O carro que era o sonho de toda criança soviética

Um carro de brinquedo com pedais era uma verdadeira maravilha, objeto de luxo e de desejo de toda criança soviética.

Um carro de brinquedo com pedais era uma verdadeira maravilha, objeto de luxo e de desejo de toda criança soviética. Na URSS, existiam dezenas de modelos desses carros com pedais: o Moskvítch, o Rakiêta, o Pobiêda, o Ráduga (em português, “Moscovita”, “Foguete”, “Vitória” e “Arco-íris”).

Alguns deles eram réplicas em miniatura de carros reais. Todos eram feitos seguindo as melhores tradições do design soviético, com cuidado e atenção aos detalhes. Além disso, todos eles tinham uma construção sólida, como era regra para as coisas soviéticas. É verdade, porém, que raros felizardos tinham esses carrinhos...

A infância de Serguêi deu-se em Moscou na década de 1960. Ele se lembra que naquela época ele nem podia sonhar com um carrinho assim. Em primeiro lugar, eles eram caros e, em segundo, só eram vendidos na Diétski Mir, a principal loja de brinquedos da cidade, e sumiam imediatamente das prateleiras.

Crianças com carrinho “Strelá” (“Flecha”), 1962.

“Parece que no pátio do nosso prédio existia apenas um carrinho desses e era do filho de uma pessoa ‘séria’. Eu tinha um triciclo, mas queria muito”, conta Serguêi ao Russia Beyond.

Além disso, as condições de moradia de muitos cidadãos não possibilitava brincar com um carrinho assim. Nos apartamentos simplesmente não havia onde guardar o brinquedo. No lendário filme soviética “Ivan Vassílievitch muda de profissão” (1973), pode-se ver um carrinho próximo de uma escada, junto com carrinhos de bebê.

Mas até essa possibilidade era rara, somente disponível para quem vivia em prédios com portaria - caso contrário, esse objeto luxuoso era roubado.

A infância de Oleg ocorreu na década de 1980, um período de déficit total de tudo, inclusive de brinquedos. "Quando um carro assim surgia no pátio do prédio, provocava inveja e negociações sem precedentes, enquanto seu feliz proprietário se tornava amigo de todo mundo", conta.

Esses carrinhos, no entanto, tinham um defeito substancial: eles foram projetados para crianças de quatro a cinco anos, de uma determinada altura e bastante magras. Assim, infelizmente, eles só podiam ser usados por um verão.

Parque em Volgogrado, década de 1960.

Em algumas cidades, esses carrinhos podiam ser alugados para fazer dar algumas voltas em um parque ou na praça central. É verdade que os pais soviéticos não gostavam de paparicar os filhos. Assim, andar com o carrinho, tomar sorvete ou comer algodão doce eram presentes especiais reservados para grandes feriados ou aniversários.

Aluguel de carrinhos em Arkhânguelsk, 1965.

Borís cresceu na década de 1980 na Riga soviética (hoje, capital da Letônia). Ali, a “escassez” de tais carrinhos era menor. Borís se lembra que o carrinho pesava muito e crianças mais velhas o ajudavam a carregar o brinquedo até seu apartamento, no terceiro andar. Sozinho ele simplesmente não conseguia erguê-lo.

A URSS dava muita atenção ao desenvolvimento infantil e, se uma criança estivesse interessada em dirigir, podia facilmente ingressar em um clube de automobilismo amador. Havia até competições de “jovens pilotos”.

1936. “Jovens motoristas” em desfile esportiva, Praça Vermelha.

Em 1966, ocorreu em Moscou um desfile e um concurso de carros e motos amadores, organizado pela popular revista “Tekhnika molodioji” (“Tecnologia da juventude”). O desfile percorreu o centro da cidade e os veículos foram exibidos no Parque Górki.

O “Moskvítch” da foto abaixo, por exemplo, não entrou na linha de produção, e foi feito em casa.

Para crianças pequenas, também havia opções "simplificadas": carrinhos sem os pedais, de empurrar. Na foto abaixo, por exemplo, há um modelo do “Volga”. Seu feliz proprietário diz que nunca foi para a rua com ele e brincava com ele só em casa.

Hoje, as lojas russas oferecem uma grande variedade de carros de brinquedo, entre eles, os mais recentes modelos estrangeiros. Mas os colecionadores estão dispostos a pagar uma quantia considerável por um carro soviético (os preços em sites de anúncios variam de 4.000 a 50.000 rublos, ou seja, de 50 a 700 dólares).

VEJA TAMBÉM: Pôsteres mostram como propaganda soviética ‘ensinava’ pais a criarem seus filhos

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies