Do dia em que a Rússia sonhou em ser a nova casa de Maradona

Global Look Press
Bons tempos aqueles em que o rei do futebol buscava a cidadania russa — e os russos já conjecturavam como seria a vida do astro em suas terras...

Em 2017, o lendário ex-jogador de futebol Diego Maradona, que morreu nesta quarta-feira (25 de novembro), viajava à Rússia para assistir à final da Copa das Confederações. Na época, ele considerava se candidatar para obter a cidadania russa, de acordo com a imprensa.

A informação gerou uma enorme onda de rumores: o que Maradona faria no país? Ele certamente se interessava por ser o treinador da seleção russa, mas, caso obtivesse a cidadania,  poderia encontrar pelo menos três outros tipos de emprego no país, como sonhavam os russos:

1. Treinador da seleção russa

O argentino declarou na época à imprensa russa que a verdadeira razão para a sua visita era se candidatar à vaga de treinador da seleção do país. Segundo ele, a equipe não sabia como atacar e não tinha confiança, o que ele poderia corrigir.

Maradona já tinha trabalhado como treinador da seleção argentina entre 2008 e 2010. Durante o período, a Argentina chegou às quartas de final da Copa do Mundo de 2010.

2. Primeiro estrangeiro no governo

Os russos achavam ainda que, devido a sua experiência como jogador e treinador, Maradona poderia tentar conseguir um emprego de elite. O argentino poderia ser nomeado chefe da Federação Russa de Futebol (RFS, na sigla em russo), ou mesmo ministro do Esporte. Se isso acontecesse, cogitavam, Maradona poderia se tornar o primeiro estrangeiro a ocupar uma posição no alto escalão do governo russo.

Obviamente, isso seria um cargo político, e os pontos de vista políticos de Maradona e sua atitude em relação ao presidente da Rússia, Vladimir Pútin, poderiam ajudá-lo a obter esse emprego. O argentino manifestou apoio à política do líder russo e, durante a  viagem de 2017 à Rússia, chamou Pútin de "fenômeno da primeira divisão" dos líderes mundiais.

3. Jogador da seleção nacional

Se os melhores empregos não estivessem disponíveis para Maradona, então, fantasiavam os russos, a equipe de futebol do país sempre poderia se beneficiar de sua experiência. Então aos 56 anos de idade, Maradona jogava melhor que alguns membros da seleção da Rússia, que tinha se tornado objeto de constantes críticas após uma série de derrotas humilhantes. Naquela mesma Copa das Confederações, por exemplo, a Rússia perdeu para o México na fase de grupos.

4. Comentarista de TV

Na Rússia, Maradona também poderia usar seu talento como comentarista de futebol televisivo. O jogador argentino trabalhou como comentarista de televisão em canais da América Latina durante a Copa do Mundo de 1998, de 2002 e de 2006. Assim, a falta de comentaristas de futebol carismáticos seria suprida pelo rei do futebol mundial. Com seu conhecimento, energia e declarações polêmicas, Maradona poderia, conjecturavam os russos, ter preenchido essa lacuna.

LEIA TAMBÉM: Os 8 homens latino-americanos mais famosos na Rússia

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies