Os 10 maiores requisitos para um típico Ano Novo russo

Foto: Lori/Legion Media

Foto: Lori/Legion Media

A noite do réveillon é especial na Rússia. É, de longe, a festa mais importante do ano e, por conseguinte, muitas tradições estão associadas com a sua celebração. Muitos desses rituais são bem específicos da Rússia e diferem de como as outras pessoas ao redor do mundo comemoram a passagem do ano. A Gazeta Russa reuniu as 10 coisas que você precisa para ter para um Ano Novo verdadeiramente russo.

Ded Moroz e Snegurotchka

O Ocidente pode até ter o Papai Noel, mas este dificilmente consegue competir com "Ded Moroz" (Vovô Frio) ou com sua neta "Snegúrotchka" (Donzela da Neve). Ao contrário do Papai Noel, o Ded Moroz não tem medo de ‘dar as caras’ e vai muitas vezes às festas na companhia da Snegúrotchka para entregar pessoalmente os presentes. O Ded Moroz vive perto da cidade de Velíki Ustiug (na região de Vologda) e a Snegúrotchka vive, supostamente, em Kostroma, no Volga.

A Iôlka

As árvores de Natal foram proibidas logo após a revolução, mas foram posteriormente reintroduzidas na forma de ‘novogódnaia iôlka’ (pinheiro de Ano Novo) em 1935, como símbolo da festa secular. Essas árvores são normalmente pequenas e muitas vezes feitas de plástico, mas continuam tendo grande simbologia e sendo importantes para os russos.

Celebridade, Vovô Frio e vapor

Muitos países têm filmes que exibem tradicionalmente nessa época, mas poucos podem se igualar por sua música e vapor ao clássico soviético “Ironia do Destino ou Desfrute da Sauna” (1975). O filme conta a história de Jénia, que pretende passar a véspera do Ano Novo com a sua noiva. No entanto, antes disso, e seguindo a tradição anual, ele vai passar a tarde com os amigos na sauna. Eles saem da sauna bastante embriagados e, por acidente, Jénia acaba entrando em um avião que o leva para Leningrado. Ainda embriagado, ele pega um táxi e diz ao motorista que o leve para a Rua do Terceiro Construtor, que é o seu endereço em Moscou. Estranhamente, o edifício é igual ao seu e a chave abre a porta daquele que ele julga ser o seu apartamento, no qual ele acaba por adormecer e ser depois despertado pela incrédula Nádia, a verdadeira dona do apartamento. No final eles se apaixonam e os russos não se cansam nunca de assistir a este filme. Programas televisivos como Goluboi Ogoniôk (Pequena Faísca Azul), Pésnia Goda (Canção do Ano, que mostra as maiores celebridades do jet set) e o filme infantil Morozko (Avô Gelo) são programas adicionais da noite de ano novo.

Saladas

O Ano Novo simplesmente não é Ano da Novo se não tiver saladas. Não nos referimos às saladas light de verduras, mas às ‘obras de arte’ recheadas de maionese e ricas em proteína. Os russos consomem anualmente 2,5 kg de maionese per capita e em nenhum momento esse consumo é tão efusivo como na mesa no Ano Novo. A salada Olivier é geralmente feita com maionese, batata, cenoura, picles, ervilhas, ovos e frango ou mortadela. O Ano Novo literalmente não existe se não houver esta salada na mesa. A ‘seliodka pod chuboi’, ou ‘arenque debaixo do casaco’, é um carnavalesco prato colorido em camadas e preenchido com arenque, batata, cenoura, beterraba, cebola e maionese. É a beterraba que lhe dá a cor arroxeada.

Tangerinas

Supostamente, esta foi uma tradição que teve início no reinado de Nicolau II. No entanto, foi interrompida por décadas devido à dificuldade que a União Soviética tinha em cultivar ou importar essa fruta. Voltou a surgir em torno da década de 1970 e continua sendo uma das principais iguarias da mesa do Ano Novo russo.

Champanhe e caviar

Nada era mais "proletário" no paraíso do trabalhador do que champanhe e caviar. Foi precisamente no período soviéticos que, ao se tornarem artigos mais difícil de conseguir, se tornaram também parte da tradição de Ano Novo. O champanhe é geralmente do tipo Sovietskoie em todo o lugar, desde a Kamchatka até Brighton Beach. Já o caviar costuma ser do vermelho e vem servido no pão com manteiga.

Meia-noite com Putin

Independentemente da filiação política, os russos ao redor do mundo têm por hábito se sintonizar para escutar os desejos de Feliz Ano Novo do presidente da Rússia. Assim que ele termina, a torre do relógio da Praça Vermelha começa a tocar as badaladas, fogo de artifício estoura no ar e se entra oficialmente no novo ano.

Sair de casa só DEPOIS da meia-noite para visitar amigos e passear pela cidade.

Para os russos, o Ano Novo é uma festa familiar e as celebrações ocorrem com os parentes mais próximos na noite de 31 de dezembro, onde se fazem os tradicionais brindes de despedida ao ano que termina. Nessa noite chamadas telefônicas são feitas para os parentes que moram longe. É só depois da meia-noite é que as pessoas começam saindo verdadeiramente para a festa. Muitos clubes só dão início ao seu programa principal à meia-noite e meia ou até mais tarde.

Fogo de artifício

Como me disse uma vez certa pessoa, não tem Ano de Novo se você não vir o equivalente ao orçamento de um pequeno país estourando no ar em fogo de artifício. O primeiro Ano Novo que eu passei na Rússia, na cidade industrial de Toliatti, envolveu horas de comemorações em casa antes de ir junto com toda a família para a rua, depois da meia-noite, para ver toda a cidade declarando guerra na praça central. Os fogos foram intensos, fortes e brilhantes e são uma parte integrante de toda a comemoração de Ano Novo na Rússia.

A véspera de Ano Novo é apenas o começo

Talvez a melhor parte do Ano Novo russo seja mesmo o fato de sabermos que não temos que voltar ao trabalho no dia seguinte e nem mesmo no outro dia a seguir. Em 2015 os russos só tiveram que regressar aos seus escritórios no dia 12 de janeiro. São 11 dias para se livrarem do ressacar.

 

Confira outros destaques da Gazeta Russa na nossa página no Facebook

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.