Gatos do Hermitage recebem herança de cidadão francês

AFP
Motivo pelo qual homem deixou dinheiro para felinos ainda é mistério.

Um cidadão francês deixou parte de sua herança para os gatos que vivem no museu Hermitage, em São Petersburgo, segundo o diretor da instituição, Mikhail Piotrovski, durante um encontro on-line com entusiastas em 1º de dezembro.

Um dos participantes perguntou como os gatos estão sobrevivendo à crise do coronavírus, uma vez que os museus permanecem fechados na Rússia, e Piotrovski explicou que a situação estava sob controle.

“Nunca paramos de cuidar dos gatos, nossos visitantes e internautas também cuidam deles”, disse. “Os gatos têm seus próprios patronos: recentemente, um homem da França deixou uma pequena quantia – estamos nos correspondendo com advogados.”

De acordo com a assessoria de imprensa do museu Hermitage, não se sabe por que o homem decidiu deixar o dinheiro aos gatos nem se ele morava em São Petersburgo.

O museu Hermitage conta com felinos a seu serviço desde meados do século 18. Os gatos protegem as galerias de arte e adegas do palácio (o Hermitage tem quase 20 km delas) de ratos e camundongos.

LEIA TAMBÉM: Como gatos siberianos salvaram o Museu Hermitage

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies