Como Leningrado sob Cerco foi camuflada durante a Segunda Guerra Mundial

Arquivo; Legion media
Defensores da cidade encontraram vários meios para despistar inimigo e esconder monumentos dos bombardeiros aéreos.

O Cerco a Leningrado (atual São Petersburgo) durou exatos 872 dias, de 8 de setembro de 1941 a 27 de janeiro de 1944. As tropas alemãs bombardeavam a cidade intensamente, e os locais tiveram que camuflá-la rapidamente. Todos os pontos principais eram usados ​​como referência de mira para a aviação inimiga. Além disso, era preciso fazer o possível para salvar os monumentos históricos e edifícios de vital importância em Leningrado da destruição.

As torres e cúpulas escondidas

Pináculo do Almirantado

O edifício do Almirantado e várias catedrais tinham torres e cúpulas douradas que brilhavam mesmo nos dias mais fechados, por isso precisavam ser camuflados.

Nikolai Baranov, que era o principal arquiteto de Leningrado na época, relembrou em seu livro ‘Silueti Blokadi’ (“As silhuetas do cerco”) que “alguns cabeças-quentes sugeriram desmontar as torres, cúpulas e pináculos”. No entanto, essa ideia foi rejeitada de imediato.

No topo do pináculo do Almirantado

Como o folheado a ouro havia sido feito com uma tecnologia antiga, com camadas muito finas de ouro fixadas com cola especial, os objetos foram cobertos com um pano. Os trabalhos começaram no pináculo do edifício do Almirantado. A cobertura de pano foi costurada em uma noite e pesava cerca de meia tonelada. Um piloto a bordo de um balão aerostático amarrou uma corda no topo da estrutura e, em seguida, seis alpinistas a enrolaram com o pano. Uma dessas alpinistas, Olga Firsova, que na verdade era música profissional, recordou mais tarde: “A camuflagem do pináculo era semelhante à saia rodada feminina, mas com uma única costura. Tivemos que costurar as pontas e amarrá-las, para que o vento não destruísse a lona”. O mesmo foi feito com a Catedral de São Nicolau dos Marinheiros.

Catedral de Santo Isaac

As catedrais de Santo Isaac e dos Santos Pedro e Paulo eram banhadas a ouro e depois aplicadas uma tecnologia de galvanoplastia. Os químicos perceberam que a simples pintura era a forma mais adequada de camuflagem: a tinta poderia ser lavada sem danos. Mas havia outra dificuldade: Baranov destacou que o topo da torre da Catedral dos Santos Pedro e Paulo balançava com alcance de um metro e meio. O tenente júnior Mikhail Bobrov teve que escalar até o topo (com uma corda presa) por escadas antigas, e ninguém tinha certeza se elas eram capazes de sustentar o peso de um homem. No entanto, os escaladores conseguiram cumprir essa importante tarefa, e o topo dourado deixou de ser o guia do inimigo.

As redes de camuflagem

Muitos objetos da cidade foram escondidos sob redes especiais de camuflagem com pedaços de tecidos coloridos. Os pintores de teatro participaram da confecção das redes e suas habilidades na pintura de decorações teatrais os ajudaram muito. Usando tintas especiais, eles faziam os pilotos inimigos verem parques e campos em vez de edifícios estratégicos. Os pintores também tiveram que pensar nas mudanças de estação - adicionando cores amarelas e vermelhas no outono e enfatizando a quantidade e texturas da neve no inverno.

Smolny camuflado

O antigo prédio do Instituto Smolny, que abrigava o governo de Leningrado, foi um exemplo de camuflagem de rede, mesclada com a vegetação circundante. O arquiteto Aleksandr Gegello lembrou: “Foi estendida uma rede de camuflagem com aplicações que imitam as copas das árvores. As redes foram presas ao ângulo do telhado para esconder a forma ‘П’ do edifício”. A reconhecível curva do rio Nevá também foi escondida: um rio falso foi desenhado como uma continuação da Prospekt Sovetsky (renomeada Suvorovsky em 1944).

Smolny camuflado

Os monumentos cobertos

Mikhail Bobrov escreveu em seu livro de recordações: “Enormes caixas de sacos de areia cobriram muitos monumentos”. Os sacos de areia eram amarrados com tábuas.

Monumento Cavaleiro de Bronze camuflado

Essa foi a maneira de esconder os monumentos maiores, como o Cavaleiro de Bronze (uma figura equestre de Pedro, o Grande) e a estátua de Lênin perto da Estação Finlândia.

Monumento a Pedro, o Grande

Algumas esculturas menores foram removidas e enterradas. Assim, os grupos de esculturas da ponte Anitchkov, de Piotr Klodt, chamados ‘Ukrochtchenie Konia Tchelovekom’ (“Os domadores de cavalos”) foram sepultados no vizinho jardim do Palácio dos Pioneiros. Depois da guerra, foram localizados pelas pequenas colinas que se projetavam acima deles. As esculturas da coleção exclusiva do Jardim de Verão foram enterradas perto de seus pedestais.

Ponte Anitchkov

Alguns monumentos não foram escondidos, contudo. Segundo Bobrov, “apenas os monumentos aos grandes comandantes de guerra russos ficaram descobertos: a Suvorov, Kutuzov e Barclay de Tolly, que inspirava heroísmo aos defensores da cidade”.

Os edifícios falsos

A infraestrutura e as indústrias de Leningrado também tinham que ser mascaradas. Nikolai Baranov observou, por exemplo, que o hipódromo era um ponto de mira perfeito, pois sua enorme elipse podia ser facilmente vista de cima. Na verdade, uma bomba já havia atingido o edifício antes de ser camuflado. O plano era retirar a arquibancada e encher o espaço aberto com maquetes de casas. O comprimento e a largura dos modelos eram reais, mas a altura era várias vezes menor. “Essa decisão dimensional determinava os efeitos característicos de luz e sombra, que imitavam os quintais dos prédios e o padrão de ruas e passagens”, disse Baranov. Os telhados de grandes seções de plantas também foram construídos com esses modelos.

Porto e fábrica de Kirov camuflados

As pontes fluviais e as estações ferroviárias Moskovski e Vitebski foram decoradas como se fossem ruínas. Além disso, as estações também foram duplicadas: suas réplicas foram colocadas a uma certa distância das originais. Um falso terminal de petróleo apelidado de ‘Rutchi’ (“Dutos”) foi inclusive equipado com algumas cisternas com óleo combustível. Esses modelos foram intensamente bombardeados, porém recompostos após cada ataque.

A torre da estação principal de abastecimento de água era estrategicamente importante, por isso também foi coberta horizontalmente. A nova sombra não se parecia mais com uma torre, e a aviação inimiga não conseguiria avistá-la. A usina termelétrica perto do rio Fontanka não teve a mesma sorte: suas quatro torres ​​tiveram que ser desmontadas para esconder a usina.

As bombas alemãs danificaram Leningrado consideravelmente durante os tempos difíceis do cerco, mas a camuflagem ajudou a cidade a evitar uma destruição catastrófica.

LEIA TAMBÉM: Russos fizeram Kremlin ‘desaparecer’ durante Segunda Guerra Mundial

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies