Anvisa libera importação de Sputnik V por mais 7 estados brasileiros

Reuters
Diversos estados do Norte, Nordeste e Centro-Oeste poderão aplicar o imunizante em 1% das populações locais. Vacinas devem chegar ao Brasil em julho.

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) autorizou na última terça-feira (15) a importação da vacina russa contra covid-19 Sputnik V por mais sete estados brasileiros: Rio Grande do Norte, Mato Grosso, Rondônia, Pará, Amapá, Paraíba e Goiás.

Assim como na deliberação anterior, os estados terão inicialmente permissão para aplicar o imunizante em apenas 1% da população local. Relatórios sobre a vacinação e seus resultados serão regularmente encaminhados à Anvisa, contribuindo assim para a decisão de autorizar futuros suprimentos.

“A Anvisa receberá relatórios periódicos de avaliação benefício-risco da vacina; a vacina deverá ser utilizada em condições controladas com condução de estudo de efetividade; (...) a Anvisa poderá, a qualquer momento, suspender a importação, distribuição e uso das vacinas importadas”, lê-se em um comunicado divulgado pela agência reguladora.

Após mais de dois de negociações e recusas, a diretoria da Anvisa votou, em 4 de junho, pela aprovação das importações e uso limitado da vacina russa Sputnik V pelos estados da Bahia, Maranhão, Sergipe, Ceará, Pernambuco e Piauí.

Com a deliberação, o Brasil se tornou o 67º país a aprovar o uso emergencial da Sputnik V. 

De acordo com o presidente do Fundo Russo de Investimento Direto (RDIF), Kirill Dmitriev, a vacina anticoronavírus russa Sputnik V será entregue ao Brasil em julho. 

LEIA TAMBÉM: “Vodca contra covid” e outras fake news que rolam na Rússia durante a pandemia

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies