Os 10 fenômenos naturais mais extraordinários da Rússia (FOTOS)

@_olgazima_
A maioria deles é, claro, ligada ao frio e ao gelo, mas só poderíamos esperar por algo assim vindo da Rússia!

1. Buracos na Sibéria

Foi em 2013 que se descobriu o primeiro poço de grandes proporções na tundra siberiana. As hipóteses mais populares sobre sua formação tinham a ver com experimentos militares, um ataque de meteoros e até extraterrestres. Logo as pessoas começaram a encontrar buracos gigantescos por toda a região.

Mas os cientistas refutaram todas essas teorias: as crateras, segundo eles, se formaram devido às explosões de metano em locais onde o permafrost derrete e deixa reservas gigantescas do gás acumulado. Qualquer faísca acidental criada pela fricção mineral é o suficiente para as explosões.

O grande problema é não há como prever quando e onde o próximo buraco se formará. Os territórios onde a terra surgiram esses buracos eram, em grande parte, desabitados, mas, em teoria, há áreas da Sibéria que apesar de pouco povoadas, podem sofrer com esse fenômeno natural.

2. Baikal Zen

Essa pequena maravilha natural só pode ser encontrada no Lago Baikal, o mais profundo do planeta. No inverno, ele fica coberto por uma grossa camada de gelo, enquanto pequenas pedras são sopradas da costa para a superfície. Durante o dia, sob os raios do sol, as pedras aquecem e derretem o gelo debaixo delas. A água descongelada é então soprada pelo vento, que a congela novamente, criando pequenos pedestais que elevam as pedras acima da água. São esses monumentos da natureza que receberam o nome de “Baikal Zen”.

3. Anéis de gelo do Baikal

As maravilhas de Baikal não terminam aí! Cientistas de diversos países quebram a cabeça para saber, por exemplo, como se formam os gigantescos anéis de gelo do Baikal no inverno. Por isso, eles enviaram uma expedição para lá. Os resultados dela foram divulgados em 2020.

Acontece que o fenômeno não tinha nada a ver com depósitos de metano, como se pensava antes, mas com correntes quentes subaquáticas — elas têm, em média, um a dois graus a mais que a água ao redor.

Os anéis foram identificados pela primeira vez em 1969. O maior já visto tinha quatro quilômetros de diâmetro.

4. Colunas de luz

Estas colunas de luz verticais no céu noturno parecem algo saído de um filme de invasão alienígena. O que cria o efeito raro é uma queda repentina na temperatura. O gelo no ar cristaliza quando a temperatura tem uma queda repentina de 10 a 20 graus Celsius. A umidade na atmosfera congela e cai na terra na forma de cristais. Esses cristais refletem a luz do brilho da cidade e outras fontes de luz, criando uma bela e enorme coluna de luz.

5. “Gordura” de gelo

Uma grossa camada de cristais congelados na superfície da água é conhecida como "gordura de gelo", apesar de se parecer mais com redemoinhos ou uma pintura de Van Gogh. Essas manchas congeladas são criadas quando um volume de água congela de forma desigual. Mais tarde, toda essa beleza se transforma em uma camada comum de gelo.

6. Esferas congeladas

Acontece também de a “gordura de gelo” se transformar em bolas, se houver grandes ondas presentes durante o período de congelamento, com a “gordura” rolando em pequenas bolas. Isso às vezes pode ser observado no Golfo da Finlândia — quando o fenômeno ocorre por lá, é chamado de "sopa báltica com almôndegas".

7. Nuvensdepérolas

Este fenômeno se refere às nuvens na estratosfera e deve seu nome ao seu brilho, que lembra pérolas. Na verdade, essas nuvens são feitas de gelo e são ainda mais raras que a Aurora Boreal. Elas normalmente aparecem no ponto de congelamento, que na estratosfera é de 85 graus Celsius negativos.

8. Cabelos de gelo

Outra forma extraordinária de gelo lembra uma mecha de cabelo. Ela “cresce” exclusivamente em árvores, especificamente em galhos velhos e podres. Assim, o fenômeno é fácil de detectar andando por uma floresta russa.

Os “cabelos” surgem à noite e desaparecem logo depois do nascer do sol. Os cristais de gelo se formam em temperaturas abaixo de zero, enquanto os "cabelos" prateados são criados por um fungo chamado Exidiopsis effusa. Como isso se dá ainda é um mistério, mas parece ser o trabalho de um composto especial, que atua como um “inibidor de recristalização”. Esses fios podem chegar a até 20 centímetros de comprimento e, surpreendentemente, são tão finos quanto o cabelo humano de verdade.

9. Rocamboles de neve

Esses rocamboles são o resultado de um esforço combinado entre o vento e a gravidade, embora muitos a princípio pensassem se tratar da obra de crianças na neve. O vento forte literalmente rola a neve em belos rocamboles colina abaixo.

Este fenômeno meteorológico é bastante raro, pois requer várias condições para ocorrer: a neve deve estar úmida e fofa, é preciso haver um tipo de inclinação e o vento deve ser forte o suficiente para rolar a neve em pequenos rocamboles sem destrui-los. Além disso, as temperaturas normalmente precisam estar alguns graus acima de zero.

Às vezes, porém, esses rocamboles podem atingir um metro de altura! A última vez que foram clicados foi no parque Neskutchni Sad, em Moscou. O fenômeno tornou-se viral imediatamente.

10. Blocos de gelo

Esses pedaços de gelo parecem montes de vidro estilhaçado. Às vezes, eles ficam quase na vertical, chegando a vinte metros de altura! Eles se formam quando uma camada fria de água congela, então se comprime sob pressão e se quebra. É uma ocorrência frequente no Oceano Ártico, mas também pode ser observada no Lago Baikal, assim como no Rio Nievá, em São Petersburgo.

VEJA TAMBÉM: Quase do tamanho de Sergipe, Alagoas e DF juntos, pântano russo continua a crescer

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies