Como é visitar o lugar MAIS FRIO da Rússia? (FOTOS)

Aiar Varlamov/Sputnik
Você já viu o que acontece com as coisas a 50 graus Celsius negativos?

A Iakútia é a maior região da Sibéria e ocupa um quinto do território da Rússia. Ela é também a república mais fria do país: em muitos locais, a temperatura entre outubro e abril cai abaixo dos 50 graus Celsius negativos.

Os dois recordes mundiais de temperaturas mais baixas do mundo (atrás apenas da Antártica) foram registrados na Iakútia. Mas, ao contrário da Antártica, que não tem uma população civil, as pessoas vivem o ano todo nos povoados da Iakútia, desafiando o frio.

Hoje, dois lugares disputam o título de lugar mais frio do mundo: o povoado de Oimiakon (com população de 500 pessoas) e a cidade de Verkhoiansk (com pouco mais de 1.100 habitantes). Suas temperaturas divergem em torno de 0,1 graus Celsius apenas.

Em 1892, foi registrada em Verkhoiansk uma temperatura de 67,6 graus Celsius negativos, enquanto em 1933, os termômetros de Oimiakon mostravam 67,7 graus Celsius negativos. No entanto, de acordo com dados não oficiais de outros meteorologistas, em 1926, a temperatura em Oimiakon caiu para os 71,2 graus Celsius negativos.

De qualquer maneira, é muito frio ali e o início da geada é rápido. Você pode pegar 30 graus positivos nas ruas em agosto, enquanto em setembro os termômetros podem cair para abaixo de zero. A temperatura média nos dois povoados entre novembro e fevereiro é de 45 graus Celsius negativos!

Paradoxalmente, Oimiakon significa “nunca congelado” na língua dos Evens, um povo indígena iakut. Nesta área, pode-se ver realmente rios de águas subterrâneas que não congelam, mesmo a 60 graus Celsius negativos.

Os moradores locais também são “resistentes ao gelo”. Alguns moradores de Iakútia entretêm os turistas com “banhos de neve”.

Ali é preciso ter mais cuidado com gadgets. O viajante Iliá Voskressênski recomenda manter sempre o telefone carregado, próximo ao corpo quente e usá-lo o mínimo possível no frio. A câmera fica instantaneamente coberta de gelo, por isso ele recomenda que se faça uma cobertura de poliestireno para ela, com inserções de almofadas de aquecimento químico.

“É importante evitar uma queda brusca de temperatura, caso contrário, a câmera embaçará imediatamente e a umidade será nociva para ela”, escreveu no Instagram depois de participar de um tour radical pelos lugares mais frios de Iakútia intitulado “Conquistadores do Frio”, que se iniciou no final de janeiro – normalmente o pior período do frio invernal russo.

Os participantes desta temporada registraram uma temperatura mínima de 54 graus Celsius no distrito de Oimiakon, enquanto Verkhoiansk apresentou “míseros” 50,5 graus negativos. Sortudos!

LEIA TAMBÉM: Como sobreviver ao ‘iuják’, o vento mais perigoso do planeta

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies