Como fingir que você também é parte da máfia russa

Sergei Konkov/TASS
Atenção: imite a aparência dos mafiosos, e não seu estilo de vida! Na cadeia, glamour nenhum sobrevive!

Compre um paletó fúcsia

Nos anos 1990, ter um paletó fúcsia era uma questão de prestígio para todo chefe criminoso que se prezasse por muitas razões. Uma delas é que, naquela década, o povo russo sabia pouco (ou nada) sobre moda – apesar de a beleza estar nos olhos de quem a vê! Assim, um paletó de cor chamativa era considerado “fashion” sob olhos pouco sofisticados.

Além disso, esse tipo de paletó geralmente era importado, o que o tornava caro e difícil de obter para a pessoa comum. Consequentemente, os chefes do crime costumavam vestir essas peças de propósito, para destacar seu status social como homens ricos, que torravam dinheiro com roupas extravagantes.

Use anéis e correntes grossas de ouro

Os chefes do crime nos anos 1990 adoravam joias - e quanto mais caras, melhor. A questão da estética não era nada perto do boom que anéis e correntes enormes davam a seus proprietários. Grandes anéis de ouro eram os queridinhos dos criminosos (também devido às marcas que deixavam nos inimigos!).

Faça muitas tatuagens

Os prisioneiros russos criam uma espécie de "currículo criminal" codificando seus crimes e tatuando-os em códigos pelo corpo. Essas tatuagens servem como uma espécie de mensagem sobre a posição de uma pessoa na hierarquia do crime russo – o olho treinado de um policial ou de um companheiro de cela sabe “ler” essas mensagens.

Então, vá em frente: tatue um código secreto no corpo – mas não esqueça de estudar antes o código russo. Este artigo pode te ajudar na tarefa!

Arrume uma caranga

Na década de 1990, ninguém levaria um gângster a sério se ele não tivesse um carro. Muitas vezes, até um Lada ajudava! Mas existiam modelos que eram os prediletos dos bandidos. O VAZ-2009, simplesmente conhecido como "deviátka", por exemplo, era muito apreciado por seu motor relativamente potente e seu interior "espaçoso": podia acomodar até cinco homens.

Além do “deviátka”, a BMW 525i, o Volvo 940, o Jeep Grand Cherokee e o Chevrolet Tahoe também eram modelos muito populares entre os bandidos dos anos 1990. Mas o veículo mais desejado de todos era o Mercedes S600. Ele custava o olho da cara, por isso só os chefões top da máfia podiam ter o carro. Infelizmente, porém, esses carros acabavam alvo de explosões nas ruas de Moscou em situações que não eram nada acidentais.

Inicie um negócio legalizado

No final dos “selvagens anos 1990”, a legalidade começou a ressurgir na Rússia. Já não se toleravam crimes, extorsão e violência desenfreada e as instituições estatais ganharam poder suficiente para terminar com a bandidagem até das figuras mais notórias.

Recomeçar por meio de empresas legais foi a única maneira que muitos criminosos encontraram para sobreviver.

Assim, se você quiser parecer mafioso mesmo, comece com esta etapa e pule todo o resto!

 

LEIA TAMBÉM: A violenta história dos policiais russos que faziam justiça com as próprias mãos nos anos 90

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.
Leia mais

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies