Como era a vida na Ucrânia soviética (FOTOS)

Celebrations of the Revolution anniversary in Kiev, 1970

Celebrations of the Revolution anniversary in Kiev, 1970

N.Seliutchenko/Sputnik
A Ucrânia era o celeiro da União Soviética, além de um importante destino de turismo de saúde e centro industrial. Seu mar, clima, natureza e hospitalidade atraíam turistas de todo o país.

Este é um dos famosos arranha-céus stalinistas de Moscou. É verdade, porém, que o hotel foi concluído somente após a morte de Stálin, e seu nome foi escolhido pessoalmente pelo novo secretário-geral Nikita Khruschov – Ucrânia. O motivo era simples: Khruschov passou quase a vida toda na Ucrânia e serviu lá primeiro como Presidente do Conselho de Ministros e depois como Primeiro Secretário do Comitê Central do Partido Comunista. Era forte defensor dos laços de amizade entre os “povos fraternos” da Rússia e da Ucrânia. Além disso, uma de suas primeiras decisões como secretário-geral foi presentear a Crimeia à Ucrânia, em 1954 (que, na época, fazia pouca diferença de fato).

Vista do Hotel Ukraina

Por muitos séculos, a Rússia e a Ucrânia permaneceram unidas; portanto, os povos russo e ucraniano são frequentemente descritos como fraternos. Em um dos monumentos da literatura russa antiga (Conto dos Anos Passados), Kiev é chamada de “a mãe das cidades russas”, e a frase é usada ainda hoje.

Em 1954, a URSS comemorou amplamente o “300º aniversário da reunificação da Ucrânia e da Rússia”, referindo-se a um evento que ocorreu em 1654, quando o hetman do exército cossaco de Zaporizhzhya, Bogdan Khmelnitski, pediu para servir o tsar Aleksêi Mikhailovitch Romanov (pai de Pedro, o Grande).

Concerto de gala no “300º aniversário da reunificação da Ucrânia com a Rússia”, Kiev, 1954

Por muitos anos, a região que se tornou parte do Império Russo ficou conhecida como Malorossia (Pequena Rússia). Após a Revolução de 1917, a Ucrânia ganhou autonomia e ingressou na URSS como uma república separada e, em 1991, tornou-se um Estado independente.

Arquitetura e cidades

Em muitas cidades ucranianas, é possível ver todas as características da típica arquitetura soviética: edifícios em estilo império stalinista, prédios baixos da época de Khruschov e monumentos a Lênin (dos quais muitos estão sendo demolidos).

No entanto, o país surpreende os visitantes com sua diversidade: a Crimeia era – e ainda é – o lar de palácios tsaristas de verão, onde ficavam os acampamentos e casas de pioneiros. A Ucrânia ocidental era uma relíquia da velha Europa. Sempre que era preciso cenário europeu para um filme soviético, Lvov estava no topo da lista. Odessa foi efetivamente construída pelos europeus, uma espécie de São Petersburgo do sul. 

Rua central de Kiev, 1979
Kiev, monumento de Lênin, década de 1950
Ponte sobre o rio Dniepre, Kiev, 1965
Ruas de Dnipropetrovsk, 1970

Teatro Acadêmico Nacional de Ópera e Balé de Odessa, 1969
Palácio dos Pioneiros, Sevastopol, 1970
Pioneiros em excursão ao Palácio Vorontsov, Crimeia, 1970
Palácio Ninho da Andorinha, Crimeia, 1968
Lvov, 1970

Cesto de pão

A Ucrânia é uma região de “terra negra” com solo ideal para a agricultura. Combinando com o clima mais ameno, é uma área ótima para cultivar não apenas cereais, mas todos os tipos de frutas, uvas, melancias etc.

Outros povos soviéticos que viviam em climas severos olhavam a Ucrânia com inveja, ou até mesmo aqueles que tinham parentes na região e costumavam receber pacotes de damascos ou melões suculentos. A Ucrânia produzia farinha, pão, produtos lácteos, além de frutas e vegetais frescos, para toda a União Soviética. Também possuía – e ainda possui – uma forte indústria de produção de vinho. A produção de açúcar a partir de beterraba era outra parte importante do complexo agrícola. 

Vendedores de frutas e vegetais em uma rua em Eupatória, Crimeia, 1979
Comércio de rua em Carcóvia, 1958-59
Colheita de uvas na Crimeia, 1970
Colheita agrícola coletiva, região de Tcherkássi, 1935

Em 1932 e 33, a Ucrânia sofreu uma fome em massa, que tirou de 2 a 7 milhões de vidas, segundo estimativas diversas. Isso se deveu a colheita fraca, mas também à apreensão de alimentos dos camponeses por autoridades. O evento, conhecido como Holodomor (ou Holocausto dos Ucranianos), é visto de maneira diferente por historiadores e políticos russos e ucranianos. A Ucrânia contemporânea considera as ações do governo soviético um genocídio contra o povo ucraniano, e a Rússia atenta para o fato de que ações semelhantes também causaram fome em outros países da União Soviética. Leia mais sobre a fome na URSS aqui.

Turismo de saúde

A Ucrânia tinha tudo para férias saudáveis ​​e relaxantes. A costa do Mar Negro, fosse na Crimeia, Kherson ou Odessa, estava cheia de sanatórios e resorts. A Crimeia também oferecia caminhadas nas montanhas – e nas montanhas dos Cárpatos era possível inclusive esquiar, dependendo da época do ano.

Sanatório Ukraina, Crimeia, 1959
Praia de Ialta, 1969
Centro de recreação Rodniki na fábrica de construção naval do Mar Negro, nas margens do rio Bug Sul, 1974
Costa sul da Crimeia, 1981
Construção de chalés para turistas nas montanhas dos Cárpatos, região de Ivano-Frankivsk, 1970

Na linha de frente

Durante a Segunda Guerra Mundial, a Ucrânia foi o centro de muitas batalhas decisivas. Entre 1941 e 1942, as tropas alemãs ocuparam quase todo o território do atual país. Os judeus foram forçados a viver em guetos e executados em massa. Babi Yar é um conhecido barranco em Kiev, onde mais de 100.000 pessoas foram baleadas. Entre 1943 e 1944, o Exército soviético libertou toda a Ucrânia. No entanto, o dano havia sido colossal – aldeias queimadas ao chão, cidades destruídas.

Babi Yar, 1943

“O inimigo queimou nossa cabana nativa.” Margem esquerda da Ucrânia, 1943
“Entreguem Kiev!” Atravessando o rio Dniepre, 1943
Odessa nos primeiros dias após a libertação, 1944

Indústria

Mineração, energia, engenharia, metalurgia. Essas são apenas algumas das indústrias que floresceram na Ucrânia soviética. A construção progrediu a uma velocidade vertiginosa em toda a república, e fábricas e minas operavam com capacidade total. 

Carros Zaporojets, fabricados pela fábrica de automóveis ZAZ, na cidade de Zaporójia, 1970
Ônibus soviético LAZ-697, fabricado pela fábrica de ônibus Lvov, 1970
Fábrica de tratores em Carcóvia, 1958-59
Fábrica Metalúrgica de Zaporijstal, 1974
Soldagem de estatores na planta de turbogerador de Carcóvia, 1958–59
Mineiros em Gvardeiskaia, Krivoy Rog, 1970

Tchernóbil

Um dos eventos mais trágicos da vida da Ucrânia soviética foi, sem dúvida, o desastre de Tchernóbil, em 1986. Como se sabe, após a explosão de um reator nuclear, foi lançada uma enorme quantidade de radiação no ar. A tragédia foi agravada pelo fracasso das autoridades em comunicar os moradores locais e as pessoas nos entornos.

Medição do nível de radiação após a explosão da Usina Nuclear de Tchernóbil, 1986

Medindo a radiação a partir de um helicóptero, 1986

Vida, pura e simplesmente

O cotidiano na Ucrânia soviética incluía celebrações de Primeiro de Maio, e estava impresso no design, na moda de interiores soviéticos e em trajes nacionais bordados.

Jardim de infância nº 1 da fábrica do Arsenal no distrito de Petchersk, Kiev, 1953

Celebração de 1º de maio em Carcóvia, 1974
Mestre de obra com a família, Odessa, 1971
Turistas na escadaria de Potemkin, Odessa, 1968
Jovens na Ucrânia Ocidental, 1940
Comércio de peixe no mercado de Odessa, 1970
Turistas no convés de um navio no Danúbio, 1969
Em uma rua de Odessa, 1970

LEIA TAMBÉM: Qual era a melhor coisa de viver na União Soviética?

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies