Como as universidades russas colocaram a ciência a favor da Copa do Mundo

Aleksandr Avilov/Moskva Agency
A Copa do Mundo movimentou toda a Rússia: de crianças empolgadas a senhoras embasbacadas com as torcidas barulhentas e coloridas de todo o mundo. E o melhor é que todos se sentiram parte da festa. As principais universidades russas não ficaram de fora e aqui seguem algumas contribuições dos participantes do Projeto 5-100 (programa estatal russo de excelência acadêmica) para o campeonato.

A ITMO criou um sistema de previsão de briga de torcidas e um auxiliar de deslocamentos.

Para prevenir conflitos nas ruas, a Universidade de São Petersburgo de Tecnologia da Informação, Mecânica e Ótica (conhecida também pela sigla ITMO) criou um sistema que antevê possíveis brigas durante os jogos por meio da análise dos posts das torcidas nas redes sociais e das imagens do circuito de câmeras de segurança das cidades. Os pesquisadores também desenvolveram um simulador de realidade virtual para ajudar a administrar e controlar multidões.

Para prever o acúmulo de torcedores em rotas entre as cidades - e facilitá-las, a universidade também criou uma solução que ajuda os fãs a planejarem suas viagens no transporte público. O sistema permite avaliar uma rota, pagar pela viagem usando um smartphone, identificar quem viaja sem pagar as tarifas e analisar o tráfego de passageiros da cidade.

A solução conecta todos os dispositivos por meio da nuvem. Os passageiros podem pagar as tarifas de uma viagem apenas digitando um número. O projeto foi implementado a pedido da diretoria de transportes da Copa do Mundo FIFA 2018.

Uma aluna da Universidade Estadual de Tomsk inventou o mascote Zabivaka.

O mascote da Copa do Mundo, o Zabivaka, é um lobo e seu nome significa algo como "artilheiro". Ele foi desenhado por Ekaterina Botcharova, uma estudante de design gráfico da Universidade Estadual de Tomsk.

"O lobo é jovem, atlético e determinado. Ele é o mais jovem de uma família numerosa, que teve de se esforçar muito para ser um bom jogador. Ele é muito otimista. É o único estado de espírito possível quando se quer ganhar um campeonato", disse Ekaterina. O lobo foi escolhido em uma votação popular na Rússia.

Universidade Federal de Ural criou manual para os torcedores.

Uma descrição dos tipos de torcedores, suas características e todos os estereótipos relacionados a cada nacionalidade e estilo de torcer estão neste manual, que também mostra a diferença entre os torcedores russos e os estrangeiros.

A Universidade Federal do Báltico - Immanuel Kant criou um monitoramento espacial.

Muitos dos estádios da Copa da Rússia foram construídos do zero. Para as obras do estádio de Kaliningrado, um território russo totalmente cercado por terras estrangeiras, a Universidade Federal do Báltico - Immanuel Kant criou um serviço novo: um meio de monitorar a construção por fotografias espaciais. A ideia foi prover análises visuais do progresso das obras baseadas em imagens feitas do espaço.  

A Escola Superior de Economia desenhou o pôster da FIFA.

O professor associado da faculdade de arte e design da Escola Superior de Economia, Igor Gurovitch, criou o pôster oficial da Copa do Mundo. A arte mostra Lev Yashin, um ícone do futebol russo e o único goleiro da história a ganhar a Bola de Ouro.

Vitáli Mutkô, primeiro ministro da Rússia e presidente da Federação Russa de Futebol, apresenta o pôster oficial da Copa do Mundo FIFA 2018 com a imagem do goleiro soviético Lev Yashin.

No pôster, ele está vestido com seu uniforme mais icônico e alcançando a bola. O cartaz traz referências soviéticas e, na bola, está a imagem da massa continental russa como ela é vista do espaço. Os raios de luz emitidos pela bola simbolizam a energia do campeonato, enquanto os círculos verdes são os campos dos 12 estádios nas 11 cidades-sede.

"O estilo remete aos pôsteres soviéticos pós-construtivistas. Sua linguagem visual única, que na época era muito inovadora e poética, com suas imagens figurativas, se tornou um dos elementos mais importantes da cultura russa. Eu quis fazer uma releitura moderna dessa linguagem e torná-la relevante novamente", disse Gurovitch.

Quer receber as principais notícias sobre a Rússia em seu e-mail? 
Clique aqui para assinar nossa newsletter.

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies