Neste dia: Boris Pasternak, de ‘Doutor Jivago’, ganhava Nobel de Literatura

Boris Pasternak em Peredelkino, em 1958

Boris Pasternak em Peredelkino, em 1958

TASS
Sob pressão das autoridades soviéticas, escritor teve que recusar estimado prêmio.

Boris Pasternak foi um dos maiores poetas e tradutores da Rússia. Tornou-se reconhecido em todo o mundo pelo romance ‘Doutor Jivago’, sobre as dificuldades e as tragédias da Guerra Civil Russa que dividiam e destruíam famílias.

Pasternak foi nomeado para o Prêmio Nobel de Literatura 9 vezes – incluindo 3 indicações apenas em 1958, quando foi concedido “por suas conquistas importantes tanto na poesia lírica contemporânea quanto no campo da grande tradição épica russa”. A vitória se deveu sobretudo a ‘Doutor Jivago’, que havia sido publicado pela primeira vez em italiano no início daquele ano, com a ajuda da CIA.

Antes de Pasternak, apenas um escritor russo havia recebido Nobel de Literatura: o emigrante russo Ivan Búnin, que, por já viver fora do país, não teve problemas para receber seu prêmio.

A recepção da obra de Pasternak entre as esferas literárias e públicas soviéticas foi, em grande parte, negativa devido ao tom antissoviético do romance, e alguns até pediram para destituir o escritor de sua cidadania. Como resultado de uma campanha difamatória, Pasternak foi obrigado a recusar o prêmio.

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies