A cerveja era mesmo considerada refrigerante na Rússia antes de 2011?

Leonid Gaidai/Mosfilm, Luch, 1966
De acordo com algumas fontes na internet, a cerveja não era uma bebida alcoólica até recentemente. Mas é hora de encerrar outro mito estereotipado sobre os russos.

Pais desfrutando de um engradado de 6 cervejas com os filhos, mulheres grávidas virando copo em locais públicos, motoristas tomando um pilequinho antes de dirigir –é assim que muitas pessoas imaginam a Rússia no passado quando “descobrem” que a cerveja foi supostamente considerada uma bebida alcoólica apenas em 2011.

Como na maioria das vezes, a verdade é um pouco mais complexa do que parece à primeira vista: sim, o governo russo não classificava a cerveja como álcool até 2011; mas não, os russos não pensavam que a cerveja fosse um refrigerante com álcool.

Antes de 2011, a cerveja (contendo menos de 10% de álcool) era considerada “produto alimentar” na Rússia, e sua venda era regulamentada como tal. O motivo: o acordo comercial internacional do qual a Rússia fazia parte. 

O chamado Acordo de Nice distinguia bebidas com alto teor alcoólico e cerveja como duas classes independentes de mercadoria. Embora os produtores de bebidas mais fortes tenham pressionado o governo russo a reclassificar a cerveja como álcool (pois queriam uma concorrência justa), as autoridades resistiram a fazê-lo.

Durante essa época, a cerveja na Rússia era vendida em vendas e barracas por todo o canto. Era comum ver pessoas bebendo cerveja em locais públicos e nas ruas. E era comercializada pelos produtores como uma alternativa mais saudável a bebidas fortes.

Tudo isso mudou em 2011, no entanto, quando o então presidente Dmítri Medvedev assinou uma lei reclassificando a cerveja como bebida alcoólica.

Como resultado, aconteceram diversas mudanças cruciais: as pessoas foram proibidas de beber cerveja nas ruas e parques; proprietários autônomos que vendiam cervejas em barracas e tendas perderam o direito de fazê-lo; a venda de cerveja tornou-se ilegal nas proximidades de instituições educacionais e esportivas para crianças (como escolas e jardins de infância) e próximo a pontos de ônibus; a publicidade ao ar livre e na TV também tornou-se restrita. Finalmente – e talvez a mais importante –, os mercados perderam o direito de vender cerveja entre as 11 da noite e 8 de manhã.

As medidas visavam combater o crescente consumo de álcool na Rússia.

Quanto aos russos, todos estavam cientes que a cerveja continha álcool antes da assinatura da nova lei em 2011. Dirigir sob influência de álcool (incluindo cerveja) sempre foi ilegal, as mulheres grávidas sempre foram informadas dos efeitos negativos da bebida, e menores de 18 anos não podiam comprar cerveja livremente.

Além disso, o efeito da lei não deve ser subestimado. Hoje, qualquer pessoa que for pega bebendo cerveja na rua ou em outros locais públicos pode parar na delegacia.

LEIA TAMBÉM: ‘O urso estava me enterrando e me comendo’: russas contam como sobreviveram a ataques

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies