KGB sobre rodas: os 8 veículos mais importantes do serviço secreto soviético

Ekaterina Chesnokova/Sputnik
Esses lendários carros pretos assustavam tanto os espiões inimigos como os próprios cidadãos soviéticos. Costumavam ser mais poderosos e velozes que os veículos no país e eram capazes de acompanhar Mercedes e BMWs de diplomatas estrangeiros.

1/ GAZ-A

Na década de 1920, o Ministério do Interior soviético só podia contar com veículos estrangeiros para perseguir suspeitos. Como esses carros eram raros nas ruas da cidade, os esforços dos agentes para realizar uma vigilância clandestina acabavam sendo inúteis. O problema foi resolvido em 1932, com o surgimento do primeiro carro soviético produzido em série, o GAZ-A (cópia licenciada pelo Ford Modelo A). Embora adaptado por agentes soviéticos, era lento, desconfortável e pouco confiável.

2/ GAZ-M1

Em 1936, o NKVD (órgão que antecedeu a KGB) substituiu o GAZ-A pelo GAZ-M1, obtendo mais sucesso. Infelizmente, esse modelo se tornou um triste símbolo da repressão soviética, porque era amplamente usado para deter os “inimigos do povo” durante o Grande Expurgo de Stálin, no final da década de 1930.

3/ GAZ-11-73  

A versão modernizada do GAZ-M1, o GAZ-11-73, contava com um poderoso motor de seis cilindradas, em vez de quatro.

No entanto, com o início da Segunda Guerra, a produção foi interrompida, para que os motores deste carro fossem montados em tanques leves e armas de autopropulsão.

4/ GAZ M-20G

Por quase dez anos após a guerra, agentes soviéticos usaram carros alemães capturados e outros arrendados dos americanos. Rápidos e potentes, não eram ideais para quem queria passar despercebido nas ruas soviéticas. Mas, em 1956, o novo GAZ M-20G Pobeda respondeu às necessidades da KGB. Embora parecendo um M-20 GAZ comum, era capaz de atingir até 132 km/h, e não mais 105 km/h.

5/ GAZ-23

Nos anos 1960, o GAZ M-20G foi substituído pelo GAZ-23 Volga. Este veículo foi especialmente projetado para a KGB e serviços secretos de países do Pacto de Varsóvia. Nem cidadãos comuns nem oficiais do Partido Comunista podiam adquiri-lo.

6/ GAZ-24-24

Depois veio o GAZ-24-24, que, com velocidade máxima de 170 km/h, era um dos carros mais rápidos da URSS. Tinha o mesmo design que o GAZ-24, porém os mais perspicazes podiam notar que os carros da KGB eram mais baixos devido ao equipamento carregado. Sob o carro havia dois escapamentos, que se fundiam em um.

O medo da KGB deu origem a vários mitos sobre este Volga. Nos anos 1960 e 70, uma lenda urbana sobre o Volga preto tornou-se popular na Polônia e na Hungria. Acreditava-se que padres, monges, satanistas – e até vampiros e o diabo – dirigiam o carro, sequestrando crianças para vender seus órgãos a ocidentais e árabes ricos.

7/ GAZ-31013

Um dos últimos carros da KGB, o GAZ-31013 apareceu no início dos anos 1980. Era usado não apenas para acompanhar os carros de diplomatas estrangeiros, mas também servia aos líderes soviéticos.

8/ Falkatus

Com a queda da União Soviética, o Serviço Federal de Segurança (FSB) teve acesso total aos carros mais velozes e potentes do mundo. Isso fez com que a necessidade de melhorar os carros nacionais desaparecesse.

Atualmente, no entanto, o FSB está desenvolvendo veículos para unidades especiais. Um dos protótipos mais recentes é o veículo secreto chamado Falkatus, apelidado de Batmóvel e “moonwalker” por sua aparência incomum e futurista.

LEIA TABÉM: Raul Riso, o mestre cubano que botou a KGB para lutar caratê

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies