A bordo do metrô de Moscou: linha cinza e a árvore das nações soviéticas

Ao contrário do que possa sugerir o nome, as estações na linha cinza do metrô moscovita são bastante coloridas. A maioria é dedicada a temas ou personalidades de renome; para quem é fã de química, drama ou história, a viagem vale a pena.

Savelovskaya (lê-se Saviólovskaia)

A estação Savelovskaya tem decoração dedicada à história do transporte público. Nela há quatro mosaicos de cobalto em uma parede que exibem uma carruagem puxada por cavalos, uma locomotiva a vapor, um trem elétrico e uma locomotiva.

Os mosaicos na parede oposta são os mesmos, apenas com cores diferentes.

Mendeleyevskaya (lê-se Mendeléevskaia)

A Mendeleyevskaya faz grande sucesso entre os aficionados por química. Aliás, químicos russos participaram ativamente do design dessa estação, obviamente dedicada ao prestigiado cientista russo Dmítri Mendeleiev. Não é a toa que entre os ornamentos estão imagens incomuns da densidade de elétrons de moléculas nas paredes. As lâmpadas foram projetadas como reticulados de cristal, e pode-se ver baixos-relevos de Mendeleiev e a tabela periódica no final do corredor.

Além disso, no saguão de entrada há um monumento a todos os cães que vagam pelas ruas, conhecido como “Compaixão”. Essa obra foi inspirada em um cãozinho vira-lata chamado Menino, que morava na estação e foi esfaqueado em 2001. 

Tsvetnoy Bulvar (lê-se Tsvetnói Bulvár)

Esta é a estação mais próxima de um dos circos mais antigos da capital: o Circo de Moscou no Tsvetnoy Bulvar. Daí veio a inspiração para decorá-la. Ao descer, pode-se ver, por exemplo, um enorme vitral colorido intitulado “Artistas de circo”.

Chekhovskaya (lê-se Tchékhovskaia)

Essa estação é imperdível para quem aprecia as obras do dramaturgo russo Anton Tchekhov. As paredes da Chekhovskaya são adornadas com mosaicos baseados nos dramas do autor. As lâmpadas apresentam ramos de flores e tapeçaria metálicas.

Borovitskaya (lê-se Borovítskaia)

A estação Borovitskaya recebeu esse nome em homenagem a uma das torres do Kremlin de Moscou, que está situado nas proximidades, e a fortaleza tornou-se tema principal da decoração. No final do corredor, há uma imagem conhecida como “Árvore das nações soviéticas”: uma árvore enorme crescendo no Kremlin de Moscou, e entre as folhas estão imagens de representantes típicos de todas as nações soviéticas vestidos com trajes nacionais – da Ásia Central aos Bálticos.

O mármore branco no projeto da estação simboliza o Kremlin até o século 15, quando ainda era de pedra branca; já o revestimento de tijolos vermelhos refere-se à sua aparência atual. Em alguns dos tijolos, é possível identificar miniaturas feitas em um estilo primitivo e antigo, incluindo uma fortaleza de pedra, golfinhos nadando no mar, armas, carros e um cosmonauta, entre outros elementos.

Nagatinskaya (lê-se Nagátinskaia)

Quase todas as paredes nessa estação está decoradas com imagens gigantescas dedicadas à história antiga de Moscou. Construtores do Kremlin, cronistas, artistas e guerreiros estão entre os personagens à mostra.

Chertanovskaya (lê-se Tchertánvoskaia)

Enquanto a Nagatinskaya apresenta os construtores da Moscou antiga, a Chertanovskaya se dedica aos construtores da nova Moscou soviética. Um enorme mosaico sobre o tema pode ser visto no chamado saguão de entrada do sul. 

Nakhimovsky Prospekt (lê-se Nakhímovski Prospékt)

Essa estação tem como tema central o almirante russo Pável Nakhimov, que conquistou uma vitória decisiva sobre a frota otomana na Batalha de Sinop (1853), o último grande conflito na era de embarcações à vela. Logo acima do acesso para as escadas-rolantes há um medalhão com o perfil do almirante, e, no lado oposto, encontra-se uma composição com a carranca da proa e âncoras de um navio.

Sevastopolskaya (lê-se Sevastópolskaia)

Nas paredes dessa estação, dedicada à vitória heroica de Sevastopol durante a Grande Guerra Patriótica, há diversos mosaicos coloridos, com imagens dos principais pontos turísticos da cidade e da Frota do Mar Negro soviética.

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies