Guia de sobrevivência para viagens de trem pela Rússia

A verdadeira Rússia está no trem!

A verdadeira Rússia está no trem!

Kirill Kallinikov/RIA Novosti
Nove coisas que você pre-ci-sa saber antes de embarcar nessa canoa nada furada!

Se você for visitar a Rússia sem pacotes turísticos, nada melhor do que tomar um trem. A viagem é longa, mas você vai entender por que os russos são como são. 

A Gazeta Russa compilou uma lista de nove coisas que você precisa saber antes de embarcar nessa viagem!

1. Na Rússia, o tempo de viagem nunca é medido em horas, mas em dias. Existem, claro, os trens-balas, como o Sapsan, que cobre a distância entre Moscou e São Petersburgo em apenas quatro horas. Mas o Sapsan é algo mais para o "business class", enquanto a maioria dos russos quer economizar dinheiro e, portanto, opta por trens convencionais. Se o objetivo de sua visita não são negócios, mas a própria Rússia, baixe filmes e livros em seu tablet e suba em um trem.

2. Saiba que o trem convencional certamente não tem Wi-Fi e as tomadas ficam sempre no corredor. A empresa Russian Railways prometeu equipar todos os trens com acesso à internet, mas nunca disse quando. Por isso, envie todos os e-mails importantes antes de embarcar. Além disso, quanto mais você for se distanciando das grandes cidades, pode ir perdendo o sinal das operadoras.  

Foto: PhotoXPressCorredor de compartimento "platskart", o tipo mais barato que existe. Foto: PhotoXPress

3. A maioria dos compartimentos do tipo "kupê" em trens russos são equipados para quatro pessoas. Por o melhor é viajar em grupos de quatro. Assim, você não terá que se preocupar com quem será seu vizinho. O autor dessas linhas, por exemplo, teve que fazer o percurso inteiro de Sôtchi a Moscou com uma dama bêbada que alegava ser sua irmã.

4. Além dos compartimentos "kupê" de quatro lugares, existem ainda compartimentos de seis lugares que não são fechados por portas, os "platskart". Os bilhetes para esses são mais baratos, mas não são recomendados para aqueles que não curtem dormir com bebês chorando, torcedores de futebol, risadas histéricas e discussões de centros acadêmicos universitários. Se seu sono não for pesado como o de um urso, você poderá passar a noite em claro. 

5. Mesmo assim, o "platskart" tornará mais prováveis as chances de você, como estrangeiro, entender a Rússia. Eles quererão abrir os corações, contar como foram abandonados pelas esposas ou demitidos, como enterraram seus gatos, ficaram deprimidos e afundaram-se na vodca com peixe defumado. Eles irão obrigá-lo a tomar vodca - de verdade, eles não aceitam não como resposta - e insistirão tanto que você se sentirá obrigado a comer um pedaço de pão com mortadela. Se um europeu ou americano estranha tais situações, o brasileiro, provavelmente, há de se encantar com elas.

Alexander Shcherbak/TASSNo compartimento "platskart", mais barato, não há portas. Apesar da falta de privacidade, pode-se conhecer assim a Rússia como ela é e evitar o abafamento do "kupê". Foto: Aleksandr Shcherbak/TASS

6. Depois de despejarem a vida pessoal em você, os "habitantes" do "platskart" irão te oferecer comida e bebida - outra cousa que você poderá evitar pegando um "kupê". Como o custo-benefício dos vagões restaurante deixa a desejar, os russos trazem tudo de casa: de frango assado a ovos. Eles já começam a comer quando o trem percorre alguns centímetros. Não é por fome, é a tradição. E, se te oferecerem, aceite - caso contrário, os roncos alheios virão em dose dupla, e de propósito!

7. Se o trem na Europa é apenas um meio de transporte, na Rússia - provavelmente devido à extensão exagerada das viagens - ele é uma segunda casa. Não se surpreenda se, antes de o trem partir, seus vizinhos já estiverem vestindo moletons e chinelos. Os russos gostam de viajar com conforto.

8. Quando ainda era permitido fumar ali, as plataformas de trânsito entre vagões eram o lugar mais importante do trem. Certamente fumavam ali, mas, mais importante ainda era a reunião estabelecida no lugar, onde se falava sobre o destino da Rússia e tocavam violão. Hoje, não se pode fumar em lugar nenhum do trem. Mas se seu vizinho de compartimento saiu há muito tempo e ainda não retornou, é possível que ele esteja nesse saudoso espaço entre os vagões.

Serguéi Kárpov / TASSDetalhes que poderiam parecer toscos são romantizados depois do percurso. Foto: Serguêi Karpov / TASS

9. Um último detalhe, mas sem dúvida o mais pitoresco, são os copos de chá e os porta- copos. Por sua popularidade na cultura russa, esses acessórios ocupam uma posição entre a "Praça Vermelha" e o "Quadrado Negro". Sim, quando o trem parte, eles tilintam. Mas, imagine que são chocalhos e você entenderá porque na Rússia tanta gente diz que ama as viagens de trem. Pois é quase romântico o tilintar dos porta-copos, encher a cara com o vizinho em louvor ao amor não correspondido, a paradinha de cinco minutos para fumar, e a baita, baita, baita vastidão por trás da janela!

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.