6 monumentos pré-históricos russos simplesmente incríveis

Labirintos de pedra na ilha Bolchói Zaiatski.

Labirintos de pedra na ilha Bolchói Zaiatski.

Iliá Timin/Sputnik
Uma terra de cidades que produzem bronze, labirintos de pedra cultados, templos talhados em pedra, as carruagens mais antigas e tumbas megalíticas: eis uma lista dos locais pré-históricos mais incríveis da Rússia.

1. Dólmens do Cáucaso Ocidental (2500 anos antes de Cristo)

O Dólmen Volkônski.

Dólmens, tumbas megalíticas e santuários são tão numerosos nas montanhas do Cáucaso que os cientistas falam sobre uma “cultura do dólmen” especial ali por volta dos anos de 2500 a 2000 antes de Cristo. Existem cerca de 3.000 dólmens — dos quais apenas 6% foram escavados ou estudados. Geralmente, eles são como casas feitas de grandes lajes de pedra com orifícios na laje frontal. Os furos são fechados com pedras.

2. Petróglifos, várias regiões (pelo menos 12.000 anos antes de Cristo)

Petróglifo de Sikatchi-Alian.

Os petróglifos, esculturas de pedra pré-históricas que representam animais ou símbolos sagrados, podem ser encontrados em muitas partes da Rússia: na região de Altai, em diferentes partes da Carélia, no desfiladeiro de Argun na Tchetchênia, perto do lago Kanozero na região de Múrmansk etc.

Mas talvez os petróglifos mais impressionantes da Rússia, que datam de 12.000 a 9.000 anos antes de Cristo, possam ser encontrados no Extremo Oriente russo, 75 quilômetros a norte de Khabárovsk, na aldeia Nanai de Sikatchi-Alian.

3. Labirintos de pedra, região de Arkhânguelsk (500 a 1000 anos antes de Cristo)

O labirinto de pedra nas ilhas Solovetski.

Labirintos de pedra são objetos de culto do Norte. Eles podem ser encontrados principalmente na Suécia (onde existem cerca de 300), Finlândia (cerca de 150), Noruega (20) e na Rússia (cerca de 50), onde se concentram na Península de Kola e em várias ilhas no Mar Branco. Mas a maioria dos labirintos russos está na Ilha Bolchói Zaiatski (que é uma das ilhas Solovetski, na Oblast de Arkhânguelsk, na Rússia).

Estima-se que esses labirintos tenham entre 2.500 e 3.000 anos. Eles foram usados ​​para cultos e feitos com pedras locais. Cada um deles tem apenas uma entrada, que também funciona como saída. Existem 35 labirintos no total nas ilhas Solovetski.

4. Pictogramas dos Urais (mais ou menos 10.000 anos antes de Cristo)

Arte pré-histórica dos Urais.

Ao longo das margens do Rio Tagil, do Rio Neiva e do Rio Rej, na região dos montes Urais, foram encontrados vários pictogramas pré-históricos. Patos, gansos, cisnes, veados, alces, figuras antropomórficas, formas geométricas... a “galeria” é enorme, abrangendo mais de 90 localidades.

Os pictogramas foram pintados com ocre (provavelmente misturado com sangue) ou outras tintas naturais. Os primeiros pictogramas nesta área foram descobertos no final do século 17 e copiados em 1705. É muito difícil determinar a idade dos pictogramas, mas especialistas dizem que eles provavelmente são neolíticos (de cerca de 10.000 anos antes de Cristo).

5. Dólmens da Ilha de Vera, Região de Tcheliábinsk (2000 a 3000 anos antes de Cristo)

Entrada do principal complexo de santuários megalíticos na ilha Vera.

Na década de 2000, uma cultura dos dólmens à parte foi descoberta nos Urais - mais de 200 dólmens, menores que os do Cáucaso, criados por volta de 4000 anos antes de Cristo. O complexo mais significativo fica localizado em uma pequena ilha no arquipélago Vera, no Lago Turgoiak, região de Tcheliábinsk.

Estima-se que o complexo remonte ao 3000 ou 4000 anos antes de Cristo. Sua maior estrutura é uma construção de pedra de 19 por 6 metros esculpida na rocha e coberta com cimalhas megalíticas. A estrutura, aparentemente um tipo de templo, se orienta pelos pontos cardeais e tem janelas e esculturas de cabeças de animais. Existem mais de 40 monumentos na ilha, entre eles templos e uma pedreira pré-histórica usada para esculpir as pedras para o complexo.

6. A cultura de Sintachta, Sul dos Urais (2000 a 3000 anos antes de Cristo)

O sítio arqueológico visto de cima.

Na década de 1970, foram descobertos restos de várias cidades antigas no sul dos Urais, em um território de cerca de 350 quilômetros quadrados. Eles pertenciam à cultura arqueológica Sintachta.

Todas as cidades foram construídas na mesma época e têm muito em comum: tinham muros externos, sistemas de drenagem pluvial e compartilhavam uma arquitetura básica semelhante. As cidades eram povoadas por caucasianos que se dedicavam ao comércio e à produção metalúrgica: as cidades, a que tudo indica, produziam bronze. O povo da cultura Sintachta também usava carruagens, e o mais antigo desses objetos já descoberto foi encontrado nessa região, datando do ano de 2026 antes de Cristo.

Cidade de Arkaim em maquete.

Arkaim, descoberta apenas em 1987, é a cidade mais proeminente da área. Seu nome real é desconhecido e foram seus descobridores que a batizaram assim. Ela é uma estrutura em forma de círculo com cerca de 170 metros de diâmetro que possui uma área habitacional fortificada, dois cemitérios, estábulos e oficinas. Arkaim também produziu bronze e resistiu a incursões militares. A exploração arqueológica do local continua até os dias atuais.

LEIA TAMBÉM: Invasão mongol foi responsável pela formação da Rússia

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies