“Black Russian”, o coquetel com vodca da embaixatriz americana (RECEITA)

Legion Media
Descubra como fazer este famoso coquetel e o que a Guerra Fria entre a URSS e os EUA tem a ver com ele.

Em 1949, a embaixatriz dos Estados Unidos em Luxemburgo e socialite Perle Mesta se hospedou no Hotel Metropol em Bruxelas: foi aí que surgiu o hoje lendário coquetel “Black Russian”, conhecido por bares mundo afora.

Reza a lenda que a embaixatriz foi ao bar do lobby do hotel e o barman, Gustave Tops, preparou para ela um coquetel à base de vodca e licor de café mexicano. Não se sabe quem inventou o nome "Black Russian", mas a embaixatriz adorou a nova mistura, que passou a fazer parte do cardápio do hotel.

Hoje, o "Black Russian" faz parte também da lista de coquetéis oficiais da Associação Internacional de Bartenders, na categoria "Clássicos Contemporâneos". Ele foi o pioneiro mundial na categoria de coquetéis com café.

Por que "russo" e por que "preto"?

Da esq. para a dir., Perle Mesta é a terceira pessoa, seguida do presidente Truman e Margaret Truman.

O principal ingrediente deste coquetel é a vodca, frequentemente associada aos russos. O segundo é o licor de café, que dá ao coquetel um tom marrom escuro. Mas existe outra hipótese para a origem do nome, segundo a qual o “russo” do nome ficou negro por causa das relações exacerbadas do pós-guerra entre os EUA e a URSS e o início da Guerra Fria.

Como fazer o coquetel Black Russian

Para fazer o “Black Russian”, deve-se colocar a vodca (50 ml) em um copo baixo (o chamado “old fashioned”). Adicione então o licor de café Kahlúa (25 ml) — caso você não encontre este, pode substituí-lo por qualquer outro licor de café. Adicione gelo picado ou em cubos (100 g) e mexa. O resultado é uma bebida moderadamente doce e forte, com notas de café.

Em que o "Black Russian" difere do "White Russian"?

O personagem de “O Grande Lebowski” aparece 9 vezes com o coquetel na mão durante o filme dos irmãos Coen.

O coquetel White Russian tornou-se popular após o filme dos irmãos Coen, “O Grande Lebowski” (1998), no qual o personagem principal, Jeffrey, aparece em cena com este coquetel 9 vezes. Não importa o que aconteça ao seu redor, ele está calmo bebendo "White Russian". Na verdade, este coquetel é uma versão do “Black Russian” com proporções ligeiramente alteradas e creme.

E se adicionarmos Coca-cola ou limão?

Muitas variações foram inventadas com base no "Black Russian". Servindo-o em um copo alto e adicionando Coca-cola, por exemplo, ele vira o "Black Dirty Russian", também conhecido como "Tall Black Russian", "Australian Black Russian" ou "Colorado Bulldog".

Se você adicionar cerveja irlandesa "Guinness", o "Black Russian" vira"Irish Russian" ou "Soft Black Russian", e se você despejar nele ginger ale, vira "Brown Russian".

A versão “Black Magic” também é muito popular e leva suco e casca de limão como decoração. Na Rússia, um coquetel semelhante foi carinhosamente apelidado de "Ninochka", em homenagem à comédia norte-americana de mesmo nome (1939) com Greta Garbo no papel principal, que rende nome ao título.­­

LEIA TAMBÉM: Pratos mais que russos que fingem ser estrangeiros

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies