Guia de sobrevivência na Epifania ortodoxa

Saiba como aderir à tradição russa de mergulhar em um buraco no gelo sem prejudicar a saúde.



O ritual de mergulhar em um buraco aberto no gelo chegou à Rússia por um antigo povo nômade chamado cita. O objetivo então era fortificar a saúde dos filhos. Pouco a pouco, o costume foi sendo assimilado pela festa ortodoxa da Epifania, ou Batismo de Jesus, celebrado em 19 de janeiro.

Após a cristianização da Rússia, em 988, a celebração do Batismo de Jesus se tornou uma das principais festas religiosas do país. Na véspera da festa, são abertos buracos em forma de cruz nos rios e lagos congelados – esses buracos são chamados de “jordânicas”, em referência ao rio Jordão, onde Jesus Cristo foi batizado.

Na noite de 18 para 19 de janeiro, romarias encabeçadas por um sacerdote seguem rumo a essas aberturas no gelo. O sacerdote benze a água, mergulhando nela a cruz por três vezes e fazendo uma oração. A partir dali, durante 24 horas, as águas dos rios e dos lagos, e até das torneiras domésticas, são consideradas sagradas. Por isso, devem ser usadas para se lavar, beber e até curar doenças.

Xô, satanás!

O costume de mergulhar em águas bentas no gelo não se popularizou de imediato. Inicialmente, no período de Sviátki (12 dias depois do Natal ortodoxo, festejado em 7 de janeiro), mergulhavam apenas os que desempenhavam o papel de mascarados. Segundo a tradição pagã, essas pessoas usavam máscaras de animais e entretinham o povo com canções populares e folclóricas, chamadas de “kaliadki”.

Na festa do Batismo de Jesus, eles procuravam “lavar de si a imagem da besta”, mergulhando com a cabeça na gélida água sagrada. Com o tempo, a tradição se espalhou. Hoje acredita-se que, mergulhando três vezes no buraco de gelo, as pessoas “lavam os pecados” acumulados durante o ano todos.

Mas muitos mergulham por razões não religiosas; o mergulho virou também uma forma de se testar, fortalecer a saúde, experimentar sensações novas ou simplesmente se divertir.

Bê-a-bá do mergulho

Aliás, não é obrigatório ser russo e ortodoxo para participar desta festa popular. O mais importante mesmo é estar aberto a coisas novas e cumprir as 10 regras de segurança a seguir:

1. Se você sofre de doenças cardíacas, respiratórias, do sistema nervoso e/ou diabetes, limite-se a lavar o rosto e as mãos, em vez de mergulhar. 

2. Comece a se preparar para o mergulho de antemão. Dois dias antes, tome duchas de água fria, prolongando gradualmente o tempo do banho.

3. Não se esqueça de levar de casa chinelos de borracha, toalha, maiô/biquíni/sunga e uma muda de roupa.

4. Se é a primeira vez, mergulhe na companhia de banhistas experientes sob vigilância de um salva-vidas e um médico.

5. Antes do banho, coma uma pequena quantidade de comida gordurosa, por exemplo, um naco de toucinho – mas sem exagerar!

6. Agasalhe-se bem: meias de lã, luvas, gorro e cachecol são aconselháveis.

7. Antes de mergulhar, faça exercícios para aquecer os músculos. Pode ser, por exemplo, 10 a 15 flexões.

8. Entre na água pouco a pouco. Quando estiver com a água pelo peito, segure a respiração e enfie a cabeça três vezes debaixo d’água.

9. Os iniciantes não devem ficar na água por mais de 10 segundos. Depois de saírem, devem se enxugar e se vestir rapidamente. Também não é aconselhável rolar na neve: este é um divertimento para banhistas experientes.

10. Não beba bebidas alcoólicas fortes ao livre, pois assim elas não aquecem. O melhor é tomar um chá quente com mel.

Você sabia...que em Moscou há cada vez mais locais apropriados para a celebração da Epifania? Junto aos buracos em cruz, são instalados balneários aquecidos, que contam com o suporte de salva-vidas e médicos. Neste ano quase 90 mil pessoas deram um mergulho em águas gélidas na capital e 2 milhões na Rússia inteira.

 

Confira outros destaques da Gazeta Russa na nossa página no Facebook

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.