O que fazer no inverno em Iakutsk quando a temperatura despenca para -50ºC? Atrações não faltam

AFP
A principal atração nessa região é certamente o frio. Para aproveitar ao máximo, a melhor época para visita é entre meados de dezembro e fevereiro. Durante esses meses, a temperatura cai para -50ºC, e as ruas se enchem de neblina densa. Acredite ou não, existem maneiras inesquecíveis de se divertir em condições tão severas.

Lance “fogos de artifício de inverno” e tire selfies com neve

As baixas temperaturas são o melhor momento para soltar “fogos de artifício de inverno”. Para isso, basta ter um copo de água quente em mãos e temperatura abaixo de -35ºC. Vá lá fora e jogue a água. Nesse frio todo, a água quente congela instantaneamente, dando origem a uma espécie de fogos de artifício congelados. Para fotos espetaculares, Faça os “fogos de artifício” com o pôr do sol ao fundo.

Outra diversão em baixas temperaturas é a chamada “maquiagem” de neve, que se forma nos cílios e cabelos quando uma pessoa passa muito tempo em áreas externas. Quanto mais baixa a temperatura, mais rápido e mais espesso será a “maquiagem”. O melhor efeito é obtido quando a temperatura está abaixo de -35°C. Para acelerar o processo, cubra a boca com a palma da mão ou cachecol e bafore intensamente para garantir que o ar quente suba. Alguns segundos e pronto – agora é só tirar a selfie.

Vá à feira de peixes e... pesque

Na Iakútia, existe o hábito de congelar peixe fresco para ser vendido na rua. E o mercado de peixe tornou-se uma verdadeira atração no inverno, com uma variedade de cores que lembram buquês de flores.

O principal mercado da cidade é o Campesino, que fica cerca de 15 minutos a pé da praça central Lênin. Ali é possível comprar os peixes mais populares da Iakútia, como Coregonus nasus(espécie da família dos salmões), omul, salmão branco siberiano (nelma) ou carpa dourada, além de tirar algumas fotos para lá de interessantes.

Para quem tiver tempo e gostar de pescar, vale a pena também reservar uma excursão de um dia com pesca no rio Lena congelado. O preço varia entre 54 dólares (3.500 rublos) e 186 dólares (12.000 rublos), dependendo do número de pessoas. O passeio inclui transporte, aluguel de equipamentos, chá quente e um almocinho.

Dê um rolê de trenó puxado por cães

O trenó puxado por cães é um transporte tradicional nas aldeias do norte. O criadouro mais importante da Iakútia está localizada no complexo etnográfico Tchotchur Murán, onde estão disponíveis trenós de cachorro de novembro a março, período em que há neve. Também é possível almoçar/jantar em um restaurante que serve culinária local.

A entrada no complexo é gratuita, mas, se você planeja jantar e fazer uma excursão, é melhor reservar com antecedência. O passeio custa US$ 2,3 (150 rublos) por pessoa, dura entre 1,5 e 2 horas e pode ser contratado em inglês. Um passeio de trenó puxado por cães de 10 a 15 minutos pelo complexo sai por US$ 4,6 (300 rublos).

Também há opção de viagem de duas horas até a árvore xamã. Um instrutor acompanha em uma motoneve e é possível dirigir o trenó. A viagem custa 70 dólares.

Uma excursão de vários dias, incluindo acomodação, todas as refeições, treinamento de trenó e longas corridas, pode ser contratada a partir de 780 dólares.

Experimente a culinária dos iacutos

Na Iakútia, os visitantes têm a chance de experimentar carne de cavalo – e muito peixe. O prato de peixe mais popular é o stroganina, que vem congelado e cortado em pedaços finos. Mas também se faz stroganina com carne de cavalo congelada.

Para aqueles que acham muito exótico comer carne ou peixe crus, os restaurantes oferecem pratos adaptados e baseados em produtos locais tradicionais: salamat (mingau com manteiga), carne cozida, carpa frita, e salsichões, dentre mais opções.

Muitos restaurantes também servem pratos nacionais com uma releitura clássica ou moderna. Os estabelecimentos especializados em cozinha local são Tygyn Darjan, Majtal e Reka.Ozero.Les – todos localizados a curta distância do centro da cidade.

Visite os Pilares de Lena, o milagre da natureza

O Parque Nacional dos Pilares de Lena, composto por rochas resultantes do processo erosivo há mais de 400.000 anos atrás, está presente na Lista de Patrimônio Imaterial da Unesco.

Essa construção natural está localizada no distrito vizinho de Khangalas, mas não é difícil chegar lá. Para vê-los em toda a sua glória no inverno, é melhor ir no final de fevereiro, quando as geadas e névoas diminuem um pouco.

Oficialmente, a temporada turística nos Pilares de Lena começa no início de março e termina em meados de abril. No inverno, chega-se de carro, primeiro na estrada e depois diretamente pelo rio Lena congelado. Esta viagem dura entre até cinco horas.

É possível organizar a viagem por meio da administração do parque nacional, que oferece passeios de carro. Inclusive, os interessados podem obter um guia em inglês.

Também há possibilidade de entrar em contato com agências locais que organizam viagens ao longo do ano. Uma excursão de inverno de um dia custará US$ 39 por pessoa para um grupo de oito, e uma viagem individual sai até US$ 225 por pessoa.

Mergulhe no permafrost e veja mamutes

Na Rússia, existem apenas dois museus dedicados ao permafrost, e um deles fica em Iakutsk. Foi criado a partir laboratório geocriológico subterrâneo do Instituto de Ciências do Permafrost. Em 2015, o jornal britânico “The Daily Telegraph” incluiu este laboratório na lista dos 20 monumentos mais interessantes da Rússia. O museu fica aberto em dias úteis, e as visitas guiadas são organizadas mediante agendamento.

Outro lugar relacionado ao frio é o Reino do Permafrost, situada em uma antiga galeria no sopé da colina Thotchur-Murán, que costumava ser uma imensa geladeira natural, onde carne, peixe e outros produtos eram armazenados em volumes industriais. Os visitantes podem visitar a residência de Ded Moróz (o Papai Noel russo), admirar as enormes esculturas de gelo, ir a um bar congelado ou deslizar por um escorregador de gelo. Os ingressos custam 8 dólares (500 rublos).

Por último, mas não menos interessante, vale a pena fazer uma visita ao Museu do Mamute, já que, na Iakútia, existem várias múmias desses animais pré-históricos. A idade de alguns deles ultrapassa 12.000 anos. Além disso, no Museu de Estudos Regionais do Norte, confira também o esqueleto do mamute Tiriakhtiakh, um dos poucos esqueletos de mamutes adultos que podem ser vistos ainda hoje.

O que levar para Iakútia durante o inverno?

A regra principal é a seguinte: quem se esquenta bem não congela. Portanto, antes de viajar, garanta várias roupas quentes. São imprescindíveis os seguintes itens:

- Um gorro grosso de pele, de preferência uma ‘uchanka’, que cubra orelhas e a testa. Se tiver um casaco com capuz, basta acrescentar um gorro de lã;

- Conjunto de roupa térmica e polar (calças e camiseta);

- Meias de lã ou térmicas – o melhor mesmo é levar as duas;

- Botas altas com forro de pelo e tamanho um ou duas vezes maiores (para usar meias grossas). Na Iakútia, costuma-se usar botas tradicionais ‘unti’, mas, para quem planeja ficar na rua por pouco tempo, sapatos de couro serão suficientes;

- Luvas – é melhor levar, pelo menos, dois pares;

- Cachecol quente para cobrir rosto e pescoço.

LEIA TAMBÉM: Os 7 melhores lugares para ver a aurora boreal na Rússia; assista a vídeos

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies