O que os russos dirigem quando está -50°C lá fora?

48°C  negativos em Iakutsk

48°C negativos em Iakutsk

Vadim Skriábin/TASS
Dirigir um carro na Iakútia, Taimir ou Tchukotka não é fácil, mas os engenhosos moradores dessas regiões conseguiram adaptar seus veículos até mesmo para o clima mais severo.

Já falamos sobre como os moradores de Iakutsk, Norilsk e Vorkuta preparam seus carros para invernos frios e com neve. Mas quais modelos de carros são vistos com mais frequência nas regiões russas onde o clima é congelante? Pode ser uma surpresa para muitas pessoas, mas os favoritos dos moradores locais não são SUVs enormes nem picapes.

Clássicos japoneses para a Sibéria e o Extremo Oriente

Cobertor para o carro é item essencial em Iakutsk

Quanto mais a leste se for na Rússia, mais carros japoneses e chineses podem ser encontrados nas vias, e a maioria deles são de segunda mão.

A Iakútia é a maior e mais fria região da Rússia. Duas cidades dessa república, Oimiakon e Verkhoiansk, já registraram temperaturas em torno de -70°C, enquanto na capital regional Iakutsk, temperaturas de -50°C são consideradas normais para o inverno. Que tipo de carro se pode dirigir em um clima tão extremo?

O site de automóveis Drom compilou um ranking dos carros mais vendidos na Iakútia. Depois de analisar mais de quatro milhões de anúncios publicados de 2015 a 2020, eles descobriram que as cinco primeiras posições em todos esses anos foram ocupados por diversos modelos de volante à direita da marca japonesa Toyota, enquanto em outros lugares da Rússia os modelos mais vendidos foram produzidos pela nacional AvtoVaz (Lada).

Anadir, Tchukotka

No final de 2020, o primeiríssimo lugar foi ocupado pelo hatchback compacto Toyota Vitz, seguido pela perua Toyota Corolla Fielder, o Toyota Allion, o sedã Toyota Premio e a minivan Toyota Ipsum. Todos apresentam um bom desempenho nas vias no inverno como consomem pouco combustível, o que é importante, pois vários moradores de Iakútia mantêm seus motores funcionando ininterruptamente por meses para evitar que seus carros congelem.

“Há uma forte crença de que o sistema CVT [do inglês, transmissão continuamente variável], não é adequado para o inverno. Funciona para mim, bato na madeira. No entanto, quando está frio, o cabo congela e, às vezes, é preciso esforço para mudar de marcha”, escreve Larissa, de Iakutsk, que dirige um Toyota Vitz no inverno e não tem garagem coberta.

Norilsk, maio de 2018

Para proteger seu carro contra as intempéries, ela instalou um segundo parabrisa, embalou as janelas com papel filme por causa das geadas e colocou um aquecedor Webasto.

“O Webasto faz um ótimo trabalho com temperaturas de -35°C e mais quentes. Quando chega a menos de 40°C negativos, o CVT congela e, quando a temperatura fica abaixo de 45°C negativos, as rodas ficam quadradas”, conta. “Porém, após cerca de cinco quilômetros de condução lenta, as rodas começam a recuperar sua forma original.”

Carros em Iakutsk protegidos com cobertores especiais

“Se você tem garagem e não sai da cidade, não precisa adicionar nenhum recurso extra para deixar seu carro mais quente”, escreve outro motorista de Iakutsk. “Pelo menos com os carros da Toyota, não. Atualmente dirijo um Corona Premio e tudo o que tenho para isolamento térmico é um pouco de papelão. À noite, o carro fica em uma garagem aquecida, enquanto durante o dia fica estacionado do lado de fora do meu escritório.”

Ao observar os anúncios de carros em Norilsk (no norte do território de Krasnoiarsk), dois modelos da Toyota são evidentemente os favoritos. Embora existam muitos Land Cruisers à venda, os Toyotas são seguidos pelos russos Ladas (sobretudo o novo modelo Vesta), KIA Rio, Hyundai (Solaris, principalmente) e Nissan (com o SUV X-trail na liderança). Em Tchukotka, os motoristas têm preferências bastante semelhantes.

Existem poucos carros a diesel nas regiões frias do país, uma vez que o diesel congela em temperaturas abaixo de -50ºC.

O que as pessoas dirigem nas áreas rurais?

Bukhanka levando turistas ao parque nacional Pilares do Lena, na Iakútia

Entre os veículos russos, os mais populares no norte são o moderno UAZ Patriot e o micro-ônibus Bukhanka (do russo para “pão de forma”), projetado na era soviética.

“O UAZ é o principal meio de transporte na República da Iakútia”, diz o morador Vladímir Popov. “O Bukhanka UAZ 2206 e suas modificações são usadas por todos: ambulâncias, polícia, viagens intermunicipais, transporte de carga, setores privado e corporativo.”

Quase todos esses micro-ônibus são adaptados ao frio severo, com reforço da estrutura e instalação de aquecimento adicional. Às vezes, após alterações, pouco resta do Bukhanka original além do design exterior.

Viatura policial em Norilsk

No entanto, quando se trata de condução fora das cidades, este veículo ainda não tem concorrentes em sua faixa de preço. Custa cerca de um milhão de rublos (pouco mais de US$ 13.300 na atual taxa de câmbio), que é quase o mesmo que um sedã KIA Rio. Embora não conte com tantos recursos adicionais, não ficar preso em uma estrada quando está menos 50 do lado de fora é muito mais importante do que ter sensores de estacionamento.

Entrando na cidade de Iakutsk, a temperatura cai para 50°C negativos

Outro veículo onipresente no norte é o GAZ Sobol, um caminhãozinho de fabricação russa.

“Até agora estou completamente satisfeito com meu Sobol”, afirma Serguêi Volkov, motorista de uma unidade de terapia intensiva móvel de Iakutsk. “Estou satisfeito com o veículo. Durante seus primeiros 40.000 quilômetros, não apresentou problemas graves. Ao contrário do UAZ, oferece excelente campo de visão e controles claros.

Após nevasca em Norilsk

Viajantes radicais e entusiastas de viagens pela taiga siberiana e por destinos de inverno do Extremo Oriente geralmente preferem dirigir veículos off-road de grande porte como o UAZ Patriot e o UAZ Hunter. De qualquer modo, é aconselhável adiar as viagens de estrada para essas regiões até o verão e nunca viajar sozinho fora dos limites municipais. 

Dê uma olhada no vídeo abaixo e você entenderá imediatamente o por quê:

LEIA TAMBÉM: Como os russos lucram com o frio

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies