10 fotos assombrosas de prisão abandonada em São Petersburgo

Kresti é uma das prisões mais famosas da Rússia, mas ficou vazia depois os internos serem transferidos para uma cadeia mais moderna.

São Petersburgo era um lugar de bastante rebeldia em meados do século 19, e muitas de pessoas acabaram sendo detidas nessa época. Tanto é que as prisões da cidade não conseguiam lidar com o fluxo de prisioneiros.

A prisão de Kresti foi projetada por Antony Tomishko, o primeiro arquiteto especializado em prisões da Rússia. Ele havia estudado prisões na Europa antes de embarcar no projeto.

Kresti é inspirado na penitenciária Panóptico, projetada pelo teórico social inglês Jeremy Bentham. A estrutura permite que todos os presos sejam observados por um único vigia, sem que saibam se estão sendo vigiados.

Na antiga Rússia, os mosteiros às vezes se transformavam em prisões, então, Tomishko imaginou Kresti como um lugar onde os detentos pagassem seus pecados enquanto presos em celas de estilo monástico.

O complexo de Kresti é projetado em estilo neorrusso (bizantino), conectando a construção com edifícios clericais. Por sinal, Kresti significa ‘cruzamento’ em russo.

A prisão, concluída em 1889, foi equipada com eletricidade, aquecimento central e ventilação.

As plantas de Kresti foram então usadas para construir prisões em todo o Império Russo (cerca de 30, no total).

Entre os prisioneiros famosos de Kresti estiveram Leon Trótski e membros do Governo Provisório após a Revolução Bolchevique. Na década de 1930, as celas foram inundadas com as vítimas do terror de Stálin.

As 930 celas foram projetadas para 1.150 prisioneiros, mas durante as purgas de Stálin, o número de presidiários chegou a cerca de 12.000.

Em 2017, todos os prisioneiros de Kresti foram transferidos para um novo edifício moderno que surpreendeu os jornalistas com seu luxo. O presídio continua sendo um território fechado, com alguns escritórios penitenciários ainda em operação.

Confira também a enciclopédia de tatuagens das prisões russas reunidas por policial britânico.

Quer receber as principais notícias sobre a Rússia em seu e-mail? 
Então assine nossa newsletter semanal ou diária.

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies