Como a União Soviética se apaixonou por imitação de carne de caranguejo; aprenda receita

Legion Media
A salada de kani é um dos três pratos indispensáveis da mesa russa de Ano Novo. No entanto, ao contrário das outras duas, Olivier e Arenque sob Casaco de Pele, receita é pura simplicidade.

A salada de kani-kama, o bastão feito com peixe e sabor imitação de carne de caranguejo, é uma versão russa de pratos conhecidos mundo afora. Foi inventada por donas de casa soviéticas no final dos anos 1980, quando a verdadeira carne de caranguejo era item de luxo, e o kani era uma imitação aceitável da saborosa iguaria.

O “substituto” era inicialmente vendido por peso. Muitos até acreditavam que os bastõezinhos eram realmente feitos com carne de caranguejo, e ficavam um pouco decepcionados ao saber que o verdadeiro ingrediente era proteína de peixe processada (surimi) ou peixe branco picado. Mas nem isso diminuía a paixão popular.

LEIA TAMBÉM: Como a União Soviética socializou a culinária 

Além disso, nem mesmo a receita da salada era – ou continua a ser – unânime. Alguns devotos acrescentam batatas, outros optam pela inclusão de cebolas, tomates, ervilhas, queijo e ameixas. Mas a variedade mais popular e comum é com arroz e milho.

Ingredientes:

  • 200 g de kani
  • 3 ovos
  • 1 pepino
  • 3 colheres de sopa de milho (em lata)
  • 3 colheres de sopa de arroz
  • Maionese, sal e pimenta a gosto 

Modo de preparo:

1. Prepare o arroz em água levemente salgada.

2. Pique os bastões de caranguejo em pedaços pequenos.

3. Lave e corte o pepino em pequenos cubos. Remova a pele se estiver dura. Para um sabor levemente picante, use pepinos em conserva, em vez de fresco.

4. Ferva os ovos, descasque e pique-os.

4. Misture o kani, o pepino, os ovos, o arroz e o milho.

5. Tempere a salada com maionese, sal e pimenta. Adicione endro ou salsinha, se desejar. 

6. A salada pode ser moldada com formas especiais ou com um copo normal.

Priátnogo appetita!

Quer receber as principais notícias sobre a Rússia em seu e-mail? 
Então assine nossa newsletter semanal ou diária.

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies