“Copo americano” russo? Conheça a origem do copo facetado na Rússia

Aleksêi Buchkin/Sputnik
Embora seja um dos objetos mais simbólicos da era soviética, foi inventado bem antes disso.

Nos tempos soviéticos, os copos de vidro facetados estavam presentes por todo canto – em cantinas, restaurantes, cafés, hospitais, escolas e até máquinas de venda automática com refrigerante.

Com o passar do tempo, tornou-se um dos símbolos daquela época. Mas, aparentemente, esse formato surgiu muito antes de os soviéticos o tornarem mainstream.

Lenda sobre Pedro, o Grande

A escultora soviética Vera Mukhina, creditada com a autoria por ser a chefe da Oficina de Vidro Artístico de Leningrado na época, projetou o copo de vidro em setembro de 1943.

No entanto, os copos de vidro são uma tradição muito mais antiga para os russos. Embora os produzidos antes de 1943 diferissem da versão soviética, tinham semelhanças evidentes.

Um deles é retratado na pintura do artista Kuzma Petrov-Vodkin “Natureza morta matutina”, de 1918. O copo de vidro presente na tela tem facetas comparativamente largas e não possui borda arredondada achatada. Copos semelhantes eram comuns na Rússia pré-Revolução.

Kuzma Petrov-Vodkin. Natureza morta matutina. 1918

O fabricante de vidro russo Iefim Smolin, que viveu no final do século 17 e início do século 18, é considerado o inventor da versão pré-revolucionária do copo de vidro facetado.

Reza a lenda que o inventor apresentou seu primeiro copo de vidro ao tsar Pedro, o Grande, alegando ser inquebrável. O tsar gostou e supostamente disse: “Que o copo exista!” (Stakanu byt’!). Ele teria jogado o objeto contra o chão para testar sua rigidez – mas o vidro estilhaçou. Ainda assim, o tsar não só não puniu o vidraceiro, mas permitiu a produção em massa dos copos facetados.

Acredita-se, porém, que as pessoas presentes neste episódio interpretaram errado as palavras do tsar. Eles assumiram que Pedro havia exclamado: “Quebrem os copos!” (Stakani bit’!). A partir dessa interpretação errônea surgiu uma tradição de quebrar copos lançando-os contra o chão após brindes especialmente importantes.

Design robusto

É inegável que os soviéticos levaram a popularidade do copo facetado a um novo patamar.

Um grupo de especialistas em vidro, designers e escultores foi convocado por uma ordem do governo soviético. A missão deles era diferente de qualquer outra:

“Eles foram encarregados de desenvolver esboços de utensílios de mesa que poderiam ser usados ​​em estabelecimentos de alimentação. Naquela época, as máquinas de lavar louça já estavam surgindo, e os copos tendiam a quebrar; além disso, precisava-se muito deles. Os especialistas receberam a tarefa de desenvolver um vidro que fosse durável, bonito, fácil de usar e de lavar. Em suas memórias, Uspenski [artista e membro do grupo de trabalho] escreve que muitas amostras de diferentes utensílios foram desenvolvidos, incluindo um copo facetado, que mais tarde começou a ser produzido na fábrica de cristais Gusevskoi”, contou Alla Tchukunova, curadora da coleção de vidro no Museu do Cristal de Maltsev.

Objetos expostos no Museu de História da Vodca, no interior da muralha do Kremlin Izmailovski

Os resultados do grupo de trabalho superaram as expectativas do governo soviético. Os copos facetados provaram ser muito duráveis ​​e fáceis de lavar em máquinas de lavar e à mão, graças à sua forma distinta.

Aos poucos, esse tipo de vidro se espalhou por toda a União Soviética, sendo usado praticamente em todos os estabelecimentos: de cantinas a hospitais, de resorts a máquinas de venda automática.

Samovar no vagão-restaurante de trem turístico em Sochi

Para uso em trens, os copos facetados foram complementados por outra invenção peculiar: porta-copos metálicos que se tornaram uma característica essencial e romântica das viagens de trem pela Rússia.

LEIA TAMBÉM; URSS tomava toda do mesmo copo (e, dizia-se, sem adoecer!)

Caros leitores e leitoras,

Nosso site e nossas contas nas redes sociais estão sob ameaça de restrição ou banimento, devido às atuais circunstâncias. Portanto, para acompanhar o nosso conteúdo mais recente, basta fazer o seguinte:
Inscreva-se em nosso canal no Telegram t.me/russiabeyond_br

Assine a nossa newsletter semanal

Ative as notificações push, quando solicitado(a), em nosso site

Instale um provedor de VPN em seu computador e/ou smartphone para ter acesso ao nosso site, caso esteja bloqueado em seu país.

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies