Como eram os desfiles de moda na URSS? (FOTOS)

Coleção de moda, Moscou, 1987

Coleção de moda, Moscou, 1987

Viktor Velikzhánin, Ludmila Pakhómova/TASS
As casas de moda soviéticas apresentavam regularmente novas coleções. Essas linhas eram mais tarde colocadas em produção em massa, porém muitas vezes com grandes modificações nos designs originais.

A moda soviética virou febre quase que imediatamente após a criação do próprio país. O objetivo principal era estabelecer a produção têxtil na URSS e fornecer roupas baratas e de alta qualidade. Mas ter um bom aspecto também era importante.

As primeiras casas de moda em Moscou surgiram das oficinas de costura e alfaiataria da cidade no final dos anos 1920 e início dos 1930. O movimento se deveu em grande parte a Nadejda Lamanova, uma estilista conhecida por seus contemporâneos como a “Chanel russa”. Antes da revolução, ela criou roupas para a Corte Imperial e para os teatros de Moscou, e durante o período soviético desenhou roupas para produção em massa. Paralelamente, era regularmente requisitada pelas esposas de chefes do Partido Comunista, e seus alunos se tornaram gestores das primeiras casas de moda soviéticas. As mais populares entre essas casas eram a loja de departamentos Mostorg (1933) e as empresas Mosbelio (1934) e Moschveia (1938).

Coleção de roupas femininas, 1955-1963

As primeiras revistas de moda soviéticas com fotos e padrões, em vez de desenhos e croquis, começaram a sair em 1936 e foram publicadas pelas próprias casas de moda.

Leningrado, 26 de janeiro de 1977. Estilistas de casas de moda discutem coleção de roupas

A casa de moda mais conhecida da URSS foi inaugurada no final da Segunda Guerra Mundial na rua Kuznetski Most, no centro de Moscou. Os modelos mais famosos da época participavam de seus desfiles, e a casa empregou jovens estilistas talentosos, como Viatcheslav Zaitsev, que continua popular até hoje.

Casa de Moda de Toda a União. Modelos Natalia Kondrashina, Elena Izorgina, Liliana Baskakova, Regina Zbarskaia e Mila Romanovskaia, 1965

A Casa de Moda na rua Kuznetski Most criava coleções para mais de 500 fábricas e organizava desfiles de moda abertos ao público com especialistas em arte comentando sobre as últimas tendências da moda. Os estilistas eram raramente identificados no lançamento das coleções; dizia-se simplesmente que haviam sido criadas pelo “coletivo de estilistas da Casa de Moda”.

Estilista Viatcheslav Zaitsev com modelos, 1965

Depois da guerra, casas de moda começaram a abrir em todo o país (Kiev, Leningrado, Minsk, Riga, Tiumen e Novosibirsk), e desfiles de moda eram realizados em casas de cultura e lojas de departamento.

Apresentação da nova coleção Primavera 80 na sala de exposição da Casa de Moda de Tiumen, 1980

A Casa de Moda de Moscou criava duas coleções por ano. A primeira era um protótipo para a indústria e casas regionais de moda, enquanto a segunda era destinada à elite soviética e para ser exibida no exterior com temas que davam um gostinho da URSS.

Nos bastidores do desfile de Viatcheslav Zaitsev, 1966

Não era possível comprar roupas prontas diretamente das casas de moda, mas elas vendiam padrões que poderiam ser usados para fazer as roupas em casa. Muitas pessoas faziam fila para adquiri-los.

Casa de Moda de Leningrado. Apresentação da nova coleção Primavera 1965

As fábricas produziam roupas para consumo em massa a partir de protótipos criados por estilistas. É verdade que muitas vezes introduziam variações no processo.

Apresentação de coleção de moda em meio a blocos de apartamentos residenciais, Novokuznetsk, 1987

Nas oficinas de costura, o corte da roupa, os acessórios e o tecido eram simplificados para reduzir os custos de produção. Como se pode imaginar, os cidadãos soviéticos não ficavam exatamente entusiasmados com as adaptações.

Casa de Moda da Arbat, 1989. Vestidos de noite

A rede de casas de moda liderada pela Casa de Moscou sobreviveu até o colapso da União Soviética.

LEIA TAMBÉM: 5 jeitos russos de amarrar o lenço na cabeça sem parecer uma vovozinha

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies