Helicóptero Mi-6 está abandonado no pântano russo há 40 anos. Mas por quê?

Mi helicopter/youtube
Devido a um erro de reabastecimento, o veículo foi obrigado a pousar em uma área pantanosa. Só que está longe de ser a única aeronave abandonada na Rússia.

Em 8 de agosto de 1981, um helicóptero Mi-6 que estava em uma expedição de prospecção de petróleo fez uma parada para reabastecimento na base de Khalampur, no distrito de Iamália-Nenets (2.400 km de Moscou). O helicóptero abastecido decolou, mas após cinco minutos de voo agitados, a uma altitude de 150 metros, os dois motores falharam.

A tripulação de cinco pessoas conseguiu fazer um pouso de emergência em uma área pantanosa 60 km a sudeste da cidade de Tarko-Sale. Ninguém ficou ferido, mas o helicóptero sofreu danos irreparáveis.

A investigação descobriu, mais tarde, que os operários de reabastecimento na base encheram erroneamente o tanque com gasolina misturada com água, causando a falha dos motores.

Há 40 anos, os destroços do helicóptero estão abandonados no pântano; a cauda e os motores foram roubados. Nem uma vez sequer foram relatados planos para removê-lo.

Mas este Mi-6 não é a única aeronave soviética abandonada no meio de um pântano ou floresta. A apenas uma hora de carro de Moscou, no bairro de Lugovaia, na cidade de Lobnia, é possível  encontrar um “ pulverizador agrícola” AN-2 de 1949 abandonado. Ele foi comprado e instalado pelo proprietário de um café local.

Outra aeronave, desta vez um Tu-134 de 1974, está localizada na costa a 50 km de Vladivostok, no local de um antigo campo de trabalho forçado do Gulag. De acordo com a imprensa russa, o tanque foi comprado e transferido para lá por um empresário local que pretendia restaurar o avião e construir um hotel ao lado, mas a pandemia atrapalhou os planos. Hoje em dia, moradores e turistas chegam para ver o avião abandonado e tirar selfies.

A máquina voadora abandonada mais majestosa da Rússia é uma aeronave anfíbia Lun, o único híbrido avião-barco de combate do mundo, que permanece abandonado na costa do Mar Cáspio em Derbente, no Daguestão (a cerca de 2.000 km de Moscou).

A construção do avião anfíbio teve início na fábrica do Volga em Níjni Novgorod (422 km de Moscou) em 1983 e, em 1986, foi lançada na água. Com velocidade máxima de 500 km/h, a Lun foi projetada para lançar ataques de mísseis contra navios de superfície inimigos.

Em 1990, o Lun foi colocado em operação experimental, mas um ano depois o projeto acabou sendo encerrado devido ao colapso da URSS e ao esgotamento da verba. Por muitos anos, ele ficou baseado na cidade de Kaspisk, onde passou por testes. Até que, em julho de 2020, o Lun foi entregue no local do planejado Parque Patriot em Derbente, onde será o item principal de exposição. Não se sabe exatamente quando o parque será construído, mas moradores e turistas de toda a Rússia já estão fotografando o "monstro marinho" mais famoso da região.

LEIA TAMBÉM: Por que a URSS abandonou seu próprio ônibus espacial (inclusive, melhor que o dos EUA)

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies