As 10 estações mais bonitas da Ferrovia Transiberiana

Legion Media
Algumas delas são verdadeiras obras-primas da arquitetura.

Os russos têm um velho ditado: “Existem duas desgraças na Rússia: tolos e estradas”. Felizmente, isso não se aplica às ferrovias, como prova a lendária Transiberiana, que ostenta obras-primas arquitetônicas ao longo dos mais de 9.000 km de Moscou a Vladivostok.

1. Moscou

Komsomolskaya Pravda

A estação Yaroslavsky, de onde começa a jornada rumo a leste ao longo do Transiberiana, é uma obra de arte. Erguida no final do século 19, foi reconstruída no início do século 20 pelo arquiteto Fiódor Chekhtel. A decoração utiliza elementos do estilo russo, bem como Art Nouveau. A estação parece uma antiga torre russa, coroada por um telhado de quatro águas, como uma igreja russa medieval, e circundada por um “cinturão” de cerâmica turquesa.

2. Kirov

A cidade tem um importante terminal ferroviário, que conecta as rotas do norte, de São Petersburgo e Vologda, com os Urais e a Sibéria. O edifício da moderna estação foi construído em 1961 no estilo Império Estalinista, com arco, frontão com baixos-relevos e decoração de emblemas soviéticos tridimensionais.

3. Omsk

A principal estação ferroviária da cidade foi construída em 1958, também no estilo Império Estalinista. Majestosa, porém lacônica por fora, é luxuosamente decorada com mármore no interior.

4. Novosibirsk

A primeira estação (de madeira) em Novosibirsk foi inaugurada em 1896, e a cidade foi construída em torno da nova ferrovia. A estação de hoje é uma criação da década de 1930. O centro da fachada traz um arco triunfal, um elemento recorrente na arquitetura soviética.

5. Krasnoiarsk

A principal estação ferroviária desta importante cidade da Sibéria mais parece uma enorme galeria comercial. Logo que foi construída, em 1895, ganhou iluminação artificial, destacando-se em meio ao brilho noturno das lanternas das ruas. A estação adquiriu a aparência atual, incluindo o teto abobadado, no século 21, após reforma em grande escala.

6. Irkutsk

A estação ferroviária de Irkutsk foi construída nos anos de 1906 e 1907 e é um monumento arquitetônico de importância nacional. O edifício, construído no estilo classicista, lembra mais um palácio real do que uma estação ferroviária.

7. Sliudianka

Muitos estrangeiros jamais ouviram falar de Sliudianka, uma cidadezinha às margens do lago Baikal. No entanto, por ser atravessada pela Transiberiana, acabou se tornando um importante centro regional. A estação ferroviária é uma joia arquitetônica, construída no início do século 20 com mármore branco e rosa extraído localmente.

8. Ulan-Ude

O primeiro trem chegou a este ponto periférico do então Império Russo em 1899, o que impulsionou fortemente o desenvolvimento da cidade. A estação moderna foi construída em 1937, mas não era reformada há décadas, o que lhe conferia um aspecto sombrio. Foi finalmente reconstruída em 2019, e hoje os visitantes da capital da República da Buriátia são recebidos com um caleidoscópio de cores amarelo, verde e azul de inspiração budista.

9. Birobidjã

A estação na capital da Região Autônoma Judaica apresenta um design soviético vintage com arcos e pilastras, sem muita pretensão. A praça da estação é decorada com um tradicional menorá de ouro (castiçal de sete braços); além disso, há um monumento aos primeiros colonos que chegaram às terras do Extremo Oriente russo no final dos anos 1920.

10. Vladivostok

Já viu esse tipo de telhado em algum lugar antes, não? Isso mesmo, a estação central de Vladivostok é uma réplica da Yaroslavsky de Moscou e também é construída no estilo neorrusso. A ideia dos criadores é que a Ferrovia Transiberiana terminasse arquitetonicamente da mesma forma como começou. A estação, que fica ao lado do terminal portuário, teve o lançamento anunciado em 1891, na presença do futuro imperador Nikolai 2º.

LEIA TAMBÉM: Guia de sobrevivência para viagens de trem pela Rússia

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies