3 jogadores de basquete GIGANTES da URSS

VladÍmir Rodionov/Sputnik; Serguêi Preobrazhénski/TASS; Igor Útkin/Sputnik
Atletas transformaram o que poderia ser um sério inconveniente em sua maior força.

1. Uvais Akhtaev

Conhecido simplesmente como Tchetcheno, Uvais Akhtaev ficou famoso por sua altura. Tchetcheno étnico, Akhtaev, assim como o resto de sua comunidade de tchetchenos e inguchétios nativos, foi deportado para Karaganda, no Cazaquistão soviético, em 1944.

Na época da deportação, ele tinha apenas 14 anos, mas já atingia os dois metros de altura. Ao contrário de muitos de seu povo, o futuro atleta sobreviveu às consequências da deportação.

A vida no novo lugar estava longe de ser fácil. As pessoas tinham que roubar comida e madeira para sobreviver e se manterem aquecidas. Certa vez, um feliz acidente salvou o jovem Akhtaev da prisão e o direcionou para os esportes.

O garoto estava roubando dormentes de madeira de uma ferrovia local para aquecer a casa da família quando foi detido. Impressionado com a capacidade do jovem de carregar quatro dormentes enquanto tentava fugir, o policial que havia prendido Akhtaev o levou não para a prisão, mas para um clube esportivo. A partir de então, a vida do gigante mudou.

 Em seus anos áureos, Akhtaev tinha 2,36 metros de altura; seu peso variava de 160 a 200 quilos.

Akhtaev nunca jogou pela equipe olímpica soviética, pois lhe foi oferecida uma vaga com a condição de que mudasse seu nome e nacionalidade nos documentos oficiais. Ele se recusou a fazê-lo e perdeu os Jogos Olímpicos de 1952 em Helsinque, Finlândia.

O atleta morreu em junho de 1978. Ele havia pedido aos parentes que o colocassem em uma sepultura de tamanho padrão, para que não chamasse a atenção dos visitantes do cemitério. 

2. Aleksandr Sizonenko

Durante sua vida, Sizonenko ficou conhecido não somente como o jogador de basquete mais alto da URSS, mas também como o homem mais alto do mundo em 1990.

Em sua juventude, a altura anormal de Sizonenko era considerada uma doença, mas o tratamento não produziu os resultados desejados – o garoto continuou a crescer. Nascido em 1959 na Ucrânia soviética, Sizonenko tinha 2,37 metros quando jogou na Liga Principal de Basquete da URSS pelo Spartak e, mais tarde, pelos clubes de basquete Stroitel.

Em 1986, Sizonenko foi obrigado a se aposentar do esporte, devido a problemas de saúde. Ao longo da vida, jamais parou de crescer; quando morreu, em 2012, tinha 2,43 metros.

3. Arvidas Sabonis

Arvidas Romas Sabonis foi, talvez, o jogador de basquete mais talentoso desta lista. Nascido na Lituânia soviética, Sabonis se tornou campeão olímpico ao conquistar o ouro nos Jogos Olímpicos de Verão de 1988, na Coreia do Sul, atuando como central no time da URSS. Além disso, também ganhou várias vezes o Euroscar, um prêmio anual concedido ao melhor jogador de basquete masculino da Europa.

Em 2011, com 2,21 metros, Sabonis se tornou o jogador de basquete mais alto a figurar no Naismith Memorial Basketball Hall of Fame, embora mais tarde tenha sido ultrapassado pelo americano Ralph Sampson por meros três centímetros.

Sabonis é reconhecido como um dos melhores centros do basquete, inclusive da NBA. Seus recordes não foram batidos por nenhum outro jogador de basquete da ex-União Soviética.

LEIA TAMBÉM: Judô, o esporte de Putin que renasceu das cinzas da URSS

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies