A infância do primeiro homem no espaço, Iúri Gagárin

TASS
Filho de camponeses e proletários, ele tinha acabado de começar a escola quando teve que largá-la: estourava a guerra.

O primeiro homem no espaço, Iúri Gagárin, nasceu em 1934, na vila de Klúchino, na região de Smolensk. Proveniente de uma família de carpinteiros e camponeses, ele teve uma infância normal até os sete anos de idade, quando tinha acabado de começar a escola: em 1941, a guerra estourou. Apenas um mês depois, em outubro, a região de Smolensk foi ocupada pelas forças alemãs, encerrando abruptamente seus estudos.

O piloto-cosmonauta da URSS, Herói da União Soviética, Iúri Gagárin, com a mãe, Anna Timoféievna, e o pai, Aleksêi Ivânovitch, em sua casa em Gjatsk (hoje, chamada “Gagárin” em homenagem ao cosmonauta). Foto de 17 de junho de 1961.

A família Gagárin, assim como outras, teve que viver em um abrigo, pois os nazistas ocuparam sua casa, convertendo-a em oficina. Por falta de aquecimento, eles usavam o fogão para enfrentar o rigoroso inverno, enquanto, a iluminação era feita com uma pequena tocha.

O pai de Gagárin, que não foi convocado para o exército porque era coxo. Ele foi forçado a trabalhar em um engenho e só ocasionalmente conseguia levar para casa um pouco de farinha. A família sobrevivia de sopas de urtiga e azedinha, ervas colhidas por Iúri e seu irmão Boris.

Casa-museu da infância de Gagárin, na vila de Klúchino, região de Smolensk.

Soldados e oficiais nazistas zombavam e degradavam até mesmo as crianças camponesas: o irmão mais velho de Iúri, Valentin, foi obrigado certa vez a segurar garrafas, que os soldados usavam para tiro ao alvo; o mais novo, Boris, foi pendurado em uma árvore pelo pescoço com seu próprio cachecol por uma pequena traquinagem. Iúri viu e correu para casa para contar à mãe. Foi com dificuldade que eles conseguiram reanimar Boris.

Em 1943, Valentin, de 17 anos, e a irmã mais velha de Iúri, Zoia, de 15 anos, foram enviados para realizar trabalhos forçados. Eles só voltaram para casa quando a guerra acabou. Depois que as forças soviéticas libertaram Klúchino, em 1943, o pai de Iúri foi enviado para a frente de guerra por dois anos. Iúri passou a cuidar da casa com a mãe.

Da esq. para a dir.: Valentin Gagárin, Iúri Gagárin, Zoia Gagárina, Boris Gagárin.

Os brinquedos e experiências na vida de Iúri também foram em grande parte produto da guerra. Quando criança, ele já sabia montar e desmontar vários tipos de armas de fogo.

Uma das memórias mais vivas de sua infância foi quando ele e os amigos viram pilotos soviéticos surgirem em um campo. Um avião tinha sido atingido, o piloto saltou e outro o seguiu e pousou nas proximidades. “Todos nós queríamos voar, ser tão corajosos e formosos como eles”, recordou Gagárin mais tarde.

O cosmonauta soviético acabou entrando em uma escola de mão de obra qualificada, seguida por outra, de técnica industrial. Mas ele nunca desistiu do sonho de voar. Em 1955, ele foi recrutado pelo exército e enviado para estudar em uma escola de aviação em Orenburg: este seria seu primeiro passo no caminho para o espaço.

LEIA TAMBÉM: 9 curiosidades inéditas do primeiro voo do homem ao espaço

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies