O que os pioneiros da época soviética eram PROIBIDOS de fazer?

Manakin /Sputnik
Milhões de crianças soviéticas queriam se tornar pioneiras, mas assumir esse papel não era fácil - o prestígio vinha acompanhado de dezenas de regras e proibições.

Um dos pilares da União Soviética era criar comunistas desde a infância. As organizações infantis e juvenis seguiam a ideologia, que governava todas as facetas da vida dos jovens - desde saudar adequadamente até como dormir corretamente.

Depois de terminar o jardim de infância, as crianças eram enviadas para a escola, onde se tornavam Oktiabriata (‘Pequenos Outubroistas’). Ao completarem 9 anos, eram enfim alistados nos pioneiros, embora os preparativos para se tornar um membro normalmente começassem dois ou três anos antes: meninos e meninas da URSS estudavam as leis pelas quais deveriam viver até os 14 anos de idade. O chamado Livro de Regras do Aluno Escolar e Pioneiro era um manual passo a passo para a vida, contendo dezenas de coisas que ninguém poderia fazer, das quais algumas ainda fazem sentido nos dias de hoje: o pioneiro era proibido de fumar, consumir bebida alcoólica, entrar em brigas e implicar com os mais jovens. Outras, porém, são um pouco mais curiosas - apesar de terem uma função própria, claramente definida pelo Partido Comunista.

‘Um pioneiro não joga futebol!’

A ideologia comunista não tolerava o futebol - uma invenção da burguesia inglesa. “Ideologicamente superficial, e ensinar aos jovens soviéticos a arte de trapacear (...) Uma das facetas mais aceitas do jogo é a finta, que é enganar e, portanto, tem efeito negativo nas qualidades do pioneiro”, acreditava-se nas organizações educacionais.

Mas a proibição também tinha implicações “médicas”. O calendário da Comissão Russa da Cruz Vermelha de 1925 estipulava que o futebol não era recomendado para menores de 17 anos: “O jogo causa forte estresse no coração, o que resulta em excitação, e, como o coração do pioneiro é fraco, ele não consegue se controlar. No decorrer desse estado de excitação, meia hora pode se transformar em três, o que é muito ruim para a saúde”.

Curiosamente, outros jogos - que também poderiam “levar ao entusiasmo” - não enfrentavam o mesmo nível de escrutínio. A proibição só se espalhou para aqueles em que teoricamente se poderia quebrar um osso durante a diversão: “Não jogue nada seja necessário escalar uma árvore, cerca ou telhado”, afirmavam as regras.

‘Pioneiros não colocam as mãos no bolso’

Manter as mãos nos bolsos era considerado um mau hábito, algo que os filhos de camponeses faziam. De forma mais ampla, um dos primeiros objetivos da organização de pioneiros era a eliminação do analfabetismo. Qualquer coisa que remotamente se encaixasse nos requisitos - e por extensão fosse considerada sem cultura - entraria na lista de proibições. Até palitar os dentes podia ser feito “do jeito pioneiro” ou “do jeito camponês”:

“Não use objetos de metal, faça um palito com a pena de um pássaro”, dizia a regra. E nem é preciso dizer que um pioneiro “jamais [deveria] brigar. Brigar é ou para escravos, ou para os mestres”.

‘Não lamba seus dedos’

Arrumação e limpeza eram de suma importância para o pioneiro. A higiene e a luta contra as condições insalubres eram cultivadas na população em nível estatal, por meio de cartazes de propaganda e nas fileiras. Era a única maneira de educar as crianças pobres, que acabariam se tornando a espinha dorsal do Estado proletário.

Algumas das regras associadas a isso eram: “Não lamba os dedos ao virar a página de um livro”; “Não coloque na boca o que estava na boca de outra pessoa”; “Não cuspa no lápis”; “Não termine as sobras dos outros”; “Não beba nem coma de utensílios de cozinha de outra pessoa”; “Sementes de girassol são proibidas nas dependências da escola” (as cascas invariavelmente acabavam no chão); e outra regra estipulava ainda que as meninas nunca deveriam dar beijo ao se cumprimentar (na verdade, pensava-se que apenas as meninas adotavam tal prática).

‘Sem apertos de mão’

O pioneiro era proibido de cumprimentar qualquer pessoa com um aperto de mão. “O pioneiro não estende a mão para cumprimentar”, dizia a regra. Há até uma foto histórica real, com a seguinte legenda: “O pioneiro não deseja apertar a mão do primeiro-ministro da URSS, Aleksêi Ivanovitch Rikov”.

Em primeiro lugar, os pioneiros eram proibidos de apertos de mão porque tinham sua própria saudação - que implicava levantar a mão um pouco acima do nível do cabelo. Isso simbolizava a crença no valor dos interesses coletivos sobre os interesses individuais. E sempre que o comando “Bud gotov!” (“Esteja pronto!”) fosse proferido, o pioneiro deveria responder: “Vsegda gotov!” (“Sempre pronto!”). Além disso, vários tipos de doenças ainda eram comuns e matavam pessoas naquela época: minimizar o contato físico era uma boa ideia do ponto de vista sanitário.

‘Não durma na mesma cama com ninguém’

Mesmo quando se tratava de dormir, os pioneiros tinham seu próprio código. Além de recomendações saudáveis ​​e razoáveis ​​- como dormir de nove a dez horas por noite -, o pioneiro era, curiosamente, proibido de usar o cobertor para cobrir a cabeça, o pescoço ou a parte superior do peitoral. As mãos também deveriam ser mantidas acima da coberta. Também era proibido dormir sem fronha ou usar qualquer substituto - roupas e outras coisas - em vez de uma coberta adequada. Um pioneiro jamais poderia compartilhar sua cama com outro. No entanto, no verão, eles tinham permissão para dormir nus.

LEIA TAMBÉM: Quais tecnologias soviéticas foram desenvolvidas posteriormente no Ocidente?

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies