Trança recheada com cereja traz sabor do verão russo à sua mesa; aprenda receita

Victoria Drey
Pletiónka com frutas vermelhas é o símbolo supremo da pastelaria “trançada” na Rússia – e do início de temperaturas mais altas no país.

A chamada “pastelaria trançada” sempre teve um lugar de destaque na culinária russa. Minha avó lembra de sua mãe muitas vezes assando diversos tipos de doces trançados: com diferentes recheios, doces e salgados, ou mesmo sem nada. Eles o chamavam de “pletiónka”, que em russo significa literalmente “pão trançado”.

É provável que essa tradição tenha chegado da culinária judaica, especialmente do quitute trançado mais icônico de todos os tempos – chalá, um pão trançado especial que é consumido no Shabat (sábado) e nas festas judaicas.

LEIA TAMBÉM: 7 brincadeiras russas para entreter as crianças no verão 

Esta é, certamente, uma das receitas mais fáceis de pastelaria trançada. A trança de cereja, ou pletiónka, era um dos pratos favoritos de meu pai durante sua infância: minha avó costumava prepará-lo no verão – até o final da temporada de cerejas –, mas também ao longo do ano – usando frutas congeladas. Combina perfeitamente com massa quebrada, mas também com massa fermentada – a qual prefiro mais.

Ingredientes para a massa

300g de farinha de trigo

125 ml de leite

15g de fermento biológico fresco

1 ovo

5 colheres de sopa de açúcar

50g de manteiga

1 colher de sopa de óleo vegetal

1 colher de chá de açúcar ou extrato de baunilha

Pitada de sal

Ingredientes para o recheio

400g de cereja

3 a 5 colheres de sopa de açúcar

1 a 2 colheres de sopa de amido de milho

1 gema de ovo para pincelar

Açúcar de confeiteiro para polvilhar 

Modo de preparo

Comece pela ‘pré-massa’ – isto é, uma espécie de base para a sua massa fermentada. Em uma tigela misture leite morno, 1 colher de sopa de açúcar, 2 colheres de sopa de farinha e fermento.

Cubra com filme plástico e deixe em um canto morno por meia hora para que a levedura seja ativada. A massa deve crescer, formando pequenas bolhas de ar – isso indica que a levedura está fazendo seu trabalho direitinho.

Em seguida, adicione um ovo à mistura, o restante de açúcar, o açúcar ou extrato de baunilha, bem como óleo vegetal e uma pitada de sal. Bata a mistura até se tornar homogênea, acrescente a farinha peneirada restante e comece a sovar a massa, seja com a ajuda de uma batedeira apropriada ou com as mãos mesmo.

Adicione manteiga à temperatura ambiente, sove a massa por mais alguns minutos e faça uma bola com o resultado final. A massa deve estar macia e elástica.

Coloque a bola em uma tigela grande e limpa e deixe crescer sob filme plástico em um local quente por uma hora. Na sequência, sove a massa e transforme-a novamente em uma bola; deixe descansar por mais ou menos uma hora.

Enquanto isso, tire os caroços das cerejas, adicione uma pitada de amido de milho e reserve.

Polvilhe levemente a superfície da pia com farinha, abra a massa em formato oval e polvilhe a parte central com amido de milho.

Espalhe as cerejas sobre o amido de milho e polvilhe as frutas com um pouco de açúcar; em seguida, com mais amido de milho para que o recheio não escorra enquanto estiver assando. Faça cortes paralelos nas bordas da massa, como na foto.

Para fazer a trança, primeiro dobre as abas superior e inferior para cobrir todo o recheio. Depois, comece a dobrar as tiras laterais sobre as frutas: uma da direita, uma da esquerda, uma da direita, outra da esquerda, e assim por diante até terminar.

Cubra a trança já fechada com um pano de prato e deixe descansar por cerca de 20 minutos. Pincele a superfície com gema misturada com uma colher de leite ou água.

Leve ao forno a 180°C por 25 a 30 minutos, até que a parte superior da trança esteja dourada e brilhante.

O último passo é o mais difícil – é preciso esperar até que a trança tenha esfriado por completo antes de se entregar a essa incrível massa; caso contrário, o recheio de cereja quente pode vazar. Polvilhe a trança de cereja generosamente com açúcar de confeiteiro e – pronta para atacar. 

Priátnogo appetita!

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies