Farmacêutica pede autorização à Anvisa para realizar testes da Sputnik V no Brasil

Reuters
Agência tem até 72 horas para analisar o protocolo da pesquisa.

A farmacêutica brasileira União Química, parceira do Fundo Russo de Investimento Direto (RDIF), entrou com pedido junto à Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) para realizar os ensaios clínicos de fase 3 da vacina russa Sputnik V.

“Na noite de terça-feira (29), a Anvisa recebeu pedido de autorização para realização de ensaios clínicos Fase 3 da vacina Sputnik V. O pedido foi protocolado pelo laboratório de União Química. (…) A Anvisa vai analisar o protocolo da pesquisa em até 72 horas”, informou a assessoria de imprensa do agência na noite de terça.

O órgão também reiterou que, para a obtenção do registro estatal de qualquer medicamento no Brasil, é obrigatório realizar os ensaios em território nacional.

Ainda segundo a Anvisa, foram realizados uma série de encontros com representantes da União Química nas últimas semanas. Durante as conversas, o agência foi informada sobre os detalhes das pesquisas futuras, incluindo quantos voluntários participarão dos testes e quais instituições estarão envolvidas.

Até o momento, a agência brasileira aprovou ensaios clínicos de quatro vacinas contra covid-19 no país: Sinovac Biotech, AstraZeneca, Pfizer e Janssen-Cilag.

No final de outubro, o RDIF anunciou que havia apresentado à Anvisa um conjunto preliminar de documentos para registrar a Sputnik V. Os documentos foram protocolados na agência reguladora do Brasil em 29 de outubro, segundo o fundo.

LEIA TAMBÉM: Argentina inicia vacinação contra covid-19 com variante russa Sputnik V

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies