Os veículos britânicos e americanos usados pelo Exército Vermelho

Evguêni Khaldei/МАММ/МDF/russiainphoto.ru
Durante a Segunda Guerra, a União Soviética recebeu carros, tanques e caças de aliados ocidentais para superar os períodos mais turbulentos da luta contra os nazistas.

US6 'Studebaker'

“Sem os Studebakers americanos, não poderíamos ter levado a artilharia até a linha de frente. Eles foram nosso meio de transporte da linha de frente principal”, disse o marechal da URSS Gueórgui Jukov em uma conversa informal. Mais de 152 mil desses caminhões norte-americanos foram entregues à União Soviética pelo programa Lend-Lease.

O exército soviético perdeu um grande número de caminhões no primeiro período da guerra, por isso o recebimento dos Studebakers foi muito bem-vindo. Esses carros pesados serviram como tratores, caminhões e bases para os famosos lançadores de foguetes Katyusha.

Não muito populares nos EUA, os US6 eram amados na União Soviética devido a sua cabine confortável, motor potente e estabilidade nas estradas. O caminhão se tornou a base de muitos desenvolvimentos soviéticos na indústria automotiva pós-guerra.

M4A2 'Sherman'

“Em 1944, começamos a receber os tanques norte-americanos Sherman. Creio que este seja o melhor tanque americano que participou da guerra. Ele tem motor, blindagem e armamentos bons”, escreveu Piotr Kurévin, chefe do batalhão da 50° Brigada de Tanques.

Armados com canhões de calibre de 75 mm e metralhadoras antiaéreas Browning (uma raridade para tropas soviéticas), esse veículos blindados eram muito manobráveis.

O Exército Vermelho recebeu mais de quatro mil tanques M4A2. Durante a Batalha por Berlim, o 2º Exército Tanque de Guardas soviético perdeu 209 Shermans.

Hawker Hurricane

As tropas soviéticas receberam os famosos caças britânicos Hawker Hurricane nos primeiros meses da guerra, quando as Forças Aéreas da URSS sofreram perdas pesadas. Os aviões britânicos ajudaram a defender os trens árticos dos aliados e proteger Moscou.

No total, os pilotos soviéticos receberam mais de 3 mil aviões britânicos, que não causaram grande entusiasmo. No final de 1941, essas aeronaves eram bastante defasadas, se comparadas aos caças alemães "Messerschmitts" Bf 109, cheios de modificações.

Willys

Os comandantes militares soviéticos adoravam os carros do exército norte-americano Willys. Pequenos, mas poderosos e manobráveis, esses carros off-road sem portas eram seguros e permitiam que o motorista e o passageiro evacuassem rapidamente em caso de perigo.

Além de levar altos funcionários militares soviéticos, os Willys eram usados como tratores de artilharia para rebocar canhões antitanque de calibre de 45 mm e de 76 mm.

No total, a URSS recebeu cerca de 52 mil carros Willys – alguns deles estão entre os “últimos moicanos” das trocas Lend-Lease que ainda participam dos desfiles do Dia da Vitória em diversas cidades russas.

Bell P-39 Airacobra

O caça P-39 dos EUA foi a aeronave favorita de muitos ases soviéticos, entre eles, Aleskandr Pokríchkin e Grigóri Rechkalov, que destruíram mais de 130 aviões inimigos. O P-39 Airacobra tinha uma capacidade de sobrevivência incrível e podia continuar a batalha mesmo com danos significativos.

Esses aviões foram muito úteis para a União Soviética porque na Frente Oriental os pilotos combatiam principalmente em altitudes médias e baixas, onde os P-39 tinham muitas vantagens.

Durante toda a guerra, a URSS recebeu 4.952 caças Airacobra.

Ford GPA

Os soldados norte-americanos não gostavam desses veículos anfíbios, uma vez que eles eram muito instáveis no mar, com ondas fortes. Mas o Exército Vermelho, que usava esses veículos principalmente para forçar rios, pelo contrário, estava completamente satisfeito com o Ford GPA.

Diferentemente do que acontecia com os barcos, era muito fácil transportar os Ford GPA. Em abril de 1944, foram formados 11 batalhões motorizados de Fords que realizaram missões de desminagem e controle de pontes e rios. 

A União Soviética recebeu dos Aliados cerca de 3 mil desses carros, que foram batizados de Ford-4 na URSS.

LEIA TAMBÉM: Quando soviéticos, americanos e britânicos lutaram lado a lado na Segunda Guerra Mundial

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies