Como o Cazaquistão se tornou parte da URSS? Veja fotos

V.Pavlúnin/TASS
A república era uma retaguarda confiável da URSS tanto em tempos de paz quanto em guerra. Foi ali que o país construiu seu potencial industrial, seu primeiro cosmódromo e testou armas nucleares.

A Rússia chegou às estepes do Cazaquistão no início do século 18. Os primeiros “juzes”, tradicionais divisões do povo cazaque, se uniram à Rússia voluntariamente porque buscavam proteção contra os guerreiros zúngaros. A Rússia, porém, teve que lutar contra o Canato de Cocande, uma das maiores formações na Ásia Central, pelo juz Velho, que foi anexado ao Império Russo na segunda metade do século 19.

Nos primeiros anos do poder soviético, os territórios do Cazaquistão sofreram uma demarcação nacional-territorial extensa: os nomes, fronteiras e capitais das suas autonomias nacionais mudavam constantemente. Assim, entre 1920 e 1929, os cazaques tiveram três capitais: Orenburg, Kyzyl-Orda e Alma-Ata. A estabilidade administrativa e territorial chegou apenas em 1936, quando a República Socialista Soviética Autônoma do Cazaquistão foi retirada da Rússia Soviética e transformada em uma república sindical dentro da URSS.

A política de coletivização do governo soviético no final da década de 1920, ou seja, a transformação de fazendas individuais em coletivas, que ignorou as peculiaridades do estilo de vida dos cazaques, a transferência forçada de nômades para um estilo de vida sedentário e a seca que se seguiu levaram à pior fome da história de Cazaquistão entre 1931 e 1932. Segundo historiadores, de 1 a 1,5 milhão de pessoas morreram, cerca de 200 mil cazaques migraram para os vizinhos Irã, China e Afeganistão.

A campanha para erradicar o analfabetismo na URSS foi especialmente importante para o Cazaquistão. Na época do colapso do Império Russo, a taxa de alfabetização da população local era de apenas 5%. Em 1939, 70% dos cazaques já estavam alfabetizados. Às vésperas da Segunda Guerra Mundial, quarenta mil cazaques estudavam em centros de ensino superior da URSS.

Entre as décadas de 1930 e 1940, o enorme, mas pouco povoado Cazaquistão se tornou o principal destino de povos deportados pelo governo soviético: poloneses e ucranianos da Ucrânia Ocidental, chineses e coreanos de Sacalina e Primôrie, alemães da região do Volga e muitos outros. A reabilitação e o retorno dos exilados começaram somente após a morte de Stálin, em 1953.

No mesmo período, o Cazaquistão começou a se transformar no maior centro industrial da União Soviética, com indústrias pesadas e leves, fábricas e jazidas de minerais. A bacia carbonífera de Karaganda tornou-se a maior da URSS. Devido à falta de recursos humanos, centenas de milhares de trabalhadores foram enviados para o Cazaquistão de todas as regiões da URSS.

Durante a Segunda Guerra Mundial, o Cazaquistão foi uma retaguarda confiável da URSS. Cerca de 150 empresas foram evacuadas para lá, provenientes de regiões soviéticas ocidentais, e várias centenas de fábricas foram construídas do zero. Durante a ocupação das jazidas de matérias-primas mais importantes da União Soviética pelos alemães, o Cazaquistão aumentou significativamente a produção de metais não ferrosos, eletricidade e combustível líquido. Mais de um milhão de cazaques participaram de batalhas contra o inimigo, desde a defesa da fortaleza fronteiriça de Brest até a captura de Berlim.

No período pós-guerra, a República Soviética do Cazaquistão continuou a se desenvolver como o centro econômico mais importante do país. Foi lançada uma campanha para o desenvolvimento de terras virgens, foram construídas dezenas de novas cidades. As estepes desabitadas do Cazaquistão se tornaram local ideal para testar a primeira bomba atômica soviética, em 1949, e para construir o primeiro cosmódromo do mundo, em 1957, e que funciona até hoje: Baikonur.

Durante o período do colapso da URSS, devido à alta dependência econômica do Cazaquistão da Rússia soviética, bem como ao fato de que o Cazaquistão foi povoado principalmente por povos não indígenas, o governo agiu com extremo cuidado.

Como resultado, o Cazaquistão foi a última das repúblicas soviéticas a se separar da URSS, declarando sua independência em 16 de dezembro de 1991.

LEIA TAMBÉM: Como se formou a URSS?

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies