Como funciona o VAR, árbitro de vídeo estreante na Copa da Rússia

Jogadores australianos discutem com árbitro após lance polêmico na partida contra a seleção francesa

Jogadores australianos discutem com árbitro após lance polêmico na partida contra a seleção francesa

Frank Hoermann/Sven Simon/Global Look Press
Tecnologia foi determinante para o resultado da partida entre Austrália e França, mas decepcionou torcedores brasileiros em jogo contra Suíça.

A nova tecnologia de VAR (árbitro assistente de vídeo, na sigla em inglês) fez sua estreia na Copa do Mundo ao confirmar um pênalti a favor da França durante o jogo contra a Austrália, no último sábado (16), na Arena Kazan.

A partida na primeira fase do Grupo C seguia empatada (0 a 0) no segundo tempo, quando o árbitro uruguaio Andrés Cunha não marcou falta em um lance polêmico, e o VAR foi acionado, invalidando a decisão anterior. Embora a Austrália tenha empatado o jogo minutos depois, a seleção francesa foi alvo de mais uma jogada controversa, e o segundo ponto foi confirmado graças à tecnologia da linha do gol.

Mais tarde, o VAR foi novamente usado para checar o primeiro gol do espanhol Diego Costa contra Portugal, e nos jogos Peru X Dinamarca, Suécia X Coreia do Sul e Costa Rica X Sérvia.

Em outra polêmica, envolvendo o gol marcado pela Suíça contra o Brasil, no último domingo (17), o árbitro de vídeo foi acionado, mas os três juízes na cabine analisaram o lance e o consideraram normal.

Embora a tecnologia tenha estreado recentemente no Mundial da Fifa, ela já havia sido testada na Série A da Itália, na Bundesliga da Alemanha e na Copa da Inglaterra.

Confira abaixo as dúvidas mais comuns sobre a tecnologia:

Em que circunstância a tecnologia será usada?

O VAR dará suporte aos árbitros durante todos os 64 jogos da Copa do Mundo de 2018 na Rússia. O novo sistema pode ser usado em quatro cenários possíveis: verificar irregularidades após a marcação de um gol; nas decisões de pênalti, para identificar corretamente um jogador punido; ou na aplicação de cartão vermelho. 

Como funciona?

A tecnologia fornece análise de vídeo em tempo real usando uma rede de 33 câmeras diferentes, incluindo duas câmeras inteligentes específicas projetadas para detectar quando um jogador está impedido. A Fifa instalou um único centro operacional de VAR em Moscou, conectado a todos os estádios da Copa por uma rede de fibra ótica.

A quem pertence a palavra final?

Ao árbitro em campo. Portanto, mesmo que o VAR indique irregularidade em algum lance ou decisão, a deliberação ficará a cargo do juiz que está no comando do jogo.

Como os árbitros estão reagindo ao VAR?

A maioria recebeu a tecnologia com bons olhos. “O VAR pode ser nosso melhor amigo, não é mais possível cometer um erro crucial”, diz o holandês Bjorn Kuipers.

No entanto, alguns estão preocupados que o árbitro de vídeo possa prejudicar os juízes em campo. Segundo o russo Serguêi Khusainov, a nova tecnologia ajuda, mas também pode atrapalhar na concentração dos árbitros. “Quando é tomada a decisão de analisar o lance? Isso acontece quando o juiz se atrasou”, afirma Khusainov.

Quer receber as principais notícias sobre a Rússia em seu e-mail? 
Clique 
aqui para assinar nossa newsletter.

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies