10 coisas que qualquer brasileiro ou russo que cresceu nos anos 90 tem saudade

Das tatuagens de decalque e calças bag aos tamagotchi e dentaduras de vampiro. Conheça também outras três coisas que marcaram a infância dos russos na época.

1. Leggings coloridas

Toda garota na Rússia tinha essas peças e as usava com orgulho. Fácil de combinar, mas ainda assim causando aquela impressão, essa versão bem atrevida das calças de ioga podia ser usada para um evento solene – ou para jogar fora mesmo.

No Brasil, a calça legging com moletom largo, meião e tênis Lucky (aquele carinhosamente apelidado de “bota de açougueiro”) fizeram a cabeça das hordas de patricinhas nos anos 90.

2. Calça bag

Você estava fora da moda se não usasse um bom par de calças bag. As escolas russas, e também as brasileiras, tinham grande concentração de seguidores dessa tendência. 

3. Fichki (tazos)

Esses pequenos disquinhos de papel vinham, no Brasil, dentro de salgadinhos. Em ambos os países, essa era uma das maiores diversões da garotada na década de 90. As crianças jogavam entre si e o vencedor ia acumulando os tazos dos outros. Jogadores mais experientes tinham vários tazos conquistados em partidas – mesmo porque ficar comprando tazos era considerado uma trapaça hedionda.

4. Filmes de Hollywood com dublagem nasal

Assim como no Brasil, algumas figuras ficaram conhecidas na Rússia por suas vozes – muitas vezes, estranhas –  que se repetiam nas dublagens de filmes americanos. Entre os russos, Leonid Volodarski ganhou fama narrando quase todos os filmes de Hollywood exportados para a Rússia em VHS. O som nasal de sua voz, que dificultava a compreensão da trama, faz parte da memória de todos os russos que cresceram nos anos 90. No Brasil também não faltam casos similares; um deles, por exemplo, é a voz da Fran da Família Dinossauros.

5. Tamagotchi

Esse bichinho virtual virou febre entre crianças e adolescentes do mundo todo – e Brasil e Rússia não passaram batido. Na Rússia, os pais escondiam os Tamagotchi sob travesseiros ou colchões para que os bichinhos não os acordassem à noite.

6. Álbuns de figurinhas

As crianças colecionavam (com muito mais frequência do que hoje) figurinhas para preencher os álbuns. Os temas variavam de heróis do cinema, desenhos animados e, é claro, as seleções da Copa do Mundo.

7. Mola maluca “Slinky”

Esse brinquedo megacolorido hipnotizava não só as crianças brasileiras, mas também as russas, especialmente as meninas.

8. Tatuagem de embalagem de chiclete

Quem não se lembra daquele chiclete duro que vinha com uma tatuagem de decalque dentro? Se você cresceu nos anos 90, sabe como aplicar essa tattoo com uma esponja.

9. Tetris

Esse game portátil tinha um número limitado de jogos instalados.

O principal, Tetris, ficou tão famoso que o aparelho acabou ficando conhecido por seu nome. Mas também tinha, por exemplo, aquele jogo da cobrinha.

10. Dentes de vampiro

Essas bugigangas vinham com várias coisas:  de brinquedos a doces, como lembrancinhas nas festas de crianças e etc. Todo mundo que cresceu na década de 1990 já foi um vampiro alguma vez.

11. Biscoito em vez de pipoca nos cinemas

Os russos não eram muito ligados em pipoca na década de 1990; o biscoito ruskembalado preenchia essa lacuna. As crianças costumavam comprá-los em lojinhas antes de irem aos cinemas, e as migalhas ficavam por todo lado nas salas.

12. Videogame Dendy

Esse clone taiwanês do Nintendo inundou o mercado russo em 1992. Embora agora pareça que todos os garotos russos nos anos 90 tivessem um, isso não é verdade.

Os sortudos cujos pais compravam um Dendy eram verdadeiros reis na vizinhança; já aqueles que tinham um Sega, eram como semideuses.

13. Livros infantis de mistério

Foi na década de 1990 que surgiram na Rússia os primeiros livros de detetives e mistérios para crianças, e elas os liam com entusiasmo. Quem pensaria em um título mais intrigante do que “O mistério do marshmallows mergulhado em chocolate”?

Curtiu? Então leia também “Os loucos anos 90: veja 7 comerciais de TV russos”. 

Quer receber as principais notícias sobre a Rússia em seu e-mail? 
Clique 
aqui para assinar nossa newsletter.

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Leia mais
Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies