5 estações FANTASMA do metrô de Moscou

Aleksêi Kudenko/Sputnik, Legion media, Russia beyond
Elas saíram do papel, mas depois mudaram de função, permaneceram fechadas ou tiveram problemas técnicos. Eis as “estações fantasmas” da rede de transporte subterrâneo de Moscou!

1. Soviétskaia (construída antes de 1934, hoje é um bunker)

Esta estação deveria ficar localizada sob a Praça Tverskaya, que se chamava Soviétskaia (“soviética”), na época soviética. Mas, em 1934, decidiu-se fazer dela um bunker subterrâneo de defesa.

Na praça, ficam importantes instituições. A principal delas era a casa da administração da cidade de Moscou (chamada de “Mossovet”), na rua Tverskaia, número 13 (hoje, é o escritório do prefeito de Moscou). Do lado oposto da praça ficava o instituto Vladímir Lênin, com seu arquivo ultra-secreto.

Ambos os edifícios precisavam de saídas subterrâneas seguras e abrigos contra bombas, por isso o bunker “Sovietskaia” era muito útil. Ele também continha a sede subterrânea do sistema de Defesa Civil de Moscou. A instalação secreta está em pleno funcionamento até hoje.

Praça Tverskaia, anteriormente, Soviétskaia.

Após a decisão de transformar a “Sovietskaia” em um bunker, ainda não havia estação de metrô no trecho de 2 quilômetros entre as estações Teatrálnaia e Maiakóvskaia. Somente em 1979 surgiu a estação Tverskaia (então, chamada Gorkovskaia).

2. Kalújskaya (operou entre 1964-1974, hoje é um depósito)

Antiga estação Kalújskaia.

Entre 1964 e 1974, a antiga estação “Kalújskaia” era a a parada sul do terminal na linha Kalújsko– Ríjskaya (a linha laranja). Ela era (e ainda é) uma estação acima da terra. 

Estação Kalújskaia.

Quando a linha foi estendida para o sul em 1974, uma nova estação “Kalújskaia” foi construída no subsolo nas proximidades (a que atualmente está em operação), enquanto a antiga foi transformada em um depósito dos trens.

Trem no depósito da Kalújskaia.

O edifício de depósito foi, posteriormente, expandido para o leste. Um dos trilhos da antiga plataforma foi removido, o outro abriga trens à noite e a plataforma é usada como depósito.

3. Pervomaiskaia (operou entre 1954-1961, e é hoje um depósito)

Estação

A história desta estação é muito semelhante à anterior. A antiga “Pervomaiskaya” ("Estação de Primeiro de Maio") foi inaugurada em 1954 — ela era então a estação terminal leste da linha Arbátsko-Pokróvskaia (linha azul escura), a primeira estação aérea do Metrô de Moscou e a mais oriental da rede.

Mas, em 1961, decidiu-se estender a linha Arbátsko-Pokróvskaia ainda mais com duas novas estações: a “Izmailóvskaia” e “Pervomaiskaia”. 

Hall da

Portanto, a antiga “Pervomaiskaia” foi fechada e transformada em uma parte do depósito de trens visível quando se viaja entre a “Partizánskaia” e a “Izmailóvskaia”.

Trem no depósito

Dentro do depósito, as paredes originais da estação, projetadas no estilo do “Império Estalinista”, ainda estão intactas. O hall de entrada da antiga estação hoje é usado como a sala de conferências do depósito. A entrada da estação também pode ser vista ainda atrás das garagens.

Entrada da Pervomaiskaia.

4. Troitse-Likovo (estação técnica desde 2008)

A plataforma mais curta do metrô de Moscou (com apenas 26 metros) é a da Troitse-Likovo, que deveria ser uma estação totalmente funcional no trecho entre as estações “Krilatskoie” e “Stroguino” da linha Arbátsko-Pokróvskaia (linha azul escura), atualmente a trecho mais longo do metrô de Moscou (com mais de 6 km).

Estação técnica Troitse-Likovo.

Inicialmente, foi alocado no subsolo espaço para uma plataforma de passageiros de 200 metros. Mas em 2008, durante a construção da estação, a aldeia de Troitse-Likovo (que rende nome à estação) foi reconhecida como marco histórico, e por isso os planos para concluir a construção da estação foram interrompidos.

Estação técnica Troitse-Likovo.

Atualmente, a estação Troitse-Likovo tem funções puramente técnicas. Ela ainda tem uma saída de poço de emergência acima do solo.

5. “Instalação D” (estação técnica desde 2008)

Outra parada técnica na linha Arbátsko-Pokróvskaia (linha azul escura), a “Instalação D” não foi feita para ser uma estação, mas apenas uma parada de saída de emergência. Como o comprimento do trecho “Krilátskoie-Stroguino” é superior a seis quilômetros, as normas de segurança exigem outra saída de emergência (além da Troitse-Likovo) ao longo da linha, para o caso de situações críticas —evacuação de passageiros e/ou tripulações dos trens.

A “Instalação D” tem duas plataformas curvas de 40 metros e uma escadaria de emergência acima do solo. No subsolo, ela é usada para as trocas de turno das tripulações dos trens.

LEIA TAMBÉM: Abrigo, cinema e até biblioteca: o metrô de Moscou durante a 2ª Guerra Mundial

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies