Como os bolcheviques transformaram uma catedral em escola de mergulho (FOTOS)

Anastasia/@nakifaria
Piscina de mergulho de 40 metros de profundidade foi construída no lugar do altar.

No período soviético, o planejamento bolchevique contra a religião desmontou milhares de catedrais. As que sobreviveram foram fechadas e reformadas para servir a propósitos completamente diferentes. Viraram quartéis, armazéns, planetários, centros culturais e até prisões – basicamente, o que desse na telha!

A Igreja da Misericordiosa Mãe de Deus, na Ilha Vassílievski, em São Petersburgo, foi construída em 1889, em homenagem à coroação do tsar Aleksandr 3°. Parte do dinheiro para a construção foi paga pelo próprio imperador, e o restante foi doado por marinheiros.

Acontece que a catedral de estilo bizantino foi construída por encomenda do Departamento Naval (o órgão principal da frota naval) e assim ela foi considerada uma das mais importantes igrejas navais de São Petersburgo. Provavelmente esse também foi um fator importante para seu destino subsequente.

A glória da catedral é anterior à Revolução Russa. Ela se situava no distrito de Galernaia Gavani, ponto pobre de Petersburgo: moravam ali miseráveis, pobres e trabalhadores braçais ou antigos camponeses. Na virada do século, as missas do ano inteiro foram realizadas por um padre chamado Grigóri Gapon. Sua popularidade era tão grande que ele atraía entre duas e três mil pessoas por missa - e isso só porque a igreja não tinha capacidade para mais. Foi, aliás, Gapon que, em 1905, reuniu uma multidão de 50.000 trabalhadores para marchar pacificamente ao Palácio de Inverno. O fatídico dia ficaria conhecido como o “Domingo Sangrento”.

A catedral continuou aberta após a Revolução, e só fechou as portas em 1932, quando se mencionou quem a encomendou. O edifício foi então reaproveitado para se tornar uma instalação de treinamento de mergulho. Apenas um ano depois, as paredes altas e resistentes da catedral abrigavam uma câmara de pressão.

A piscina de mergulho de 40 metros de profundidade foi o primeiro projeto do tipo em toda a URSS e segundo na Europa, atrás apenas da Inglaterra.

No lugar do altar, havia agora uma piscina.

Já as relíquias e artefatos da igreja foram logo saqueados, enquanto os afrescos foram cobertos de tinta. Quando a escola de mergulho foi fechada, havia 10 camadas de tinta sobre os afrescos, segundo os especialistas que trabalharam nas obras de reforma.

A reforma só começou em 2006, quando foi iniciado o longo processo de devolução do edifício à Igreja Ortodoxa Russa. Os equipamentos da antiga escola de mergulho estavam há muito tempo largados no prédio, já que poucas pessoas tinham autorização para entrar ali após o fechamento.

Em 2015, quando as reformas estavam finalmente em andamento, relatou-se que ali havia paredes irregulares, cabos pendurados, uma enorme piscina revestida de azulejos enferrujados e um poço gigantesco coberto por uma iconostase temporária.

As escadas de metal que desciam pela piscina de mergulho eram o maior problema: temia-se que a estrutura do edifício não sobrevivesse a sua remoção e o domo desabasse. Mas, no final das contas, a remoção das escadas foi bem-sucedida. A catedral ainda está em restauração, e suas missas são realizados em uma capela próxima.  

LEIA TAMBÉM: Como a Igreja Ortodoxa Russa sobreviveu a 70 anos de ateísmo na URSS?

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies