5 projetos de infraestrutura soviéticos que sobreviveram às guerras no Afeganistão

Una columna de vehículos blindados cruza la frontera afgano-soviética por el puente de la amistad sobre el río Amu Darya. /

Una columna de vehículos blindados cruza la frontera afgano-soviética por el puente de la amistad sobre el río Amu Darya. /

V. Kisselev/RIA Nóvosoti
Projetos construídos pela União Soviética ajudaram a promover o desenvolvimento e a mudança social no Afeganistão nas décadas de 1960 e 1970. Muitos sobreviveram à guerra. 

Os romances de Khaled Hosseini costumam retratar a vida no Afeganistão nos anos 1970 como um mar de rosas. Grande parte da infraestrutura moderna e das instituições educacionais da era pré-guerra foram construídas pela União Soviética. Apesar dos danos sofridos, vários projetos construídos pela Rússia no país se mostraram funcionais e de vital importância. O Russia Beyond analisa abaixo cinco grandes projetos que estavam até recentemente em operação no Afeganistão:

Túnel Salang

Construído na década de 1960, este túnel de 2,6 quilômetros de comprimento era uma via arterial que conectava Cabul com cidades no norte do Afeganistão. Foi o único túnel norte-sul do país que se utilizava durante o ano todo. Cerca de 10.000 veículos passavam todos os dias pelo túnel, que reduziu o tempo de viagem de Cabul ao norte do país em até 62 horas.

Moscou aceitou construir o túnel sob a passagem de Salang, nas montanhas Hindu Kush, em 1955. Considerado uma maravilha da engenharia, o túnel, que alcançava uma altitude de 3.400 metros acima do nível do mar, foi inaugurado em 1964. Foi o túnel rodoviário mais alto no mundo até 1973, quando outro um pouco mais alto foi construído nos EUA.

Mikroraion

Mikroraion (derivado da palavra russa para microdistrito, “микрорайон”) é um dos endereços mais conhecidos na capital afegã. Localizado no oeste de Cabul, a construção deste complexo de edifícios residenciais pré-fabricados começou ainda na década de 1960.

Os edifícios do tipo "Khruschovka", que se parecem com qualquer um de seus equivalentes na Rússia e na Europa Oriental, foram construídos para levar a visão soviética de modernidade ao povo do Afeganistão. O Mikroraion não abrigava apenas a elite de Cabul, mas também as classes trabalhadoras e médias.

Uma segunda leva de edifícios foi construída na década de 1980, quando havia maior presença de russos no Afeganistão. Em 2012, o jornal New York Times escreveu que, embora o Mikroraion fosse “estreito, em ruínas e remendado”, ainda tinha “algumas das casas mais valiosas para a classe média mais rica e instruída de Cabul”.

Universidade Politécnica de Cabul

Fundada em 1963, a universidade contava com mais de 1.500 alunos em sete faculdades, entre elas de tecnologia química, geologia e construção. Até recentemente, lia-se no site que “materiais de construção para a universidade foram doados pelo povo da URSS ao povo do Afeganistão. Engenheiros da União Soviética e do Afeganistão trabalharam conjuntamente”.

O edifício principal da universidade foi construído em estilo modernista soviético e o campus tinha vários murais socialistas. A universidade ficou sob forte bombardeio durante a guerra soviético-afegã e foi forçada a fechar pelo Taleban. Depois foi restaurada e reaberta. Grande parte do corpo docente foi treinado na Universidade da Amizade dos Povos da Rússia.

A União Soviética também construiu uma escola de engenharia e um instituto de mecânica de automóveis em Cabul.

Ponte da Amizade Afeganistão-Uzbequistão

Embora não tenha sido construída para fins altruístas, a ponte ferroviária e rodoviária, inaugurada em 1982, era a única ligação de transporte na fronteira afegã-uzbeque. 

A ponte foi construída pela URSS para abastecer suas tropas no Afeganistão e aparece em uma fotografia icônica (acima) das últimas tropas soviéticas deixando o país.

As autoridades uzbeques fecharam a ponte em 1997, quando o Taleban assumiu o poder no Afeganistão. Reaberta em 2001, tornou-se um dos principais pontos de acesso do Afeganistão, que não possui saída para o mar, com as rotas comerciais da Ásia Central.

Represa Band-e Sardeh

Localizada na província de Ghazni, a barragem foi construída na década de 1960, irrigando 13.000 hectares de terra. A Band-e Sardeh tem capacidade para 259 milhões de metros cúbicos de água e desempenha um papel importante no controle de enchentes na região.

As terras ao redor da represa, porém, se mantêm subutilizadas, principalmente devido aos ataques do Taleban aos fazendeiros.

Os russos também construíram um aeroporto perto da barragem, que foi usado pelos Estados Unidos e seus aliados na luta fracassada contra os insurgentes do Taleban.

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.

LEIA TAMBÉM: As 3 operações mais bem-sucedidas das tropas soviéticas no Afeganistão

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies