Feita com armas nazistas fundidas, Catedral das Forças Armadas é a nova atração de Moscou

Com seu exterior verde musgo e escadas forjadas a partir de tanques alemães derretidos – e contendo alguns dos pertences de Hitler –, a Catedral Principal das Forças Armadas Russas está enfim de pé nos arredores de Moscou. E já se tornou o local de culto ortodoxo mais comentado no país.

A estrutura imponente, erguida no subúrbio de Kubinka, na Grande Moscou, foi consagrada no último dia 14 de junho. A inauguração havia sido originalmente planejada para 9 de maio, coincidindo com a celebração do 75º aniversário da vitória na Grande Guerra Patriótica. Mas acabou adiada devido à pandemia de coronavírus.

O edifício, com 95 metros de altura (incluindo a cruz), é hoje a terceira catedral ortodoxa mais alta do mundo. Sua grandeza, no entanto, não foi a única coisa que provocou discussões acaloradas entre parte considerável da população.

O tom preto esverdeado da catedral também vem chamando a atenção das pessoas, uma que a maioria dos templos com arquitetura ortodoxa tradicional possui tons mais claros. Por isso, usuários de redes sociais no país a apelidaram de “catedral cáqui”.

A igreja também está repleta de simbolismo. O pedestal da cúpula principal, por exemplo, mede 19,45 metros de diâmetro e possui oito janelas. Além disso, a cúpula tem 22,43 metros de altura. Todas essas medidas remetem à assinatura do Instrumento de Rendição da Alemanha em 8 de maio de 1945, exatamente às 22h43.

Outro detalhe pode ser observado nas cúpulas menores, de 14,18 metros, em referência aos 1.418 dias de duração da guerra.

Em entrevista ao canal de TV Zvezda, o ministro da Defesa russo, Serguêi Choigu, também destacou os degraus da catedral, que foram construídos com material de tanques alemães derretidos. “Subindo os degraus da catedral, passamos por cima das armas do inimigo derrotado”, disse.  Na reportagem, foi possível ver ainda caixotes das armas da Alemanha nazista, enviadas das regiões russas para Moscou para serem derretidas e transformadas em escadas de ferro fundido.

Além do mais, o complexo da catedral abriga um museu, no qual estão expostos alguns pertences pessoais de Adolf Hitler, incluindo uniforme e quepe militar.

O ícone principal da igreja foi inscrito em tábuas forjadas a partir da carruagem de ferro de canhão, recuperado do fundo do rio Nevá, em São Petersburgo, e remonta a 1710.

A Catedral Principal das Forças Armadas Russas vem causando burburinho nas redes antes mesmo de sua conclusão – graças a um mosaico que traria os rostos do presidente russo Vladimir Putin, de Stálin e do diretor do FSB Aleksandr Bortnikov, entre outras figuras políticas.

No entanto, o rosto de Putin foi posteriormente removido da catedral, após crítica expressa pelo próprio presidente. Putin considerou sua presença no ícone como uma avaliação prematura de suas realizações. O mosaico em si não será destruído; em vez disso, será mantido em outro local.

Ainda assim, a catedral é decorada com um mosaico, que cobre milhares de metros quadrados de suas paredes. O mosaico na cúpula principal (com 300 metros quadrados) apresenta a imagem de Salvador, o Milagroso – e é o maior do mundo.

De acordo com o site Znak.com, a igreja custou, no total, cerca de seis bilhões de rublos (quase US$ 80,4 milhões). Três bilhões teriam sido originados do orçamento de Moscou, e os três bilhões restantes, arrecadados por meio de doações.

LEIA TAMBÉM: A Rússia é religiosa ou laica?

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies