Os Romanov eram parentes dos Ruríquida, a dinastia russa anterior?

Russia Beyond (Foto: Domínio público; Apollinári Vasnetsov)
Dúvida persiste na cabeça de muitos ainda hoje.

Primeiro, por que houve duas dinastias na Rússia? Acontece é que o último tsar legítimo da dinastia Ruríquida, ou de Riúrik – nomeadamente, Fiódor Iánnovitch – e sua esposa, Irina Godunova, não deixaram filhos. Em 1598, quando Fiódor morreu, não havia herdeiros legítimos no trono. Ivan, o Terrível, pai de Fiódor, eliminou todas as famílias ruríquidas que poderiam reivindicar direitos de governar o país. Seus outros filhos e herdeiros, Ivan e Dmítri, morreram ou foram mortos. Mas eles não poderiam simplesmente escolher um novo tsar? Por que era importante que os Romanov estivessem relacionados aos Ruríquidas?

Na Rússia, a missão do tsar era considerada sagrada. Ele era ungido para governar, fazia juramentos para proteger suas terras e seu povo e cuidar deles. O tsar como instituição política foi um conceito criado em Moscou, por seus grão-príncipes. Eles pertenciam ao ramo de Moscou da dinastia Ruríquida que terminou com a morte de Fiódor Iánnovitch.

Tsar Fiódor Iánnovitch

Após a crise dinástica e o início do Tempo de Dificuldades  no século 17, vários tsares governaram a Rússia por curtos períodos de tempo: Borís Godunov, o falso Dmítri, Vassíli Chuiski. Apenas Chuiski era um ruríquida e, após sua morte, a Rússia não tinha príncipes da família que pudessem ocupar o trono. Havia apenas famílias poderosas de boiardos, que serviam os príncipes ruríquidas, e era mais provável que a nova dinastia surgisse entre eles. Ainda assim, teria que reivindicar pelo menos algum parentesco com a anterior.

Romanov parentes dos Ruríquidas?

Os Romanov eram uma família antiga de boiardos em Moscou que começou a servir os príncipes de Moscou no século 14, sob o comando de Ivan Kalitá. Eles tinham um ancestral comum com os ruríquidas: Fiódor Kochka (o Gato, aparentemente um apelido), que era o tataravô de Ivan 3º de Moscou – e também o bisavô de Roman Zakharin-Kochkin.

Roman Zakharin-Kochkin

Roman Zakharin-Kochkin, cujo nome próprio foi emprestado à dinastia Romanov, era uma pessoa quase desconhecida: apenas algumas fontes o mencionam. No entanto, ele foi pai de duas pessoas muito importantes.

Patriarca Filaret da Rússia (pintura do século 19)

Sua filha era Anastassia Románovna, a primeira esposa de Ivan, o Terrível e mãe do último tsar ruríquida de Moscou, Fiódor Iánnovitch. Já seu filho, era o boiardo Nikita Romanov, pai de Fiódor Romanov e fundador da dinastia. Fiódor Romanov, que se tornou o Patriarca Filaret da Rússia, era o pai de Mikhail Fiódorovich, o primeiro tsar da dinastia Romanov.

Mikhail Fiódorovich Romanov

Fica simples entender agora: o boiardo Nikita Romanov, fundador da dinastia, era irmão de Anastassia, esposa de Ivan, o Terrível, e, portanto, era relacionado a Ivan como cunhado. Mikhail Fiódorovich, o primeiro Romanov, e Fiódor Iánnovitch, o último ruríquida, tiveram um ancestral comum – Roman Zakharin-Kochkin, pai da tsarina Anastassia e do boiardo Nikita Romanov –, portanto, eles eram parentes.

LEIA TAMBÉM: Antes e depois: fotos coloridas dos herdeiros de Nicolau 2°

Caros leitores e leitoras,

Nosso site e nossas contas nas redes sociais estão sob ameaça de restrição ou banimento, devido às atuais circunstâncias. Portanto, para acompanhar o nosso conteúdo mais recente, basta fazer o seguinte:
Inscreva-se em nosso canal no Telegram t.me/russiabeyond_br

Assine a nossa newsletter semanal

Ative as notificações push, quando solicitado(a), em nosso site

Instale um provedor de VPN em seu computador e/ou smartphone para ter acesso ao nosso site, caso esteja bloqueado em seu país.

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies