Por que Gorbatchov estrelou comerciais da Pizza Hut e da Louis Vuitton?

Kira Lisitskaya, Vladimir Rodionov/Sputnik, Vector.me, Legion Media
O ex-líder soviético Mikhail Gorbatchov causou furor e indignação ao aparecer em campanhas publicitárias de marcas ocidentais. Mas por que ele fez isso?

O primeiro e último presidente da União Soviética, Mikhail Gorbatchov, foi alvo de inúmeras críticas quando apareceu em um comercial de televisão da Pizza Hut em 1997.

Aparentemente, foi um bom negócio para ambas as partes. Gorbatchov precisava arrecadar dinheiro para seus projetos humanitários e ambientais internacionais, enquanto a Pizza Hut precisava de publicidade para atingir os consumidores. “Nada pessoal, apenas negócios.”

A rede de pizzarias dos Estados Unidos queria construir uma ponte entre pessoas de diferentes idades e culturas, fazendo anúncios com figuras públicas conhecidas, celebridades e influenciadores da opinião pública, como, por exemplo, Muhammad Ali.

“Às vezes, nada une as pessoas como uma bela pizza quente da Pizza Hut”, provoca o comercial de 60 segundos.

No caso de Gorbatchov, o comercial abre com uma série de clipes de marcos importantes de Moscou - a Catedral de Cristo Salvador e a Catedral de São Basílio. A câmera então se afasta para revelar duas figuras solitárias abrigadas sob um guarda-chuva enquanto caminham pela Praça Vermelha. A dupla parece ser Mikhail Gorbatchov e sua netinha, muito parecida com sua avó, Raissa Gorbatcheva. Os dois entram em uma Pizza Hut a poucos passos dali - uma família russa sentada à mesa vê o líder, que agora está compartilhando pizza com sua neta, e começa a discutir se seu legado foi positivo ou negativo para o país.

“… Por causa dele, temos confusão econômica e instabilidade política!”, reclama um homem de meia-idade, desferindo o primeiro golpe na guerra de palavras.

“… Por causa dele, temos oportunidade e liberdade”, dispara o mais jovem.

“… Por causa dele, temos muitas coisas… como Pizza Hut”, observa uma senhora idosa.

O debate termina aí, com todos gritando "Viva Gorbatchov!" O anúncio? Foi um sucesso.

Na verdade, o comercial da Pizza Hut espelhava a realidade cotidiana de milhões de pessoas que culpavam Gorbatchov por todas as suas mazelas e daqueles que diziam que o líder soviético era uma espécie de herói.

Pizza Hut in Moscow just before the opening in 1990

Gorbatchov foi colocado no comando da URSS em 1985 e chefiou o país até a dissolução da União Soviética em 1991. Ficou amplamente conhecido como o político que iniciou a queda da Cortina de Ferro e do Muro de Berlim. Impulsionou políticas revolucionárias (perestroika e glasnost) que prometiam grandes mudanças e capturavam as esperanças e aspirações de milhões de soviéticos. Na verdade, segundo muitos, Gorbatchov teria aberto a caixa de Pandora com suas reformas. A perestroika havia sido projetada para acabar com décadas de estagnação econômica e renovar a economia interna e externa, enquanto a política da glasnost permitia uma liberdade de opinião sem precedentes. Mas, como se costumava dizer, o caminho para o inferno está cheio de boas intenções, e muitos planos se mostraram impossíveis de cumprir. No final dos anos 1980, as pessoas trabalhavam em vários empregos para sustentar a família e reconstruir suas vidas, famílias se desintegraram, sonhos ruíram. As mudanças abruptas resultaram em escassez de alimentos, causando gradualmente a referida “confusão econômica e instabilidade política” do comercial e tornando-se um catalisador para a dissolução da União Soviética como um todo.

Décadas após o colapso do sistema soviético, os russos (e não somente eles) ainda estão divididos sobre o legado controverso de Gorbatchov.

Cabe lembrar, no entanto, que a Pizza Hut não foi a única vez que o ex-líder da União Soviética estrelou um anúncio de TV.

Em 2007, a grife francesa de luxo Louis Vuitton decidiu homenagear a estrela da ‘Bela da Tarde’ Catherine Deneuve, a lenda do tênis Andre Agassi e sua esposa Steffi Graf, assim como Mikhail Gorbatchov.

O comercial mostra Gorbatchov no banco do passageiro de um carro, que passa pelo icônico Muro de Berlim, com uma bolsa Vuitton ao lado.

Os anúncios, filmados por Annie Leibovitz, destacam o conceito de viajar com conforto.

A Vuitton afirmou na época ter feito doações para a Cruz Verde Internacional, fundada por Gorbatchov em 1993 para enfrentar os desafios de segurança, pobreza e poluição ambiental. Mas também não divulgou o valor das doações.

“Ambas as campanhas publicitárias das quais Mikhail Gorbatchov participou estavam associadas à necessidade de financiar as organizações que dirigia - a Fundação Gorbatchov e a Cruz Verde Internacional”, justificou Pável Palajtchenko, intérprete do último líder soviético e chefe da assessoria de imprensa da Fundação Gorbatchov à RIA Novosti.

A Fundação Gorbatchov foi fundada em 1991, depois que o primeiro presidente da União Soviética foi destituído do poder. Sua missão é conduzir “pesquisas sobre problemas sociais, econômicos e políticos de importância crucial na história russa e mundial”. Gorbatchov, que recentemente completou 90 anos, continua sendo o presidente da fundação até hoje.

LEIA TAMBÉM: Os 3 principais fatores para a queda da URSS

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies