7 museus de madeira ao ar livre na Rússia (FOTOS)

Malye Korely is one of the most visited places in Arkhangelsk Region.

Malye Korely is one of the most visited places in Arkhangelsk Region.

Vladímir Trefilov/Sputnik
Depois de visitar esses locais, você se tornará um verdadeiro especialista em obras-primas da arquitetura russa em madeira.

A maioria dos museus de arquitetura em madeira apareceu na Rússia entre as décadas de 1950 e 1970. A União Soviética, já recuperada e reconstruída após a Segunda Guerra Mundial, assumiu então a tarefa de preservação dos monumentos culturais e da arquitetura. Durante esses anos, milhares de igrejas e outros edifícios antigos foram restaurados e passaram a ser supervisionados. Incluindo os de madeira. Assim, em algumas aldeias, foi possível preservar igrejas, casas e moinhos de vento de até 500 anos de idade.

  1. Ilha Kiji, Carélia

Kiji é a ilha-museu etnográfica mais famosa e visitada da Rússia. Está situada não muito longe da cidade de Petrozavodsk, em uma ilha no lago Onega. O museu, fundado em 1966, acabou sendo incluído na lista de Patrimônios Mundiais da Unesco.

A parte central da ilha-museu é o Kiji Pogost, composto pela Igreja da Transfiguração do início do século 18 – uma construção de madeira de 37 metros de altura com 23 cúpulas –, pela Igreja da Intercessão – com uma iconostase parcialmente preservada –, e por um campanário do século 19. Outros edifícios de madeira expostos foram trazidos de aldeias abandonadas de diferentes regiões da Carélia, como casas pomori e celeiros vepesianos.

Site do museu 

  1. Vitoslavlitsi, região de Novgorod

Até o século 16, Veliki Novgorod possuía um vasto território até o Mar Branco e rivalizava com Moscou. Pode-se ver a arquitetura monumental de Novgorod a alguns quilômetros da cidade, no local da antiga vila de Vitoslavlitsi, que existiu entre os séculos 12 e 18.

O museu ao ar livre foi fundado em 1964 e lembra uma antiga vila russa. Izbás (casas de tronco eslavas) e dependências formam as ruas percorridas pelos visitantes. As principais atrações incluem a Igreja da Natividade da Virgem Maria, de 1531, e nas proximidades, a pequena Igreja da Dormição, de 1599. Ambas foram trazidas de aldeias distantes e meio abandonadas e depois restauradas em Vitoslavlitsi – literalmente salvas da destruição.

Site do museu

  1. Malie Koreli, região de Arkhanguelsk

Enormes moinhos de vento de madeira são o “destaque” do museu Malie Koreli. A maior quantidade de moinhos de vento de madeira russos está reunida aqui e todos foram trazidos de aldeias da região de Arkhanguelsk. O complexo etnográfico foi criado em 1964 e está dividido em setores: Mesenski, Pinejski, Dvinskoi e Kargopolsko-Onejski, onde são exibidos izbás, banias (saunas tradicionais), poços e igrejas dessas regiões. Andando de um setor para outro, percebe-se claramente a diferença na construção das casas.

Site do museu 

  1. Parque Kolomenskoie, Moscou

Um dos maiores parques da capital russa também possui um museu de arquitetura de madeira, onde estão expostos edifícios do norte da Rússia. 

Em 1933, a igreja barbacana do século 17, o único edifício de madeira do Mosteiro Nikolo-Korelski, foi trazida da região de Arkhanguelsk. Na época, muitas igrejas foram destruídas, mas os arquitetos conseguiram salvar esta torre.

Há também uma torre da década de 1580 da fortaleza Sumski Ostrog, trazida do território da Carélia. Antes, essa estrutura estava erguida em um vilarejo antigo de Sumski Posad (falamos sobre isso em nosso artigo sobre os pomori) e abrigava uma guarnição militar local. A propósito, esta é a única torre militar do norte da Rússia que sobreviveu até hoje.

Site do museu

  1. Museu de arquitetura em madeira em Suzdal, região de Vladimir

A cidade de Suzdal é um museu em si. Em seus arredores, foi criado, em meados da década de 1960, um vilarejo a partir de construções trazidas de aldeias abandonadas da região. Ali pode-se ver igrejas de várias ripas de madeira de meados do século 18 – feitas, de acordo com os historiadores, sem um único prego. É tanta habilidade que, observadas à distância, as ripas parecem feitas de metal. Mas não – elas são mesmo de madeira.

Site do museu

  1. Khokhlovka, Território de Perm

Você já ouviu o ditado “permiano de orelhas salgadas”? O Território de Perm é historicamente o maior centro de produção de sal no país; vários séculos atrás, a vida de muitas pessoas nestas regiões estava ligada a ele. Na época, as salinas também eram de madeira – e hoje estão reunidas em um museu perto da vila de Khokhlovka, a cerca de 40 quilômetros de Perm. Lá, pode-se ver uma torre de salmoura, uma casa de caldeira e antigos celeiros. Além de, é claro, casas de pessoas que se dedicavam à produção de sal até o início do século 20.

Site do museu 

  1. Taltsi, Região de Irkutsk

Fortalezas ostrog de madeira, paliçadas e alpendres compõem uma grande parte da história do desenvolvimento da Sibéria que ganha vida no museu Taltsi, a 40 quilômetros da cidade de Irkutsk. Foi fundado em 1969, quando a maior parte da vila foi inundada, devido à construção da Usina Hidrelétrica de Irkutsk. Com isso, os edifícios únicos foram realocados morro acima para preservação. Mais tarde, o museu recebeu edifícios de aldeias siberianas: assim, pode-se ver como tofalares, evenques e buriates viviam no passado.

Site do museu

LEIA TAMBÉM: Por que as cúpulas das igrejas russas têm forma de cebola?

Para ficar por dentro das últimas publicações, inscreva-se em nosso canal no Telegram

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies