Coisas surpreendentes atualmente PROIBIDAS na Rússia

Russia beyond (Foto: Legion media)
Estrangeiros reclamam que LinkedIn e queijo são escassos no país. Mas tem mais.

Quem estiver se mudando do exterior para a Rússia pode já estar esperando algumas mudanças de vida. No entanto, às vezes, as pessoas descobrem que, para seu espanto, as coisas mais triviais que costumavam usar em seu país de origem são proibidas na Rússia.

Queijo e LinkedIn

É provável que a reclamação mais frequente entre os estrangeiros que vivem na Rússia seja a dificuldade para encontrar alguns queijos europeus. Em 2014, o Kremlin proibiu as importações de certos alimentos da União Europeia em resposta às sanções impostas à Rússia pelo bloco. A política de sanções deixou russos e expatriados sem acesso a produtos antes básicos.

“Alguém mencionou os queijos de leite cru da França. Sinto muita falta deles. E carne de boa qualidade da Austrália [e] dos Estados Unidos. Tudo devido às sanções”, disse Jay Miller em um bate-papo com o Russia Beyond no Facebook.

Embora a proibição de certos alimentos seja um fato consumado há anos, a incapacidade, por exemplo, de acessar a rede social LinkedIn da Rússia pega muitos estrangeiros de surpresa. Em 2016, um tribunal russo decidiu que o LinkedIn deveria ser bloqueado no país, por suposta violação da nova lei de retenção de dados. Desde então, a rede social com foco em carreiras continua oficialmente proibida na Rússia. Alguns usuários conseguem encontrar uma maneira de contornar a proibição recorrendo a provedores de VPN, mas não é a mesma coisa.

Bebidas energéticas

Não há proibição federal de vender bebidas energéticas a menores na Rússia. No entanto, muitas pessoas reclamam que os caixas exigem documento de identidade para comprar um energético e, por isso, alegam que seus direitos estão sendo infringidos.

A verdade, porém, é que o caixa tem o direito de exigir documento de identidade, já que a venda de bebidas energéticas para menores é proibida em nível local em quase metade das regiões da Rússia, embora não em todos os lugares.

Portanto, dependendo de onde se estiver na Rússia, você pode ou não comprar uma lata de Red Bull ou outra bebida energética se tiver menos de 18 anos. Às vezes, as normas acabam sendo interpretadas livremente, o que leva a incidentes um tanto cômicos.

“Acredito que existam leis na Rússia contra a venda de bebidas energéticas, como Red Bull, para menores. Mas não acho que contem para Coca normal. Então, tentei comprar duas latas de Coca Zero em uma lojinha em Vologda e pediram meu passaporte. Fiquei surpreso com o pedido, mas consegui responder em russo “Нужен?” ["Precisa disso?"]. Eu disse que não tinha, então ele não me vendeu. Sou um pouco tímida para falar russo, acabei não perguntando mais nada. Foi um pouco decepcionante, mas não foi um grande problema para mim. Eu estava muito confusa. Foi a única vez que me pediram passaporte para comprar Coca”, disse Andrea Doherty, expatriada que mora em Moscou.

Medicamentos

Muito mais sério é quando alguns expatriados descobrem que medicamentos prescritos e usados em seu país de origem não podem ser adquiridos legalmente na Rússia, por falta de aprovação pelas autoridades médicas locais.

“Provigil (Modafinil) e Adderall são considerados substâncias controladas aqui. Obtê-los em farmácias on-line e enviá-los por Correio Russo pode resultar em prisão. O fato de eu ter sido diagnosticado com TDAH [transtorno de déficit de atenção e hiperatividade] e ter uma receita norte-americana é irrelevante”, diz Gene Kurbatov.

Antes de embarcar no avião para a Rússia, Kurbatov teve que se desfazer do remédio no aeroporto, depois de ser aconselhado por um amigo. Ao chegar ao país, Kurbatov teve que procurar substitutos com ação semelhante e que fossem legais para compra.

Há vários casos na Rússia de pessoas que foram presas nos correios ao irem buscar encomendas com medicamentos não registrados no país.

Proibições ad hoc

Alguns expatriados também relatam inconvenientes ao serem repreendidos por atividades que não são legalmente proibidas no país. Filmar no metrô de Moscou é uma delas.

“O guarda do metrô de Moscou me proibiu de tirar fotos das belas estações. Tive que me segurar para não mostrar a ele os painéis informativos em todos os lugares, dizendo que fotos são permitidas no metrô (contanto que não se use tripé, flash ou obstrua o fluxo de passageiros). Essa foi a única experiência negativa que tive durante minhas duas semanas de estada”, conta Seb Renard. Quando, mais tarde, fotografou outra estação de metrô, Renard diz ter tido uma conversa amigável com um policial que parecia “curioso, não desconfiado”.

Outro expatriado expressou indignação com algo que muitos russos apoiariam: a proibição tácita de abrir as janelas da cabine de um trem para permitir a entrada de ar fresco.

“É muito sufocante quando as janelas do trem estão trancadas, e o aquecimento está no máximo, especialmente quando alguém está comendo peixe ou ovos cozidos no vagão. As senhoras [funcionárias] do trem sempre se recusam a abri-los, mesmo durante o verão.”

Uma vez que algumas dessas proibições não estão escritas na lei, é possível superá-las por meio de diálogo e negociação. Mas boa sorte com isso!

LEIA TAMBÉM: 7 proibições BIZARRAS da Rússia tsarista

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies