquina para uma tripulação de três pessoas, na qual várias funções são operadas por computador, o que permite até mesmo converter o Terminator-2 em uma torre de controle remoto no campo de batalha”, disse Dmítri Safónov, ex-analista militar do jornal russo “Izvéstia”, ao Russia Beyond.

Segundo o especialista, enquanto o controle remoto opera a artilharia da máquina, a equipe poderia se concentrar em colocar o veículo em solo, diminuindo a visibilidade contra as forças inimigas e, enfim, destruindo inimigos com suas armas pesadas.

Os engenheiros até consideram a possibilidade de tornar os Terminators totalmente robotizados e essa é a meta para a próxima década, uma vez que não há pressão para que esses sistemas estejam em campo de batalha.

“Sistemas totalmente robóticos não são apenas uma grande questão tecnológica, mas também jurídica. Trabalharemos nessas questões nos próximos anos”, disse Safónov.

Os engenheiros trabalham ainda na integração de sistemas de defesa aérea adicionais em outros modelos, já que os Terminators são vulneráveis ​​a helicópteros de combate capazes de disparar mísseis a até 5 km de distância.

“Todas essas modificações e os novos modelos serão apresentados ao público na próxima década. Por enquanto, vamos ver as novidades dos Terminators na próxima edição do salão militar Army-2018, que será realizada nos arredores de Moscou.”

Confira outras 3 invenções militares temíveis da Rússia

Quer receber as principais notícias sobre a Rússia em seu e-mail? Clique aqui para assinar nossa newsletter.

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies