Complexo oferece hospedagem na casa de Stálin em Sochi

Fachada de antiga residência de Stálin em Sochi

Fachada de antiga residência de Stálin em Sochi

Reuters
Tire um cochilo no quarto do ex-líder soviético e tente a sorte com o taco de sinuca especialmente concebido para ele. Embora simples, acomodação oferece viagem ao tempo.

Os boatos sobre a saúde debilitada de Iossef Stálin começaram a circular na Alemanha antes de se do outro lado do Atlântico em setembro de 1936. Os jornais sugeriam que Stálin estava tão doente que não poderia no comando da URSS.

Moscou negava as alegações com veemência e oferecia uma explicação alternativa para a ausência pública excepcionalmente prolongada do líder: Stálin, segundo eles, estava de férias à beira do mar Negro em Sochi, a 1.500 km ao sul da capital.

A verdade é que Stálin realmente sofria com problemas nas articulações e nos pulmões e acreditava que os banhos Matsesta de Sochi tinham propriedades curativas. Além disso, sua nova residência de Sochi foi enfim concluída naquele ano.

Hospedagem histórica

Atualmente é possível se hospedar nos cômodos anteriormente ocupados por Stálin, alugando um dos quartos da datcha (casa de veraneio) do ex-líder em Sochi.

O complexo de cor verde está situado em uma colina sobre o sanatório Zelenaya Rocha (Bosque Verde). O ambiente é bastante espartano: os quartos pequenos estão entulhados de móveis soviéticos antigos e iluminação fraca. Podem não ser a que o viajante moderno está acostumado, mas, pelo menos, trata-se de um cenário autêntico.

“Esse não é um museu, não fazemos anúncios e não temos site nem bilheteria”, diz um guia local que leva turistas ao redor do complexo. Após a morte de Stálin, em 1953, cerca de 20 residências de repouso foram deixadas sem uso. Nikita Khruschov, o arquiteto da destalinização, deu as datchas a autoridades locais para que elas fizessem o que bem entendessem. Como Sochi era considerada um lugar de refugio, as autoridades construíram um sanatório. Em 1968, os 12 quartos – incluindo o anteriormente reservado para Stálin – receberam os primeiros visitantes.

A residência continua a ser parte do complexo de hóspedes, o que às vezes cria problemas para seus funcionários. “Uma vez nos pediram para receber convidados importantes em um passeio pela datcha, mas seus quartos estavam todos ocupados por residentes. Então, levamos rapidamente todos os moradores da datcha para um passeio improvisado por Sukhumi, a 150 quilômetros a sul de Sochi, enfiamos todo mundo em um ônibus e fomos para Abecásia. Nesse meio tempo, os convidados importantes deram uma volta pela residência de Stálin”, contou um funcionário local.

Este ano, parte da residência de Stalin em Sochi está passando por reforma. Os visitantes podem fazer um passeio pelo complexo – que não é afetado pelas obras –, embora os quartos dessa parte do edifício não estejam disponíveis no momento.

Quando a restauração for concluída, no ano que vem, será possível se hospedar em todos os quartos antes ocupados por Stálin, membros de sua família e companheiros próximos. Até lá, o espaço oferece a oportunidade jogar o xadrez ou a sinuca do ex-líder soviético (com taco especificamente modificado para sua mão) e tirar uma foto com uma imagem realista de cera do próprio Generalíssimo.

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Leia mais