Fotos revelam refúgio de verão de Lev Tolstói na Crimeia; veja

Autor de “Guerra e Paz” viveu dois anos na península para se recuperar de doença.

Aqui, no edifício cinza de uma antiga propriedade que lembra um castelo medieval, na cidade crimeana de Gaspra, o escritor russo Le Tolstói e sua família permaneceram por quase um ano.

Em 1901, Tolstói chegou com a família para se recuperar de uma doença grave.

Como o escritor não possuía nenhuma propriedade na Crimeia, a família Tolstói aceitou um convite para morar na propriedade da condessa Panina.

Tolstói viveu na Crimeia de 8 de setembro de 1901 até 26 de julho de 1902.

Durante sua estada, Tolstói recebeu muitos amigos, entre eles os também escritores Tchékhov, Górki e Korolenko.

VEJA TAMBÉM: Castelos na Rússia são atrações ignoradas pelos guias 

Na foto acima, por exemplo, é possível ver Tchékhov e Tolstói tomando chá na varanda da propriedade em Gaspra.

Tolstói costumava dar um passeio matinal depois de tomar uma xícara de café. Ele podia ser visto nas calçadas ao redor da casa e nas estradas que levavam ao mar.

Este é o lugar onde Tolstói pegou um resfriado tão grave que seus médicos perderam a esperança. No entanto, o escritor se recuperou e viveu por mais 8 anos.

Tolstói adorava a Crimeia – tanto é que Tchékhov escreveu sobre isso em suas cartas: “Ele ama muito a Criméia. Desperta dentro dele uma alegria puramente infantil”.

Neste local Tolstói escreveu o romance “Khadji-Murát”e diversos artigos. Em junho de 1902, o escritor enfim deixou a propriedade.

Após a Revolução de 1917, um sanatório para acadêmicos e trabalhadores do setor cultural , foi construído nos entornos da propriedade. De 1947 em diante, o local passou a ser chamado Iasnáia Poliana, em referência ao nome da propriedade da família de Tolstói que fica 12 km a sudoeste de Tula (a 200 km de Moscou).

No total, Tolstói passou dois anos na Crimeia. Sua primeira visita à península foi em 1854, aos 26 anos, quando serviu no Exército russo durante a Guerra da Crimeia (1853-1856).

Em outra ocasião, em 1885, o escritor esteve na Crimeia na companhia de seu amigo adoecido Príncipe Urussov, que necessitava de tratamento.

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.

Quer receber as principais notícias sobre a Rússia em seu e-mail? 
Então assine nossa newsletter semanal ou diária.

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies