Os 8 homens latino-americanos mais famosos na Rússia

De escritores e políticos a futebolistas.

1/ Ernesto Che Guevara

Seu nome está associado a justiça e liberdade. Em 30 de outubro de 1960, uma missão do governo de Cuba – liderada por Che Guevara – chegou a Moscou.

Em entrevista, ele comentou que Moscou havia causado uma ótima impressão, mas que gostaria de passar mais tempo na Rússia para conhecer melhor a cultura. Também ficou impressionado com a arquitetura da capital. Os russos demostraram grande apoio aos cubanos, e até as crianças sabiam quem eram Fidel Castro e Che Guevara.

2/ Fidel Castro

Fidel Castro en Volgogrado, 1963. /TASS

“Fidel Castro era um amigo sincero e confiável da Rússia. Fez uma enorme contribuição para a formação e o desenvolvimento de relações bilaterais entre os dois países, além da estreita cooperação estratégica em todos os campos”, escreveu Putin, após a morte do líder cubano.

O ex-presidente soviético Mikhail Gorbatchov chegou a ser referir a Fidel como “um homem notável que deixou uma grande memória no mundo”. Ainda segundo Gorbatchov, o cubano fez o possível para destruir o sistema colonial no século 20.

Castro visitou a Rússia pela primeira vez em 1963, após a crise dos mísseis. Esteve em cidades como Irkutsk e Samarcanda.

Seu tradutor Nikolai Leónov disse que, ao passearam, centenas de pessoas os cercavam Fidel na rua. A visita oficial terminou com um discurso de Castro em um estádio em Moscou diante de 100.000 pessoas.

Castro levou para Cuba 12 latas de caviar preto, um rifle de caça e um urso vivo dado a ele de presente por geólogos no Baikal.

Em 2017, Fidel Castro foi homenageado com o nome de uma praça em Moscou. 

3/ Gabriel García Márquez

Gabriel García Márquez en el Festival de Cine Internacional de Moscú, 1987. M.

Gabriel García Márquez é o escritor latino-americano mais popular na Rússia, graças a obras como “Cem Anos de Solidão” e “A revoada (O enterro do diabo)”.

Em 6 de março de 2012, o então presidente russo Dmítri Medvedev premiou o romancista por sua “contribuição ao fortalecimento da amizade entre os povos da Rússia e da América Latina”.

Segundo o historiador, jornalista e biógrafo de Gabriel García Márquez, Miguel Palacio, existem muitos blogs e sites russos dedicados a Márquez. “Atrai o interesse dos jovens russos porque tem um notável senso de humor e ironia”, explica.

García Márquez visitou a União Soviética em 1957, quando participou do 6º Festival Mundial de Jovens e Estudantes de Moscou. Após a viagem, escreveu um ensaio intitulado “URSS: 22.400.000 quilômetros quadrados sem um único lembrete da Coca-Cola”, com citações como: “Acho que em nenhum lugar as pessoas podem ser mais interessantes do que na União Soviética”. 

4/ Paulo Coelho

Na Rússia, o escritor brasileiro Paulo Coelho ficou famoso após a publicação de “O Alquimista”, que por um longo tempo esteve entre os dez livros mais vendidos.

O autor visitou a Rússia em 2006 e viajou por todo o país a bordo da Transiberiana. Coelho dedicou sua viagem a Aleksandr Soljenítsin e seu livro “Arquipélago Gulag”.

Após a viagem, Coelho se encontrou com o presidente Vladimir Putin. O escritor contou a ele suas impressões sobre o lago Baikal, onde se banhou, apesar do frio: “Eu senti que precisava”. “Os brasileiros são mais fortes, nem todos os russos se atrevem a fazê-lo”, brincou Putin, que confessou gostar dos livros de Paulo Coelho.

5/ Alejandro González Iñárritu

Iñárritu foi o primeiro cineasta mexicano a ser indicado ao Oscar. Seu filme “O Regresso” (2015) arrecadou mais de 7,6 milhões de dólares na Rússia.

Iñárritu sempre deixou clara sua admiração pelo renomado diretor russo Andrêi Tarkóvski. “Lembro que na primeira vez que vi um filme de Tarkóvski, fiquei chocado por não saber o que fazer. Fiquei fascinado porque percebi que em seus filmes poderia haver mais camadas do que eu imaginava”, declarou certa vez.

6/ Lionel Messi

O jogador de futebol argentino é considerado um dos melhores do mundo – e por isso é também um dos mais conhecidos na Rússia.

Entre seus seguidores está o astro mundial de hóquei no gelo Aleksandr Ovetchkin. “Todos os jogadores do Barça são meus ídolos, mas independentemente de onde Messi jogar, eu sempre irei admirá-lo”, disse Ovetchkin em entrevista ao FIFA.com.

7/ Diego Maradona

Na Rússia, assim como em várias partes do mundo, Maradona é um deus. Desde a URSS, os russos ficavam impressionados com sua capacidade de reagir e se mover rapidamente – com a certeza de que ele sempre poderia mudar o jogo. 

8/ Pelé

Não dá para falar de Maradona sem citar o brasileiro Pelé, tão aclamado na Rússia quanto no resto do mundo. No total, Pelé jogou contra a seleção da URSS três vezes – incluindo o amistoso entre  Brasil e URSS, em Moscou, em 1965. 

Embora a atual seleção russa não demonstre grande desempenho, Pelé já chegou a se referir ao lendário goleiro russo Lev Yashin como “para sempre número um”.

LEIA TAMBÉM: ‘Brasil, Brasil, eu também quero ir ao Brasil’ e outras joias da música popular... russa!

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies