Como a URSS deu boas-vindas a Gagárin após o histórico voo espacial (FOTOS)

Atriz italiana Gina Lollobrigida e o cosmonauta Iúri Gagárin (centro) no 2° Festival Internacional de Cinema de Moscou

Atriz italiana Gina Lollobrigida e o cosmonauta Iúri Gagárin (centro) no 2° Festival Internacional de Cinema de Moscou

Leonid Velikjanin, Valentin Mastiukov/TASS
O dia 12 de abril de 1961 mudou a história. Foi a primeira vez que um ser humano voou para o espaço (e voltou com segurança), tornando-se a maior celebridade mundial. Em sua terra natal, ele foi saudado como um astro do rock, e diversos países queriam convidá-lo para uma visita.

Sessenta anos atrás, às 10h02, no horário de Moscou, a agência de notícias TASS transmitiu uma reportagem sobre o primeiro voo tripulado ao espaço, que se tornou a notícia mais quente do mundo. Na União Soviética, todos abandonaram o que estavam fazendo. O país estava literalmente com as orelhas coladas ao rádio, longas filas se formavam em frente às bancas de jornal e uma multidão exultante se reuniu no centro de Moscou e em outras cidades.

“O dia de trabalho ‘acabou’: virou feriado, as pessoas foram tomadas pela euforia, o até então desconhecido Iuri Gagárin estava de repente na boca de todos”, diz o engenheiro Lev Muzurov.

Reunião espontânea em Moscou em 12 de abril de 1961, em homenagem ao voo de Gagarin: “Glória ao primeiro cosmonauta soviético” 

Construtores de Novosibirsk leem sobre o voo de Gagárin

Moscovitas se aglomeram em torno de uma banca de jornal

Operários de fábricas de roupas ouvem notícias sobre o voo de Gagárin

Evgueni Skazkin, trabalhador da cidade de Engels, perto de onde Gagárin pousou, lembrou este dia da seguinte forma: “Foi uma espécie de choque. Depois de um tempo, caiu a ficha e meu coração estava tão feliz que não pude deixar de gritar: ‘Viva! Fomos ao espaço!' Corri para o corredor do alojamento. Todos correram para fora de seus quartos e nós nos abraçamos e dançamos de alegria. (...) O país inteiro estava em êxtase. O voo de Gagarin parecia o evento mais marcante da vida do país, que acabava de se recuperar da provação mais horrenda da Grande Guerra Patriótica [Segunda Guerra Mundial] e agora estava avançando”.

Em 14 de abril, dois dias após o bem-sucedido voo, Gagárin foi levado a Moscou em um avião fretado.

Gagárin é recebido no aeroporto de Vnukovo

Repórteres na recepção oficial do primeiro cosmonauta do mundo

Gagárin é recebido pessoalmente pelo líder soviético Nikita Khruschov (esq.) no aeroporto Vnukovo 

Em 14 de abril, Moscou se transformou em uma grande festa a céu aberto. Crianças em idade escolar e alunos mataram aula para ter um vislumbre do primeiro cosmonauta do mundo; muitos tiraram um dia de folga do trabalho. “Sabíamos que o Gagárin iria aparecer no dia 14. Ter aulas naquele dia estava simplesmente fora de questão. Todo o departamento foi dispensado, e todos foram saudar Gagárin”, lembra Maria Solodukhina, que era estudante em 1961. “Havia música na Leninsky Prospekt, as pessoas pulavam de alegria, gritando ‘Viva!’.” 

Gagárin segue em carreata do aeroporto direto para a Praça Vermelha

Pessoas sobem em telhados apenas para ter um pequeno vislumbre de Gagárin

Helicópteros lançam panfletos sobre a cidade saudando o cosmonauta herói

Moscou recebe Gagárin

Edifício residencial na Leninsky Prospekt

Grande multidão com faixas aguarda Gagárin na Praça Vermelha

Gagárin cumprimenta a multidão a partir da tribuna do Mausoléu de Lênin

Recepção oficial de Gagárin na Praça Vermelha

O jornalista Pável Barachev foi um dos primeiros a entrevistar Gagárin após o voo, quando o cosmonauta enfim tirou uma folga. O repórter se lembrou da reunião da seguinte forma:

“Fomos informados de que Gagárin estava passando por um check-up de rotina e logo estaria lá para responder às perguntas dos repórteres do [jornal] Komsomolskaya Pravda. Estávamos literalmente tremendo de empolgação: poderíamos ver e conversar com a pessoa mais famosa do planeta Terra. O que devemos perguntar ao primeiro homem do mundo no espaço? Teremos tempo de tirar pelo menos uma foto? Em pouco tempo, ele apareceu na nossa frente: não era alto, atarracado, em seu uniforme da Força Aérea com dragonas.”

‘Bem, há algum jornalista do Komsomolskaya aqui?’ - Ele perguntou com tal sorriso que toda a tensão insuportável daquele dia difícil, porém alegre, de reportagem de repente se dissipou ... ”

Depois do descanso, Gagárin iniciou uma turnê completa pela União Soviética, fazendo discursos, participando de reuniões e dando autógrafos interminavelmente.

Gagárin dá autógrafos para funcionários da então Exibição Agrícola Pansoviética (VDNKh)

Gagárin na fábrica Stankolit, em Moscou

Atriz italiana Gina Lollobrigida, que compareceu ao Festival de Cinema de Moscou, flertou abertamente com Gagárin

Na primavera de 1961, o cosmonauta embarcou em uma turnê mundial, visitando mais de 30 países; de Cuba ao Japão, todos queriam vê-lo pessoalmente. 

Os Estados Unidos foram um dos poucos países que não estenderam o convite ao cosmonauta. O piloto não era mais dono de si, mas uma personalidade da mídia; em todos os momentos tinha que “manter a aparência” e estampar seu sorriso característico no rosto.

O coronel-general Nikolai Kamanin, da Força Aérea soviética, que acompanhou Gagárin em viagens ao exterior, lembrou mais tarde: “Quase todos os jornais ressaltaram que a viagem de Gagárin provou como ele é um grande homem. Todos os dias conversava com esse grande homem em meio a um luxo e esplendor sem precedentes, e vi que ele apenas queria relaxar, sozinho, em algum lugar com uma vara de pescar em um rio nos arredores de Moscou...”.

Gagárin dá autógrafos no Brasil

Moradores de Havana recebem Gagárin durante visita a Cuba

Gagárin no México

Gagárin com agricultores búlgaros

Gagárin reunido com crianças em idade escolar na Noruega

Visita de Gagárin à Grã-Bretanha

Durante sua estada, Gagárin visitou a Torre de Londres

Gagárin também conheceu Elizabeth 2ª, que recentemente compartilhou suas impressões sobre o encontro, dizendo que ele era muito charmoso, embora não falasse inglês.

É assim que o próprio Gagárin relembrou o encontro: “Tomei café da manhã com a rainha no Palácio de Buckingham. Que tal isso! A rainha foi muito cortês e bem-educada. Conversamos sobre o clima, sobre o espaço e sobre minhas impressões. Conversei com [Príncipe Philip] sobre aviação e carros novos... Eu dei um livro para a rainha. Ela ficou muito feliz. Em troca, ela me presenteou com uma foto de família”.

Gagárin na Índia

Gagárin no Salão Internacional da Aeronáutica de Paris-Le Bourget

Gagárin era muito popular em todos os lugares. Testemunhas oculares lembram que todos, jovens e mais velhos, sonhavam em encontrar o primeiro cosmonauta do mundo. Ainda assim, o cosmonauta continuou modesto em relação a fama e glória que caíram em seu colo.

“Como outros, cometi muitos erros. Tenho minhas fraquezas. Ninguém deve ser idealizado. Todos devem ser aceitos como são na vida real. Às vezes eu me sinto como um brinquedinho, um boneco, isso me dá náuseas”, escreveu em seu diário.

LEIA TAMBÉM: 9 curiosidades inéditas do primeiro voo do homem ao espaço

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies